Ban

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Pira-paz-não-quero-mais: em apenas 8 meses de governo, dois secretários de Saúde de Belém já entregaram o lugar. E agora, “Z”?


Zenaldo e Duciomar, na posse do novo prefeito: eu sou você amanhã (Foto: Agência Pará).



A esta altura do campeonato, o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho já deve ter percebido que tem nas mãos um tremendo abacaxi.

Ao longo de uma bela carreira política, Zenaldo nunca esteve envolvido em maracutaias (pelo menos até onde se sabe).

Também é um sujeito com um bom jogo de cintura, para a negociação e a articulação políticas.

E, talvez até por influência da mãe, sempre se interessou genuinamente pela assistência à população mais pobre.

Se de forma assistencialista, essa é outra discussão.

Mas, ainda que seja assim, ao menos se interessou pelo sofrimento alheio e tentou minimizá-lo.

Por tudo isso, sempre pareceu ter um futuro político promissor, que poderia levá-lo até ao Palácio dos Despachos ou ao Senado Federal.

Mas, a cada dia que passa, a Prefeitura de Belém coloca mais uma pá de terra na carreira de Zenaldo.

E os rolos são muitos e imensos, para alguém com apenas oito meses de gestão.

Há a violenta repressão ao Movimento Belém Livre, o que, aliás, é uma contradição na carreira de um ex-líder estudantil.

E, além disso, a insistência em não reduzir o preço das passagens de ônibus, na contramão de boa parte das capitais brasileiras e da diminuição de impostos nos transportes coletivos.

Há a enormidade de assessores, o nepotismo escancarado e os espantosos gastos em propaganda.

Há a tentativa de comprar, por R$ 100 milhões, o Hospital Porto Dias.

E há o rolo dos rolos, o nó dos nós: a caótica saúde pública de Belém.

Em apenas oito meses, já se foram dois secretários municipais de Saúde.

Profissionais respeitados, preferiram pegar o boné.

Sinal, talvez, de que a Saúde de Belém se encontra apenas à espera da extrema-unção.

O caos é tamanho que nem mesmo os milhões da propaganda conseguem mais esconder.

Na semana passada, o Jornal Hoje, da Rede Globo de Televisão, mostrou para o Brasil inteiro esse drama: criança dormindo na escada do PSM, à espera de leito; corredores tomados por macas; pacientes dividindo a mesma cama; falta de lençóis e até de dipirona.

De outra emissora de TV, a RBA, veio a pindaíba da Unidade de Saúde da Sacramenta, que não tem nem papel pra receita e água pra beber (http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/08/incrivel-unidade-de-saude-da-sacramenta.html). 

Pior: nada indica que a Unidade de Saúde da Sacramenta seja uma exceção.

Trata-se, portanto, de um nó tremendo, com enorme capacidade de comover as pessoas, já que se traduz em sofrimento e morte.

Sofrimento de gente fragilizada, pela pobreza, por doenças graves.

Morte até de bebezinhos, como se viu no Jornal Hoje.

No entanto, será que a culpa é apenas do Zenaldo?

É claro que não.

A bem da verdade, quando ele assumiu a Prefeitura, a Saúde de Belém já estava com um pé na cova.

E a responsabilidade por essa tragédia tem de ser dividida entre muitos.

Com a sociedade, que não se mobilizou com a força que deveria, para conter essa matança.

Com as instituições, que deveriam fiscalizar o funcionamento dos nossos hospitais e não o fizeram.

Com o Poder Judiciário e a Câmara Municipal de Belém, que garantiram a permanência do ex-prefeito Duciomar Costa, durante intermináveis oito anos, na nossa prefeitura.

Com a imprensa que, em troca de milhões e milhões em propaganda, não apenas se manteve em silêncio diante da dor dessas pessoas, mas até ajudou a incensar a administração de Duciomar.

No entanto, apesar de estar prefeito há apenas oito meses, Zenaldo também tem culpa no cartório.

Primeiro porque foi o partido dele, o PSDB, quem ajudou a eleger e a manter no poder o ex-prefeito.

Segundo porque, ao que parece (e os fatos gritam), a Saúde não vem recebendo a prioridade que ele prometeu.

Terceiro porque os compromissos partidários e de campanha o fazem calar diante do xis da questão: o sucateamento da Atenção Básica, em todo o estado do Pará, e a centralização do atendimento na capital.

Não, não é “mera coincidência” ou “coisa da política” a semelhança das denúncias que atingem o pronto socorro de Belém e a Santa Casa de Misericórdia do Pará, na qual, todos os dias, todas as semanas, todos os meses, assistimos a uma verdadeira “matança dos inocentes”.

Em verdade, há um fio, ou um conjunto de fios, a ligar profundamente esses dramas.

A Saúde se deteriora em impressionante velocidade porque não há vontade política do Governo Jatene para investir na Atenção Básica e fazê-la funcionar como deveria.

E também porque a propalada descentralização dos serviços de Saúde é apenas pra inglês ver; para produzir imagens de belos hospitais, para a próxima campanha eleitoral.

Porque a verdade verdadeira é que a população do interior do Pará está entregue à misericórdia de Deus.

Tanto assim, que os doentes têm de ser encaminhados, às centenas, para a capital, em busca de um atendimento, que, embora precaríssimo, ainda é superior àquele que os reluzentes hospitais regionais conseguem oferecer.

Ou seja: falta tudo nestes dois anos e meio de Governo Jatene, que tem se revelado um dos mais nocivos da história recente do Pará – e os baixíssimos gastos com investimentos (num estado que já possui um dos piores IDHs do Brasil e uma das maiores taxas de incremento populacional) estão aí a comprovar o que estou a dizer (http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/08/percentuais-de-investimento-do-para-sao.html). 

É claro que Zenaldo sabe de tudo isso muitíssimo bem.

Mas, nada dirá.

Continuará a engolir em seco essa impotência diante desse mar de pessoas pobres e desassistidas que chegam todos os dias a Belém, oriundas de todos os cantos deste miserável estado do Pará.

Uma pena.

Porque, pelo andar da carruagem, Zenaldo corre o risco de terminar o mandato ainda mais odiado do que Duciomar.

Um final inesperado e melancólico para uma carreira tão longa, bela e promissora.

FUUUUUUIIIIIIIII!!!!!!!!!

.......... 

E leia no jornal O Liberal de hoje (Atualidades, página 11), a matéria sobre a saída do secretário municipal de Saúde Yuji Ykuta. Clique em cima do quadrinho para ampliar:

8 comentários:

Anônimo disse...

Com certeza o ZENALDo, pensou que Belém era fácil de administrar,na realidade não é ele que está administrando nossa cidade é o seu irmão GUTO COUTINHO o malvado, para os servidores da PMB, DUCIOMAR foi o melhor Prefeito, respeitou a todos e o Zenaldo já mexeu em nossos bolsos, tirou todas as nossas vantagens trabalhada e adquiridas de muito tempo.
DUCIOMAR COSTA não odiado, e sim invejado.
Obrigado pelo espaço

Anônimo disse...

Ei Ana, tá na hora da rapaziada sair de novo pra rua! Mas ir aos milhares como no mês de junho! Tem que ter pressão! Senão nada vai mudar.

Anônimo disse...

A saúde, assim como as demais áreas da prefeitura, estão nessa situação de abandono e inércia devido o PSDB não valorizar o controle social. A população e entidades de classe foram excluídas das decisões, ficando nas mãos de burocratas incompetentes e corruptos. Pode até existir pessoas bem intencionadas nesse governo, mas não apitam. Com isso os interesses de grupos se sobrepõe aos da população.

Anônimo disse...

Deixem o Duciomar em Paz! O Duciomar foi Homem e nao ficou culpando o Edmilson!
Zenaldo seja Homem e assuma seus atos!
Tudo o que vcs estao dizendo agora o Duciomar disse há 8 anos atras. Comprar um novo hospital(sírio libanês) por 6 milhões e ate hoje responde processo. Agora querem comprar um por 100 milhões que era dos ex séc de saúde e todos se calam! O Duciomar dizia que Belém nao tinha capacidade de receber os pacientes do interior e coitado pegou surra da imprensa em geral!

Anônimo disse...

Gente o que o Zé Nada fez? Aumentou os Ss, quando candidato eram 3S (Saúde, Saneamento e Segurança), e agora sao 6S (Sem Saúde, Sem Saneamento e Sem Segurança). Zenaldo vc e uma Vegonha! Acompanhe seu secretario e peca pra sair! Esse estado esta fadado a miséria: o governador e preguiçoso e o prefeito idem!

Anônimo disse...

Eu nunca pensei que pudesse sentir falta do Duciomar! Volta logo Dudu!

Anônimo disse...

Não votei no Zenaldo, não coloquei bandeira na porta da minha casa para ele. Para mim, que tenho plano de saúde estou adorando a gestão do Zenaldo. Que sofram os idiotas!

Anônimo disse...

O Zé nada e o Pior Prefeito do Brasil! Fora Zé Nada!