Ban

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Conselho de Responsabilidade Social da Fiepa (CORES) lança Banco Social de Doação de Órgãos e Transplantes. 1500 paraenses esperam por doação.







A Federação das Indústrias do Estado do Pará – FIEPA, por meio do seu Conselho de Responsabilidade Social (Cores), lança, para a sociedade, amanhã (6), o Banco Social de Doação de Órgãos e Transplantes.

O evento reunirá empresários, gestores de saúde e educação, profissionais da área de responsabilidade e controle social, representantes de universidades, hospitais, Imprensa local e setor jurídico.

O Banco Social de Doação e Transplante nasce da iniciativa de somar esforços ao desenvolvimento de uma cultura local, voltada para a doação de órgãos e transplantes no Estado do Pará.

“O objetivo é aumentar a perspectiva de vida de quem depende do gesto, fazendo com que a sociedade paraense tenha consciência sobre o que essa decisão representa e de como ela pode transformar a realidade de milhares de pessoas que aguardam por uma chance de transplante”, diz Rita Arêas, presidente do Cores.

O Banco Social será formado por uma comissão de profissionais multidisciplinares das áreas médicas, empresariais e de responsabilidade social, que atuará no assessoramento às instituições de saúde e entidades assistenciais para o desenvolvimento de ações e programas estratégicos, que viabilizem a atividade de doação de órgãos e transplantes, no Estado do Pará.

Segundo Márcia Iasi, hepatologista do Grupo Amazônia Transplantes e coordenadora do Banco Social, uma das principais funções do Banco é envolver empresas, escolas e a sociedade, de modo geral, em diversas ações educativas que possam esclarecer mais sobre o tema e incentivar as pessoas na tomada de decisão.

Ela explica que a sociedade poderá solicitar ao Banco Social um projeto educativo para determinado setor: empresas, escolas, instituições de ensino superior, dentre outras, e contribuir financeiramente ou através de equipamentos ou instituições que atuam na atividade de doação e transplante, para que as ações sejam efetivas. 


Panorama no Estado 

No Pará, o número de doadores de órgãos e o número de transplantes estão muito aquém das necessidades dos pacientes e abaixo da media nacional, que é em torno de 10 doadores por milhão/habitantes (pmh).

Dados da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO) e da Central de Notificação Captação e Distribuição de Órgãos e Tecidos do Estado do Pará (CNCDO/PA) demonstram que em 2010 o número de doadores efetivos foi de 0,2 pmh, crescendo para 3.4 pmh, em 2011, e caindo novamente, em 2012, para de 2.9 pmh.

“No primeiro semestre deste ano, foram realizados no Pará 150 transplantes, entre córnea e rim, mas a fila de espera é grande. Temos hoje, cerca de 1500 pessoas esperando uma doação, aqui no estado” ressalta Ana Beltrão, Coordenadora Estadual do CNCDO/PA.

Em estudo realizado pelo Grupo Amazônia Transplantes registrou que algumas das razões para o baixo desempenho do número de transplantes no estado são a falta de infraestrutura e logística específica, que resulta em um déficit de 11.000 leitos hospitalares, e a dificuldade em fixar os profissionais especializados.

Diante dessa realidade, é notória a necessidade da sociedade paraense de ter um melhor entendimento sobre o processo da doação órgãos e tecidos e transplantes, desde o diagnóstico de morte encefálica ao conhecimento do número de vidas que se beneficiam com a doação efetivada pelo doador e família.

“É fundamental, também, sensibilizá-la para o fato de que o ato de doação vai resgatar um cidadão-paciente - que poderia ser alguém de sua família - para uma vida mais digna e com qualidade”, ressalta Dra. Márcia Iasi.

Segundo a profissional, os transplantes não se desenvolveram de maneira homogênea, ocorrendo uma grande concentração nos estados das Regiões Sul e Sudeste.

Ela ressalta que, enquanto na Região Nordeste o volume de transplantes aumenta significativamente, na Região Norte, os transplantes mantêm-se abaixo das medias nacionais. 

Serviço:

Lançamento do Banco Social de Doação de Órgãos e Transplantes
Local: Auditório Albano Franco – FIEPA (Quintino, 1588, Nazaré).
Horário: 18h30

(Fonte: Ascom/Fiepa, com modificações do blog)

Nenhum comentário: