Ban

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

PGE encaminha a Nelson Medrado processo de desapropriação da Maternidade do Bebê. Parecer da equipe técnica do MPE deve sair em 20 dias.


Já está nas mãos do promotor de Justiça Nelson Medrado o processo de desapropriação da Maternidade do Bebê.
 
O processo foi enviado nesta semana ao MP pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), atendendo a uma solicitação de Medrado, que instaurou procedimento administrativo, no começo deste mês (novembro), para investigar possíveis irregularidades na desapropriação.

A maternidade foi desapropriada pelo governador Simão Jatene em 9 de setembro, por cerca de R$ 40 milhões, para ser transformada no hospital público Jean Bittar.

Em reportagem de 1 de novembro, a Perereca apontou uma série de problemas nessa desapropriação.

A Maternidade SacreCoeur, inaugurada em setembro, em São Paulo, pela Intermédica, custou R$ 30 milhões – ou bem menos que a desapropriação da Maternidade do Bebê. E, no Rio de Janeiro, a desapropriação do Hospital Santa Mônica, em 2009, custou apenas R$ 6 milhões, em valores da época.

Além disso, junto com o prédio e equipamentos da Maternidade do Bebê, o governador Simão Jatene desapropriou uma série de artigos de cozinha, como lixeiras e farinheiras plásticas e até, por incrível que pareça, um coador de café usado.

Em reportagens posteriores, o blog também mostrou que uma assessora da Sespa, que tem sobrenome quase idêntico ao de uma das ex-proprietárias da Maternidade, trabalha em outro hospital pertencente ao mesmo grupo.

A assessora é, ainda, filiada ao PPS, o mesmo partido do secretário estadual de Saúde.

Além disso, como também mostrou a Perereca, a Sespa precisou remanejar equipamentos da Santa Casa, para colocar em funcionamento a UTI Neonatal da Maternidade do Bebê – e isso apesar do alto valor da desapropriação.

A investigação foi aberta por Nelson Medrado de ofício, a partir da primeira reportagem deste blog.

Hoje, o promotor ficou de encaminhar o processo ao grupo técnico do MPE, para que ele se manifeste sobre os parâmetros fixados para a desapropriação daquela maternidade.

Dividido em dois volumes, o processo tem cerca de 800 páginas e a expectativa do promotor é que os técnicos levem de 15 a 20 dias para a emissão do parecer.

Leia abaixo as matérias publicadas pela Perereca sobre a desapropriação da Maternidade do Bebê:





6 comentários:

Anônimo disse...

SAUDAÇÕES,PERERECA.

Procure informações sobre a transformação do hospital São Joaquim em Hospital Regional - Capanema, resultado de uma negociação com Deputado estadual Eduardo Costa - PTB,´pois o sua familia era dona do referido Hospital. Abraços

Anônimo disse...

Perereca, enviei um e-mail pra vc.

Anônimo disse...

Ana Celia antes dos teus comentarios maldosos deverias investigar para nao escreveres bobagens.Os hospitais que referes foram desapropriados em condiçoes de conservaçao absolutamente diferentes e com dividas.O do Para e novinho e foi barato.

Anônimo disse...

Parabens Perereca, assim vai ser esclarecido mesmo.Jornalismo é isso que você faz.

Point disse...

Ao Tucano das 12:21
Barato porque foi teus parceiros, 42.000.000 dava pra construir dois desses e totalmente equipado, na vila que fica em frente a Belem Importados, na Pedro Alvares Cabral, um medico construiu um hospital a partir do zero, tres andares com uma area maior do que esse e nao gastou nem 5 milhões, e vc vem me dizer que esse desapropriado pelo Lorota foi barato? Claro que nao tem equipamento, assim como o Jeam Bitar tambem não, pois eu conheço os equipamentos que realmente existem la e somados, se fosse adiquiridos novos, não daria nem 5 milhões, então caro Tucano, se tivessem pago 10 milhões estaria de excelente monta, mas 42 é pura e simplesmente roubalheira!!

Anônimo disse...

E no hospital comprado nem ficaram os equipamentos de UTI neonatal que havia lá antes .Tanto que teve portaria de que iriam remanejar para´lá equipamento que hoje está na Santa Casa (?) e para a Santa Casa vai equipamento que está no Gaspar Viana (?????).Essa redistribuição maluca é para que funcione a UTI neonatal do novo hospital.Muito estranho,mas muito mesmo.