Ban

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A blogosfera reage às baixarias do Vic




No blog Simplesmente Lu, as várias postagens da Franssinete Florenzano sobre os rolos e maracutaias do deputado Vic Pires Franco:




Ficha suja

Vejam como o deputado Vic Pires Franco é reincidente em não pagar suas contas nem aos que trabalham para ele. Estes são mais alguns dos processos por não honrar sua palavra e contratos, todos com tramitação no Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região:
Processo: 0215800-89.1990.5.08.0001;
Processo:0215800-68.1990.5.08.0008;
Processo:0217000-51.1992.5.08.0005;
Processo:0034200-26.1995.5.08.0013;
Processo: 0134700-41.1997.5.08.0010;
Processo: 0187100-78.2005.5.08.0001;
Processo: 0002900-42.1996.5.08.0003
Processo: 0148600-40.2005.5.08.0001 (este está em fase de execução. Foi preciso a 1ª Vara do Trabalho de Belém bloquear a conta de Vic em 7/10/2009 para que ele pagasse a dívida. Por sinal, foi enviada hoje ao BB a Guia de Retirada nº 00017/2010).



quinta-feira, 7 de janeiro de 2010


O deputado federal Vic Pires Franco - que ao invés de trabalhar para fazer jus à fortuna que ganha com o dinheiro do povo dedica-se em tempo integral a roubar a honra dos outros e passear no Exterior às custas dos cofres públicos com sua família, namorados das filhas e amigos -, é useiro e vezeiro em não pagar suas contas pessoais. Vejam só alguns dos processos a que responde, estes todos perante a Justiça Federal:
processo 94.00.04043-1; processo 96.00.04157-1; processo 1997.39.00.004076-0 (réus Vic e Valéria); processo 1998.39.00.009236-8; processo 1998.39.00.007919-9; processo 2001.39.00.009455-5; processo 2001.39.00.008415-8; processo 2001.39.00.010064-0; processo 2002.39.00.001411-7; processo 2002.39.00.001613-8; processo 2003.39.00.010411-9; processo 2003.39.00.011397-1; processo 2003.39.00.011333-0; processo 2003.39.00.013949-8; processo 2004.39.00.004344-4; processo 2004.39.00.001198-6; processo 2004.39.00.000524-9; processo 2004.39.00.001354-4; processo 2005.39.00.002464-3; processo 2005.39.00.009407-4.



terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Máfia das passagens

O site Congresso em Foco divulgou hoje, na matéria intitulada A Lista da Máfia das Passagens, desdobramentos do escândalo protagonizado pelos deputados federais que usaram passagens aéreas pagas com dinheiro público para passear no Exterior, levando a tiracolo mulher, filhos e aderentes.

Da bancada paraense, o campeoníssimo é Vic Pires Franco (DEM), useiro e vezeiro nas rotas para Miami, Paris e Buenos Aires. Foram 27 passagens aéreas para o Exterior, usadas pela mulher, Valéria, filhos, namorados das filhas e amigos. O deputado Zé Geraldo (PT) utilizou 18 passagens; Nilson Pinto (PSDB), 4; Asdrúbal Bentes (PMDB), 2; e Gerson Peres (PP), 1.

A farracom o dinheiro do contribuinte custou R$ 4.765.946,91, sendo R$ 3.021.557,98 nos bilhetes emitidos e mais R$ 1.744.388,93 com taxas de embarque. A grana poderia ser melhor empregada, não acham?

Juristas ouvidos pelo Congresso em Foco manifestam entendimento semelhante ao do Ministério Público Federal, que investiga o caso: a legislação em vigor é suficiente para concluir que ocorreram pelo menos dois atos sem amparo legal: o uso da cota para pagar passagens internacionais e a entrega de bilhetes a amigos e parentes.

No primeiro caso, um dos princípios fundamentais do direito público: só pode ser considerado legal aquilo que é feito com base em determinação expressa da lei. Ou seja: tudo que não é explicitamente permitido em lei deve ser considerado proibido. A cota – destinada a voos domésticos – foi usada para bancar viagens internacionais.

No segundo caso, a Constituição Federal, a legislação ordinária e as próprias normas regimentais da Câmara dispõem ser ilegal usar a cota em favor de terceiros, sobretudo em atividades que não estejam diretamente relacionadas ao mandato parlamentar. Princípios como impessoalidade e moralidade(?) não são simples imperativos éticos abstratos, mas mandamentos constitucionais e legais aos quais estão sujeitos todos os detentores de mandato popular.

Ah! O que dizem os deputados da lista? Que eles não sabiam que era ilegal, porque ninguém os avisou disso. Você daria de novo seu voto a um deles?



segunda-feira, 4 de janeiro de 2010
Lupa do MPF


Como as Comissões de Ética (?) do Senado e da Câmara Federal fizeram vista grossa para os escândalos dos atos secretos, das passagens aéreas e das diárias, o Ministério Público Federal está passando pente fino nos documentos do Congresso para apurar direitinho e processar os protagonistas dessas histórias mal contadas. Aqui no Pará, o notório deputado demo Vic Pires Franco passeou pelo mundo com a família e os namorados das filhas, à custa do meu, do seu, do nosso dinheirinho.


http://simplesmentelu.blogs.sapo.pt/90511.html

3 comentários:

Anônimo disse...

o MPF tambem começou a tomar providencias sobre várias irregularidades que acontecem no CREA-PA, como a farra de diárias de conselheiros, inclusive o vice-presidente desta instituição que é assesor da vice-gorvenadoria teria viajado com diárias pagas pelos dois orgãos, mas é a uma viagem recente que o tesoureiro de lá vez o caso mais curioso.AGUARDEM !

Luciane disse...

Boa, Ana Célia. Também já fiz a referência dos posts da Perereca lá no Simplesmente. Assim, cada vez que alguém pesquisar VIC PIRES FRANCO na internet vai ter mais referências para ler sobre este deputado sem noção que adora gastar nosso dinheirinho...
Abs!
Lu.

Anônimo disse...

O QUE VOCÊS QUEREM DO VIC??? DINHEIRO??? QUEREM QUE ELE SE MATE??? VÃO LÁ, ELE DÁ. MAS DEIXEM DE SER RIDÍCULAS. USEM, PELO MENOS HUMOR NO BLOG DE VCS.