Ban

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Governo estuda implantação de sistema online para agendamento de consultas médicas. Durante o atendimento em uma unidade de saúde, médico poderá acessar os dados do paciente pelo programa de gestão. É no Amapá. Tá, cheiroso, que seria no Pará...


Agência Amapá (por Anne Santos):  O Governo do Estado pretende implantar um novo sistema que vai ajudar a reduzir filas na principal unidade de saúde do Estado, o Hospital de Clínicas Alberto Lima. 

A ferramenta é um software projetado para automatizar a rede hospitalar gerida pela Secretaria de Estado da Saúde e facilitar a marcação de consultas médicas. 

Com o programa, vai ser possível a marcação de consultas onlines, o cadastro de pacientes e a utilização de um prontuário eletrônico.

Durante o atendimento em uma unidade de saúde, o médico vai poder acessar os dados do paciente pelo programa de gestão. 

"Vai ser possível saber se o paciente já foi atendido antes, se tem alergia e toda informação possível que tenha sido cadastrada, além de novas informações sobre esse paciente que serão acrescentadas formando um banco de dados", explicou o diretor-presidente do Prodap, José Lutiano Costa. Segundo ele, o software vai interligar todas as unidades do Estado.

Este modelo de sistema já é utilizado no Estado do Acre. Em abril, equipes técnicas e os gestores do Prodap e Sesa vão a capital acreana, Rio Branco, para conhecer o funcionamento do programa e avaliar a viabilidade de implantação no Amapá. 

"Vamos fazer uma visita para tentar um termo de cooperação técnica para que o Acre ceda o programa para o governo do Amapá", informou Lutiano Costa.

A Sesa e o Prodap estão fazendo um estudo integrado para avaliar se o sistema atende a visão hospitalar, financeira e tecnológica. 

De acordo com o diretor do Prodap, pela primeira vez esse trabalho em conjunto está sendo realizado. 

"Quando unimos os dois órgãos para realizar esse projeto as chances de dar certo são maiores, pois é feito uma avaliação mais detalhada das duas áreas, a tecnológica e a da saúde", afirmou.

Caso o sistema de Gestão Hospitalar atenda a demanda do Amapá, será implantado em um prazo de dois anos.

Nenhum comentário: