Ban

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Apadrinhamentos e teia de relações da Assembléia Legislativa dificultam CPI. Na Casa há tudo – até pitadas novelescas de romance.

As fraudes na Assembléia Legislativa do Estado do Pará - que motivaram a operação do Ministério Público e polícia civil que resultou em quatro prisões e no cumprimento de 12 mandados de busca e apreensão no dia de hoje -  atravessaram pelo menos quatro ex-presidentes: Zenaldo Coutinho, Martinho Carmona, Mário Couto e Domingos Juvenil.
Teriam começado a ser desmontadas no final do ano passado por Juvenil, ao afastar da  chefia da Folha de Pessoal da AL a funcionária Mônica Pinto, que acabaria demitida, no começo deste ano, pelo novo presidente da Casa, Manoel Pioneiro.
Mônica é investigada pela polícia por suposta participação num esquema de fraudes em contracheques de servidores comissionados, para a obtenção de empréstimos consignados (descontados em folha), só permitidos aos funcionários efetivos.
Mas, pelo que se viu hoje, Mônica é apenas a ponta de um iceberg: as informações repassadas ao blog, por duas boas fontes, é que há indícios de fraudes generalizadas na AL, num suposto esquema criminoso que pode ter provocado um rombo muito superior aos R$ 2 milhões que teriam sido movimentados pelas possíveis fraudes das consignações.
“O que se fala na AL é que as fraudes já vêm de muito tempo. O comentário é que isso foi montado há uns 20 anos”, conta um deputado.
Os esquemas fraudulentos envolveriam servidores que foram se perpetuando na Assembléia, apesar da trocas de Comando na Casa, que contemplaram seguidamente o PSDB e o PMDB.
“Independentemente de quem fosse o presidente, essas pessoas criaram uma burocracia paralela. Elas eram um organismo vivo dentro da AL”, observa o mesmo parlamentar.
Também segundo ele, o que se comenta nos bastidores é que há indícios de envolvimento de deputados nesses esquemas, “embora não diretamente, mas, tirando proveito deles”.
O problema é que essas pessoas se perpetuam na AL devido à proteção dos próprios parlamentares.
Cada uma tem o seu “padrinho”, isto é, um deputado (ou até mais de um) que move céus e terra para mantê-las na instituição. Além de ameaçar com retaliações, o “padrinho” é capaz, como conta um parlamentar, de conseguir que “até o Papa”, a bem dizer, solicite a manutenção do apadrinhado, que, por vezes, acaba por emplacar um cargo de chefia.
São tais interesses – e até os interesses dos próprios deputados que podem estar envolvidos nesses supostos esquemas criminosos – que tornam tão difícil a instalação de uma CPI para passar a limpo a Assembléia Legislativa.
Até agora, só os oito deputados do PT e o deputado Edmilson Rodrigues, do PSOL, teriam assinado um pedido de CPI, mas nem alguns desses parlamentares acreditam que seja possível obter as outras cinco assinaturas necessárias para instalar a investigação.
O atual governo, do PSDB, não teria interesse na CPI, diz um petista, por isso a estaria “segurando”. Mas é possível que nem o governo anterior, do PT, chancelasse esse tipo de iniciativa, já que se antevê como nitroglicerina pura  o que pode ser desencavado na AL.
Não são de hoje as denúncias de supostas irregularidades na Casa: além dos tíquetes-alimentação e empréstimos consignados, agora sob à lupa do Ministério Público, fala-se, há muito tempo, de transações problemáticas, a envolver, também, cestas básicas, convênios com entidades e contratações de serviços, entre otras cositas más.
Não é de hoje, também, que até os vidros da AL murmuram acerca da existência de turbinados contracheques. “Há gente que ganha 17, 20, 23 mil reais devido a penduricalhos. Esses penduricalhos, como qüinqüênios, gratificações por curso superior, etc em geral são legais. O problema é que alguns funcionários obtêm isso ilegalmente, através de lobby. Além disso, muitas vezes nem é aplicado, ‘por esquecimento’, o redutor constitucional”, observa o parlamentar.
Outro problema é que, com a perpetuação desses servidores, também foi se perdendo no tempo a origem dessas contratações. Quer dizer: de quem foi, afinal, o “QI” (Quem Indique) original. E isso se torna especialmente difícil de esclarecer após tais servidores irem parar no meio de um escândalo, que ainda renderá páginas e páginas de jornais.
Veja-se o exemplo de Mônica Pinto. Há quem garanta que ela teria entrado na AL pelas mãos do tucano Zenaldo Coutinho, hoje na chefia da Casa Civil do Governo do Estado. Mas há, também, quem jure de pés juntos que Mônica conseguiu o lugar através do deputado-pastor Martinho Carmona.
E a questão é que, além da origem da indicação, também não se sabe o porquê de ela ter sobrevivido a tantas administrações.
Daí que se chegue até a “fofocar”, nos bastidores, sobre a existência de relações amorosas entre a ex-funcionária e alguns deputados – um deles seria o ex-deputado Robgol, em cuja casa o Ministério Público e a polícia apreenderam mais de R$ 400 mil em dinheiro vivo, além de quase R$ 50 mil em tíquetes-alimentação.
No caso de Daura Irene Xavier Hage, presa na manhã de hoje, o que se diz é que seria prima (e funcionária do gabinete) do deputado Júnior Hage (PR), que se licenciou do mandato para assumir a Secretaria Estadual do Trabalho, Emprego e Renda (Seter). Funcionária antiga, Daura teria sido afastada da diretoria-financeira da AL por Domingos Juvenil, três meses depois que ele assumiu a Presidência. Mas teria sido mantida na Casa devido aos veementes protestos do primo.
Já Semmel Charone, outra presa, (e que seria filha de um conhecido engenheiro civil de Belém), teria sido chefe de Gabinete de Domingos Juvenil.
Semmel teria assumido o lugar depois que o primeiro chefe de Gabinete de Juvenil (que é, aliás, sobrinho dele), Edmilson Campos, deixou o cargo para disputar a prefeitura do município de Vigia, em 2008. Edmilson, que foi encontrado hoje de manhã escondido no banheiro de sua casa (leia postagens anteriores) também disputou as eleições à Assembléia Legislativa, no ano passado.
Já Jorge Moisés Caddah, também preso hoje, entrou na Assembléia Legislativa pelas mãos do deputado Parsifal Pontes, de quem é amigo há mais de 20 anos.
Caddah também ocupou uma secretária em Tucuruí, na área de informática, quando Parsifal era prefeito da cidade.
No entanto, teria entrado na AL, ainda na primeira gestão de Domingos Juvenil, apenas como assessor de plenário. Só há um mês é que teria sido colocado no Departamento de Informática, pelo novo presidente da Casa, Manoel Pioneiro (PSDB).
E quem o teria indicado para a nova função? É aí que a porca torce o rabo.
O que se diz é que, como é bom de informática, simpático e conhecedor do meio político (teria sido da AMAT em 1993, por exemplo) acabou se tornando uma espécie de “babá” dos deputados, quando o assunto é computador.
Por isso, a indicação dele para a nova função tanto poderia ser do deputado Junior Ferrari, do PTB, de quem se tornou próximo, quanto do deputado Eduardo Costa (também PTB), de quem Caddah seria quase um “irmão de criação”.
No caso, o padrinho original, Parsifal Pontes, teria apenas sido consultado por Pioneiro sobre se haveria alguma objeção ao novo cargo do ex-apadrinhado.
Como se vê, as relações na AL são complexas e incluem um pouco de tudo – inclusive, pitadas novelescas de romance.
Mas é claro que nem os vidros da Casa acreditam que só funcionários estejam envolvidos num escândalo de tamanhas proporções, que teria custado aos cofres públicos de R$ 800 mil a R$ 1 milhão por mês, apenas nos anos de 2008 e 2009, quando os ganhos dos supostos esquemas fraudulentos, operados por esses funcionários, teriam atingido o máximo de ganhos – embora as fraudes, segundo o MP, já ocorressem desde 1993.
Até agora, porém, as investigações não teriam chegado a nenhum deputado atual – apenas a dois ex-deputados, Robgol e Domingos Juvenil.
Mas, é claro, o MP e a polícia esperam sim chegar a algumas “Vossas Excelências”.   

..........

Atualizado às 12:40 do dia 24 de abril:
Um anônimo e o Zé Carlos me chamaram a atenção e é verdade: tá faltando lá em cima o nome do “Pepeca”, o deputado federal e ex-senador Luiz Otávio Campos, entre os ex-presidentes da Assembléia. Perdoem, mas, na noite de ontem, ao redigir a última matéria, acabei me esquecendo dele. Fica a retificação. Quanto à ordem de sucessão na Presidência, pouca importa. O fato é que os supostos esquemas fraudulentos na AL atravessaram todos esses presidentes – e partidos.

17 comentários:

Anônimo disse...

Misericorrrrrrrrdia Senhor do nosso PARÁ!!!!!Olha perereca você é nosso orgulho,vida longa para você menina danada!!!A casa caiu.

PAPACO, Protetor dos oprimidos. disse...

Sempre perfeita e dinamica, mas senti falta do FFFUUUUUUUIIIIIIIIIII kkkkkkkk.

José Carlos Lima disse...

A ordem das quatro última gestão da presidência da Assembléia Legislativa não é a que você publicou está errada.
Além das fraudes na folha de pagamento deve ser investigada as compras, contratos e convênios, onde as fraudes são bem maiores. Os convênios não vão ser investigados porque envolvem quase todos os deputados.

Anônimo disse...

Espero que a policia chegue até o DUBOC,pois ele chegou com toda pose de honesto,taxando os servidores do detran de corruptos.
E tai,ele que esta sendo investigado.

Anônimo disse...

Agora é ir em frente para destrinchar essa rede de corrupção que estava na sombra e hoje tem sobre ela alguns raios de luz. Com a ajuda da blogosfera, cada blog trazendo a luz através de pequenas contribuições, esperamos poder clarear o pântano da ALEPA e assim ver as criaturas horrososas escondidas sob esse lamaçal. Parabéns Perereca! AFP

André Carim disse...

Parabéns, Jornalista Ana Célia, pelo comentário imparcial, correto, utilizando os fatos apenas para informar, bem diferente dos que manipulam, demonizam e usam a informação como instrumento dos seus interesses. A senhora tem o meu respeito.

Anônimo disse...

Perereca, ninguém ainda disse que esses presos (para averiguação), estão há anos na ALEPA em cargos de confiança, mas não são efetivos. Isso demonstra que um comissionado, um DAS, enfim, um servidor que não seja do quadro, é muito mais vulnerável aos achaques dos deputados no que se refere a corrupção. Se eles não aceitam essas propostas indecentes para realizar falcatruas, são demitidos e substituidos. Um efetivo, não é melhor, mas teme perder o emprego a bem do serviço público. Cada vez mais os chefes (DAS) são fora e ficam anos e anos em lugares onde a grana passa. Muda o presidente, o partido do presidente mas essas pessoas vão ficando. Tomara que consigam pegar os tubarões, o que particularmente não acredito.

Anônimo disse...

Perereca, a questão realmente não é simples..." Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come".Conversando com alguns amigos, funcionários estáveis da alepa, que se indignaram com a situação, comentaram que isso só aconteceu pq os cargos de diretoria da alepa são ocupados com comissionados, os conhecidos DAS. Contudo, não faz tempo, o Brasil assistiu a algo parecido no Senado Federal, só que desta vez um funcionário estável do Senado, Agaciel Maia, que aliás, hj é deputado distrital do DF. O verdadeiro ponto a ser atacado para iniciar o processo de mudança no país começa com o encerramento da impunidade. No Brasil, no Pará em especial, funcionário público, se seve do público. Aliás, em concursos, muitas vezes muito suspeitos.rssssss....Depois do estágio probatório é dono do Cargo. Com os magistrados é até pior.rssssss (Art. 95 e incisos)...Aí temos o caso do lalau, murrieta e por aí vai...Recentemente, a revista veja em matéria publicada , conta um caso insólito, apontando o ministro asfor, que teria recebido propina do cumpadre do ex-presidente lula....Infelizmente, com a promiscuidade entre judiciário, legislativo e executivo, tudo isso vai acabar como mais um "causo" da história paraense....Assim encerro com aquela máxima " se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão"Rsss

Anônimo disse...

Ei Célia, agora que acharam a tal bomba que estava escondida no DETRAN! Detonada, é claro.

Anônimo disse...

Se as fraudes começaram nma gestão do Zenaldo Coutinho, porque você omitiu o nome do deputado federal Luiz Otávio Campos, que presidiu a Alepa depois do Zenaldo?

Anônimo disse...

Anônimo 11:54, é óbvio! A ANA CéLIA visa seus interesses pessoais, ora! Ela dança conforme o brega. hauhauhauhauhau!!!

Anônimo disse...

Semmel Charone e seus atributos fisícos sempre facilitaram sua boa vida! Apure: Irmão do Deputado Estadual Junior Ferrari, proprietário de uma papelaria na Apinages quase esquina com Tamoios foi nomeado assessor especial do Governador no mês de Fevereiro ou Março! Engraçado é que o promissor deputado apoiou a Petista nas últimas eleições!

Anônimo disse...

O Ex Deputado Robgol sempre teve um ponto fraco: Pernas Bonitas, roliças e sensuais......ele tem várias amantes, daí podemos supor que sua afirmação sobre suas relações amarosas na AL são verdadeiras!

Anônimo disse...

PARABENS À BLOGOSFERA (AOS BLOGS SERIOS E NÃO VENDIDOS NEM PELEGOS, CLARO)!!! ESSE ESPAÇO DEMOCRÁTICO DA COMUNICAÇÃO ESTÁ MESMO MOSTRANDO A QUE VEIO. HOJE EM DIA, QUANDO OS JORNALOES SE CALAM, POR INTERESSES ECONOMICOS E POLITICOS, OS BLOGS SERIOS CONTINUAM A DENUNCIAR. QUE BOM QUE VOCES EXISTEM. O ESTOURO DO ESQUEMÃO DA ASSEMBLEIA FOI MAIS UMA VITORIA DE VOCES. VOLTEM SEUS OLHOS E OUVIDOS, AGORA, PRA CÂMARA DE BELÉM E AJUDEM O MINISTERIO PUBLICO A NAVEGAR NESSE MAR DE LAMA QUE JÁ ESTÁ FEDENDO HÁ MUITO TEMPO NO NARIZ DA CIDADE. AVE, BLOGUEIROS!

Anônimo disse...

Das 9:45, esse teu comentário tem jeito de quem tá com medo de alguma coisa.

Anônimo disse...

Nada como um dia apos o outro, os partidos dos ex-presidentes envolvidos no escandalo, PSDB, PMDB,PSDB, PMDB e agora novamente PSDB. Quanta honestidade nesses partidos, não?

Anônimo disse...

Anonimo 5:25 PM

Concordo com o comentário do 9:45, a maioria dos jornais dessa terra nao informa, demoniza ou endeusifica os personagens da politica paraense, mas o compromisso da verdade que é bom nada.
Isso sim que é jornalismo, o resto é papel pra embrulha peixe e coco de cachorro, jamais sereria pra ser lido.
Alias, babaca é quem compra esses jornais, pagar pra adquirir 70% de propaganda, q posso conseguir de graça nos sinais, e os outros 30% de noticias são pagas ou são mentiras, então pra quer comprar esse tipo de impresso? Acumular lixo em casa?