Ban

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

A tese da terceira via

Do blog do Zé Carlos



"Existe hipótese para uma terceira via no Pará? Tem gente confundindo terceira via com uma terceira candidatura. É muito parecido, mas não é a mesma coisa.



Terceiro ou quarto nomes estão rodando pelos bastidores da política, tentando se viabilizar.



Fala-se que o prefeito Duciomar Costa avalia essa possibilidade, dizem que Jader está entusiasmado por uma pesquisa em que aparece empatado com Simão Jatene.



Almir Gabriel fez da terceira via o combate ao colonialismo da Vale e a Jatene, pauta principal das suas conversas.



Até um madeireiro-aventureiro, que tentou negociar terras da União com a própria União, chamado Luís Tremonte, viu neste terceiro nome uma brecha para vender ilusões.



Terceira via, meus amigos, é algo mais complexo, pressupõe um terceiro projeto. Uma forma diferente de gerir os negócios do Estado e resolver os problemas da população. O povo, mas inteligente que muitos políticos, sabe fazer a diferença entre terceiro nome e terceira via.



O Pará já experimentou duas administrações de Jader Barbalho. Três do PSDB e experimenta uma primeira do PT. Aqui temos três projetos. Qual seria hoje um projeto novo de Pará? De onde poderia surgir? A aliança PTB-PR que hoje administra Belém? O meu Partido Verde?



Jader, embora ameace sair candidato a Governador, isso não vai acontecer. A maior aventura que o líder do PMDB está disposto a fazer é tentar uma vaga a senador, isso se a governadora Ana Júlia e o PT convencerem Paulo Rocha a recuar, pois Jader, depois do que aconteceu com Elcione, não confia que o PT votará nele, nem como segunda opção.
Sobra então as alternativas PTB-PR ou PV.



O PTB-PR não apresentaram até agora uma projeto estadual, capaz de atrair aliados. Nunca disseram qual as suas propostas para a questão do desenvolvimento, da segurança pública, das questões tributárias. A maioria dos prefeitos destes partidos foi eleita graças ao apoio da Governadora Ana Júlia.



O Partido Verde tem uma propostas de desenvolvimento para o Pará e a Amazônia, tem candidato a presidência. Mas será que conseguiríamos montar aliança para viabilizar uma terceira via? Esse é o nosso dilema.



No inicio do processo eleitoral até que surgiu um nome com cara de terceira via. O empresário e ex-prefeito de Paragominas Sidiney Rosas. Sidiney tentou construir uma opção liberal, que reunisse bons administradores, sérios empresários e honestos políticos. Esta opção apresentava como cartão de visita a boa e competente administração feita em doze anos, que transformaram paragobala em Paragominas.



Sidney experimentou oposição do próprio PSDB, onde sofreu muitos golpes internos e concluiu que os tucanos paraenses só podem ir até Castanhal. Depois de lá fica proibido avançar.



Para mim não existe hipótese de terceira via capaz de travar um debate de programa e projeto. O que existe é terceiro nome, mas isso em qualquer eleição democrática sempre vai existir.



Não precisa tanto esforço para identificar o que está por trás da tese da terceira via. Basta apenas ver quem está falando nisso. São pessoas com novas idéias? Com novas práticas? Não! Ah, que peninha.



Então, incautos, prestem atenção. Almir quer o terceira nome para mostrar ao PSDB quem é que manda e derrotar Jatene. Jader quer o terceiro nome para enfraquecer a Ana Júlia e aumentar o cacife nacional do seu partido, e com isso, negociar melhores condições futuras.



Ah, as pesquisas. Nem eles acreditam nela. Pois a melhor frase sobre pesquisa foi dita pelo mestre Jader: “Pesquisa é igual exame pré-operatório, só presta perto da cirurgia”



http://zecarlosdopv.blogspot.com/

Nenhum comentário: