Ban

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

O adeus a Neuton Miranda



O blog registra – e lamenta profundamente – o falecimento de Neuton Miranda, presidente estadual do PC do B.

Conhecemo-nos na década de 80 e sempre o achei um sujeito pra lá de bacana – aliás, penso que essa opinião é geral, unânime.

A última vez que o vi foi na festa de 30 anos do PT – sim, lá estava ele, com o mesmo jeitão calmo e delicado.

Fará uma falta danada, ao Brasil e ao Pará.

Minhas condolências à família biológica e a sua enorme família: o PC do B.

Abaixo, a matéria publicada na tarde de ontem no site do PC do B:


PCdoB lança nota de pesar pela

morte de Neuton Miranda


O presidente do PCdoB do estado do Pará, camarada Neuton Miranda, faleceu neste sábado, 20 de fevereiro, vítima de um fulminante ataque cardíaco. O presidente nacional do partido, Renato Rabelo e o Comitê Estadual do PCdoB do Pará lançaram notas de pesar pela morte do militante comunista. O enterro será realizado na terça-feira (23/2).

Neuton Miranda estava em serviço, distribuindo títulos de propriedade de terras a populações ribeirinhas no município de Belterra, região de Santarém , no Pará.

Neuton Miranda era membro do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil e presidente do Comitê Estadual do Pará. Já foi deputado estadual e candidato ao Senado. Estava exercendo também importante função no governo federal, como Diretor do Patrimônio da União no Pará. Neuton era militante do Partido Comunista do Brasil há 38 anos. Foi líder estudantil e diretor da União Nacional dos Estudantes em 1968. Era casado com a professora universitária Leila Mourão e tinha uma filha, Janaína.


A camarada Socorro Gomes, que se encontra em missão do Conselho Mundial da Paz no Nepal e só retorna ao Brasil na noite da próxima terça feira, declarou, por telefone, estar "chocada e profundamente consternada com a morte do camarada Neuton Miranda".

Socorro, foi deputada federal pelo Pará e integrante da direção daquele estado atuou com Neuton durante mais de um quarto de século, nos esforço de construir o partido no estado. Socorro disse que a morte de Neuton é uma "perda irreparável". Ela expressou a certeza de que os comunistas paraenses irão transformar a dor em mais espírito de luta em nome dos interesses do povo paraense e dos comunistas do estado.


O pesar de Renato Rabelo


Este é também o tom da nota publicada pelo presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, que traz o seguinte trecho: "Os novos e os veteranos militantes que com Neuton têm se empenhado nesta nova etapa partidária no Estado saberão seguir o seu exemplo e ocupar o seu lugar na nossa trincheira de luta".


A nota do Comitê Estadual do Pará inicia em tom de profundo respeito: "Estão a meio pau as bandeiras do Brasil, do Pará e do PCdoB". E ambas valorizam a trajetória militante e o exemplo revolucionário deixados por Neuton Miranda.

O corpo de Neuton será velado a partir da tarde deste domingo (21/2) no salão nobre da Assembleia Legislativa do estado do Pará e será sepultado em Belém, capital do estado, na manhã da próxima terça-feira (23/2).

Membros de todas as instâncias de direção do PCdoB comparecerão ao velório e ao sepultamento, e o partido deve divulgar nota de pesar pelo falecimento.


A nota de pesar do PC do B paraense


Saudações ao Comunista Neuton Miranda



Estão a meio pau as bandeiras do Brasil, do Pará e do PCdoB.
Morreu Neuton Miranda.

Vítima de um ataque fulminante do coração, Neuton estava a trabalho em Belterra, cidade do Oeste paraense, onde encerrou uma vida marcada pela dedicação integral à luta por uma sociedade socialista. Isso desde a década de 60, quando militava no movimento estudantil e participava da Ação Popular.

Neuton Miranda nasceu em Marabá e era estudante de Matemática em Belo Horizonte quando atendeu ao chamado da luta do povo. Vice-presidente da UNE na gestão de Honestino Guimarães, foi perseguido pela ditadura militar, sendo obrigado a viver clandestino em seu próprio país. No mais duro período repressivo, no ano de 1972, decidiu somar fileiras ao Partido Comunista do Brasil. Decretada a Anistia, foi destacado pelo seu partido para reorganizar o PCdoB no Pará, ao lado de Paulo Fonteles e Neco Panzera.

Em 1984, em um último espasmo da ditadura, Neuton chegou a ser preso em Belém, acusado de reorganizar o PCdoB. Foi deputado estadual da legenda comunista entre 1992 e 1994, com atuação destacada em defesa dos trabalhadores e na luta pelo direito de morar. Chegou a ser presidente da COHAB, na gestão de Almir Gabriel, rompendo publicamente com este após o Massacre de Eldorado dos Carajás. Neuton também foi Secretário Municipal de Habitação no Governo do Povo e há cinco anos era Superintendente do Patrimônio da União.

Na SPU, liderava um trabalho pioneiro de concessão de uso do solo que beneficia mais de 60 mil famílias paraenses, desde ribeirinhos a moradores da grande Belém, naquilo que se tornou o maior programa de regularização fundiária em área metropolitana do país.

Era presidente estadual do Partido Comunista do Brasil e membro de seu Comitê Central. Deixa esposa, filha, mãe, irmãos. E uma história honrada, de coerência, combatividade, trabalho e luta. Não acumulou riquezas, mas era um colecionador de amigos e admiradores, além de contar com gratidão de milhares de pessoas a quem ajudou com o seu trabalho.

Neuton Miranda foi um exemplo a ser seguido, um revolucionário. Seu desaparecimento nos deixa a todos consternados. No entanto sabemos que quem morre lutando pelo progresso sempre vai servir ao propósito da vida.
Viver e lutar pela vida são o legado de Neuton Miranda.
Partido Comunista do Brasil


Comitê Estadual do Pará

Nenhum comentário: