Ban

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Tucanos, petistas e o Mensalão do DEM




Lula e Serra tentam aplacar como podem a galera do circo romano. Pode ser que nem fiquem lá muito bem vistos em seus arraiais. Mas, buscam agir com a responsabilidade da enorme liderança política que possuem.


Lula lembra que as imagens não falam por si e que só o curso das investigações determinará - ou não - a culpabilidade dos envolvidos no Mensalão do DEM.


Serra diz a mesmíssima coisa, por outras palavras: José Roberto Arruda tem direito à ampla defesa, ao devido processo legal.


É claro que ambos têm razão.


O problema, no entanto, é a contundência das provas coletadas pela Polícia Federal.


As imagens chocantes da bufunfa a rodo, escondida em todo canto possível. O à vontade – e até as sonoras gargalhadas – dos envolvidos. A “oração da bufunfa”, quase a prenunciar o fim dos tempos.


Obviamente, quem se opõe ao circo corre o risco de sair chamuscado – ou até mesmo acabar entregue aos leões.


Não daria para esperar outra coisa, no entanto, de Lula e Serra, que sabem muitíssimo bem que o xis do problema não é simplesmente Arruda ou o DEM – quem dera que fosse!


Mas, o conjunto do sistema político brasileiro, no qual as campanhas são feitas à base do “é dando que se recebe”.


Nunca é demais lembrar isso ao respeitável público, na hora do caloroso espetáculo.


E nunca é demais lembrar, também, que essa bacanal nasce da própria cultura brasileira: Arruda não é prefeito de xique-xique, mas, governador da cidade de maior renda per capita e nível educacional do País.


Nem ela, porém, escapou de Arruda, Roriz. Pra se ver o quanto essa complacência em relação ao uso tortuoso do bem público está entranhada em nós.


Causa espécie, no entanto, a carga feita pela imprensa em cima da afirmação de Lula, ao mesmo tempo em que faz cara de paisagem às declarações de Serra.


Ambos, como já se viu, disseram a mesmíssima coisa - até porque tinham o dever de fazê-lo.


Mas o tratamento que recebem, é claro, vai no vai da valsa de 2010.

Nenhum comentário: