Alepa

Alepa

terça-feira, 28 de agosto de 2018

O Candidato VV




Diz um manuscrito do Mar Morto, que numa galáxia e num tempo muito, muito distantes, havia um cidadão, chamado Alck-Mon, que queria porque queria ser rei.

Alck-Mon havia metido na cabeça que fora “ungido” pelos deuses, para reinar naquele pitoresco país.

O problema é que ele não tinha o menor carisma e ninguém apostava um dedal de mel coado nele.
Mas Alck-Mon, que só acreditava no seu Oracular Umbigo, afirmava que chegaria lá.

Tão impressionante era a ilusão que acalentava, que amigos e inimigos, já compadecidos, resolveram apelida-lo de “Chuchu’s Picolé’s”.

_Vai ver que agora ele se manca! – disse um amigo de longa data.

Mas Alck-Mon continuou a dar ouvidos apenas ao seu Umbigo, que, à semelhança do espelho da Malévola, vivia dizendo que ele era a maior maravilha do mundo.

O problema é que Alck-Mon encasquetou com aquela história de “Chuchu’s Picolé’s”.

Por que já esse negócio? – perguntava a todos que o cercavam, como se o apelido não fosse autoexplicativo.

Até que o Umbigo, também penalizado, disse-lhe: “Isso é um elogio, Alteza! Significa que Vossa Majestade não fede nem cheira; não tem, rigorosamente, gosto de nada! Pior, mermo, é o que já tão chamando pra um certo candidato, lá da Província do Já Teve: Picolé de Sardinha!”

_Picolé de Sardinha?!!! – espantou-se Alck-Mon.

_E não é, Alteza? O sujeito é intragável: faz picolé de chuchu parecer até manjar dos deuses! Parece até VV – Viagra Vencido! Não tem o que alevante o coitado! Nem pagando pesquisa fuleira, ele consegue dar uma subidinha! Um horror, Alteza, um horror!...

_E quem é esse candidato já? – quis saber Alck-Mon.

_É o seu correligionário, Alteza – respondeu o Umbigo – Aquele pobre coitado que o Jate-Mon escolheu pra boi de piranha. E o pior é que o coitado acreditou, Alteza! Ele acreditou!!!

_Ele acreditou no Jate-Mon?!!! – espantou-se Alck-Mon.

_E não é, Alteza? O sujeito é tão burro e vaidoso que até acreditou no pilantra dos pilantras, no capo di tutti capi – disse o Umbigo. E olha que até as pedras sabem que quando aquele Jate-Mon bate no ombro de alguém e diz: “caboco, eu preciso de ti!”, pode contar que bobeatus sunt, enrabatus est!

_Coitado do VV!... – suspirou Alck-Mon, meneando a cabeça.

E lá se foi o nosso rei-que-nunca-foi, todo contente, já que havia candidato em bem pior situação.

Quanto ao seu Oracular Umbigo, conta-se que resolveu fazer um ThetaHealing básico com o umbigo do VV.

Afinal, nunca, jamais, em tempo algum conseguira encontrar tamanha capacidade ilusionista em um congênere.

FUUIIIIIII!!!!

Nenhum comentário: