Ban

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Casa de ferreiro, espeto de pau: promotora acusa presidente da Associação do Ministério Público do Pará de propaganda irregular e uso da máquina nas eleições para a entidade.

O candidato à reeleição na Ampep em visita à Alepa: prioridade 
para o bolso do eleitor.
 
A promotora de Justiça de Direitos Constitucionais e Patrimônio Público, Elaine Carvalho Castelo Branco, protocolou, hoje (20), Representação ao  presidente da Junta Eleitoral da Associação do Ministério Público do Estado do Pará (Ampep) contra a chapa “Rumo a Novas Conquistas”, por suposta propaganda irregular.

A propaganda teria ocorrido no próprio site do Ministério Público Estadual, que divulgou notícia sobre visita realizada à Assembléia Legislativa pelo  procurador geral de Justiça, Antonio Eduardo Barleta, e o presidente da Ampep, Samir Tadeu Moraes Dahas Jorge, que encabeça a chapa “Rumo a Novas Conquistas” e concorre à reeleição. 

Em companhia de promotores de Justiça, Barleta e Samir teriam ido à Alepa levantar informações sobre o andamento de anteprojetos que tratam de interesses dos integrantes do MPE, como o pagamento de verbas indenizatórias, reajuste do subsídio mensal e criação da função gratificada de assessoramento jurídico. Veja aqui (clique no quadrinho para ampliar):


Na Representação, Elaine pede a cassação do registro de candidatura de Samir e a imediata retirada da “propaganda irregular” do site do MPE.

Segundo a promotora, nos últimos meses Samir, em companhia de diretores da Ampep e de Barleta, tem participado de diversas inaugurações e eventos no interior do estado, “com o único intento de divulgar sua imagem para futura reeleição da AMPEP”.

E isso tem sido feito, afirma, inclusive com a utilização da máquina pública, o que fere o princípio da igualdade de condições na disputa e caracterizaria até improbidade administrativa.

“Tais atos de índole autoritária  afrontam  à sociedade e à lisura das eleições e fragilizam a Instituição Ministério Público”, escreveu.

Elaine integra a chapa “Caminho da Luz”, que é encabeçada pelos promotores Rosana Cordovil (presidente) e Nadilson Portilho (vice). A eleição para a Ampep será no próximo dia 29 de junho.
Leia aqui a íntegra da Representação:

5 comentários:

Anônimo disse...

Realmente... É o fim da picada !!!

O MP parece que não têm noção de que ELE DEVE DAR O EXEMPLO !!!

Em todos os sentidos.

Deve dar o exemplo e não admitir TEMPORÁRIOS.

Deve dar o exemplo e não admitir excesso de SERVIDORES DE FORA EM CARGOS COMISSIONADOS.

Deve dar o exemplo e - no caso das eleições - procurar ser minimamente IMPARCIAL.

Sinceramente, esses caras parece que não têm noção !!!

Se se está em iminente processo de eleição e um dos Promotores tentará a REELEIÇÃO, é óbvio que ele deveria procurar se afastar da Administração do MP.

Pelo menos na fase das eleições...

Se não o fizer, dá margem a esse tipo de acusação - justa, neste caso.

Anônimo disse...

A chapa da Dra. Elaine faz a diferença para melhor.

Anônimo disse...

Judiciário, executivo, legislativo, MP, Tribunais da corrupão estadual e municipal, Corregedoria de Polícia militar formada por pms, alguém ainda acredita nessas imundícies?

Anônimo disse...

O presidente, o governador e o prefeitos se afastam para concorrer a reeleição

Anônimo disse...

Não vejo qualquer sinal de improbidade no fato de um dirigente classista(associação tem personalidade jurídica de direito privado e não público, viu Dra Promotora) se empenhar em cobrar do legislativo a tramitação de projetos de interesse de sua classe. Penso que esta é a missão dele. Acho que a Promotora deveria estudar mais para não entrar em aventuras jurídicas como esta, ou mesmo, tomar providencias contra um membro de sua chapa que usando e-mail funcional do MP está, ai sim, fazendo campanha, pois pede voto se utilizando de instrumento pertecente a órgão público. Será que ela tomará alguma medida neste caso? Fica aqui o desafio!