Ban

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Escândalo da Alepa: MP denuncia senador tucano Mário Couto, a filha dele, Cilene, e mais o deputado Haroldo Martins, do DEM, por improbidade administrativa. 16 pessoas são acusadas de lesar os cofres públicos em quase R$ 2,4 milhões. Metade teria sido “saqueada” no ano eleitoral de 2006.

Quase R$ 1,3 milhão "saqueado" só da Folha de Pagamentos da Alepa em 2006, quando Mário Couto se elegeu senador. (Foto: Wikipédia)
 
É a hora e a vez do senador tucano Mário Couto Filho: ele e mais 15 pessoas, incluindo a filha dele, a deputada estadual Cilene Couto, foram denunciados hoje em Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público Estadual. Todos são acusados de participação no esquema de fraudes da Folha de Pagamentos da Assembléia Legislativa do Pará (Alepa), no período entre fevereiro de 2003 e janeiro de 2007.
 
E mais: fonte do MPE garantiu ao blog que até segunda-feira vem por aí nova ação de improbidade administrativa envolvendo o período em que a Alepa era comandada por Mário Couto. O foco do novo processo serão as milionárias fraudes em licitação que teriam ocorrido naquela época, um esquema no qual teria pontificado, entre outras, a empresa Croc Tapioca.

 
Na ACP ajuizada hoje pelos promotores Nelson Medrado e Arnaldo Azevedo foram denunciados, além de Mário Couto e Cilene, o deputado estadual Haroldo Martins e Silva (DEM), ex-primeiro secretário da Alepa, e os servidores, ou ex-servidores, Rosana Cristina Barletta de Castro, Nila Rosa Paschoal Setubal, Ana Carla Silva de Freitas, Waldete Vasconcelo Seabra, Adailton dos Santos Barboza, Ana Maria Tenreiro Aranha Moreira, Brunna do Nascimento Costa Figueiredo, Daura Irene Xavier Hage, Elzilene Maria Lima Araujo, Jaciara Conceicao dos Santos Pina, Monica Alexandra da Costa Pinto, Osvaldo Nazare Pantoja Paraguassu e Sada Sueli Xavier Hage Gomes. 

 
Segundo o MP, as fraudes na Folha de Pagamento, nesse período entre fevereiro de 2003 e janeiro de 2007, teriam provocado um rombo de quase R$ 2,4 milhões. Daí o pedido para que esses 16 cidadãos sejam condenados a ressarcir o erário, além de sofrerem as demais penalidades previstas na lei de improbidade administrativa: perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, proibição de contratar com a administração pública, por exemplo.

 
Alguns dos denunciados hoje não teriam se beneficiado do suposto  esquema de fraudes. É o caso, por exemplo, de Cilene Couto e de Ana Carla Freitas (que seria mulher do vereador Carlos Augusto Barbosa, do DEM). O problema é que tanto Ana Carla como Cilene integravam o Controle Interno da Alepa. E o MP entende que foi a falta de fiscalização por parte do Controle Interno a também possibilitar a ocorrência dessas fraudes.

 
Outros, como as irmãs Daura e Sada Hage, Elzilene Maria Lima Araújo e Osvaldo Pantoja Paraguassu teriam turbinado os próprios salários em milhares de reais. Isso era possível porque a Folha que ficava arquivada na Alepa era diferente daquela enviada ao Banpará.

 
Assim, Sada teria obtido em sua conta bancária um crédito de quase R$ 472 mil, contra os R$ 24 mil líquidos a que realmente tinha direito, pela Folha de Pagamento arquivada na Alepa. Já no caso de Daura, a diferença a maior em sua conta bancária teria sido de quase R$ 331 mil. Elzilene teria levado quase R$ 408 mil a mais. E Osvaldo Paraguassu quase R$ 393 mil.


Veja no quadro abaixo:



Vale salientar, no entanto, que a ACP de hoje diz respeito apenas ao período entre 2003 e 2007 e que o MP ainda deve ajuizar novos processos em relação a tais fraudes, abrangendo tanto a gestão de Mário Couto, quanto a do ex-presidente da Alepa, Domingos Juvenil, do PMDB.
 
A fonte ouvida pelo blog também explicou que o foro privilegiado do senador Mário Couto é apenas para eventuais ações criminais, e não para ações por improbidade administrativa.

 
O senador e o deputado Haroldo Martins foram denunciados na ACP porque dirigiam a Alepa naquele período, sendo responsáveis pela nomeação e exoneração de servidores, por exemplo, e até pela assinatura das folhas de pagamento. 

 
Segundo o levantamento dos técnicos do MP, mais da metade desses quase R$ 2,4 milhões (ou R$ 1,254 milhão) teria sido “saqueada” no ano eleitoral de 2006.


Veja aqui a íntegra da ACP:

http://www.mp.pa.gov.br/upload/noticia/acp-fraude-folha-alepa.pdf

9 comentários:

Anônimo disse...

Alguem se arrisca a apostar quantas "otoridadis" da lerda justiça manifestarão "suspeição" para julgar o caso?
E quanto tempo o processo ficará hibernando nas gavetas z-z-z-z-z ?
E será que só os "bagrinhos" serão penalizados?
A conferir.

Anônimo disse...

Quem será o corajoso juiz que irá receber a denúncia? Sim,porque contra o Juvenil que não possui histórico de violência foi difícil o recebimento da denúncia,avalia agora contra o truculento ex bicheiro.

Anônimo disse...

Acabo de saber que o único juiz que teve peito para receber a denúncia contra o Juvenil aqui em Belém foi promovido para a Comarca de Novo Repartimento,pois era apenas Juiz substituto da Capital.

Anônimo disse...

Cara Ana Celia
Nada surpreso por tal denuncia, afinal o Senador subiu na vida explorando a ilegalidade, o jogo do bicho, ele, um contraventor assumido deve estar morrendo de rir disso tudo, afinal nada pega para os tucanos paraenses, vide o processo contra o Jatene pelo escandalo da Cerpasa que ate hoje não deu em nada. Toma Pará, que o filho é teu!!
POINT

Anônimo disse...

LADRÕES LADRÕES LADRÕES LADRÕES todos são LADÕES.

Anônimo disse...

nossas "otoridades" estão todas comprometidas,ninguem tem coragem de enfrentar a oligarquia paraense,em toda essa raça deve favores e mais favores.e esse lamaçal,onde todos convivem,comem e se lambujam.

Anônimo disse...

Todo mundo já sabe como vai terminar isso: por falta de inconsistência de provas, e pela representatividade dessas ilustres cabeças coroadas, todos serão absolvidos. Solução: cobrar mais impostos dos miseráveis, prá repor as perdas, e continuar bancando a roubalheira e a boa dessa quadrilha.

Anônimo disse...

É uma tremenda vergonha um "bicheiro" representando o Pará na "câmara alta". Viramos a sucursal do Rio de Janeiro, quem manda são os "malfeitores". E o chefe da tucanalha no senado, por que não se pronuncia??

Anônimo disse...

Porque será que diante de toda essa roubalheira, que aconteceu há alguns anos, o tje não mandou um recado pro senador bicheiro no mesmo tom que te mandou Perereca? PORQUE SERÁ?