Ban

terça-feira, 19 de abril de 2011

Pico das fraudes na Assembléia Legislativa foi de R$ 1 milhão por mês, em 2008 e 2009. E servidores presos vão para o Corpo de Bombeiros e Batalhão Ambiental da PM


As três servidoras da Assembléia Legislativa presas na operação do MP e polícia civil que investiga supostas fraudes na Assembléia Legislativa  serão recolhidas ao quartel do Comando Corpo de Bombeiros. Elas são: Semmel Charone, Daura Irene Xavier Hage e Euzilene Araújo, que estava foragida, mas se apresentou agora há pouco ao MP.
Já o funcionário Jorge Moisés Caddah, também preso na manhã de hoje, cumprirá a prisão temporária na sede do Batalhão Ambiental da PM.
As informações são da Assessoria de Comunicação do MPE.
A Assessoria confirmou que, pelas informações fornecidas pelos promotores na coletiva de hoje à tarde, as supostas fraudes na Assembléia Legislativa vinham ocorrendo desde 1993.
Teriam movimentado de R$ 800 mil a R$ 1 milhão por mês, em 2008 e 2009, quando atingiram o pico.
Antes disso, porém, os valores seriam bem menores – daí não se poder ainda estimar o valor do rombo, que a Perereca calcula em quase R$ 100 milhões, na postagem abaixo.
A Perereca volta já

5 comentários:

ANTONIO Valentim, disse...

PARABÉNS Ana Célia pelo grande trabalho. Dos blogues que frequento diariamente o seu foi o primeiro a noticiar mais esse escândalo. Até reproduzi no meu blog pessoal uma das postagens.
Valeu!

Anônimo disse...

celia, se não estou enganada esse cidadão jorge moises caddah é o homem de confiança do deputado parcifal pontes, pois ele ja passou por tucurui na gestão do parcifal.será que o deputado não tem nada haver com isso ?

Anônimo disse...

Essa gentalha que achava que podia fazer tudo contra a sociedade e nós servidores honestos com H, se ferrou.

Anônimo disse...

É impressionante como se torna cada vez mais importante a ação dos jornalistas competentes da blogosfera que consegue transmitir a informação rapidamente, independente do interesses dos grupos que comandam os meios de comunicação do Brasi. Parabéns Ana, seu trabalho é digno de louvor por levar ao conhecimento da sociedade as armações dos grupos de políticos que formam uma rede de corrupção na ALEPA. Pioneiro e Cia. não vão poder barrar a CPI, embora possam atrapalhar sua atuação. Esse é um assunto, cujos meandros você está desvendando, e noticiando na hora. colaborando para tornar público e de forma clara.

Osorio Pacheco disse...

Perereca:
Conheci e convivi com Jorge Caddah como colega de trabalho nas prefeituras de Tucuruí e Breu Branco.
Trata-se de uma pessoa dedicada ao trabalho, gentil, ética, solidária e generosa.
Tornei seu amigo.
Quero crer que Jorge não tenha nenhuma culpa nisso, se tiver, que a Justiça cumpra seu dever.
Quanto a prisão, creio que se convocado Jorge compareceria para depoimento sem essa pirotecnia de prisão.
Sou solidário a Jorge e em quaisquer circunstâncias, continua um amigo.