Ban

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Caso Cerpasa é manchete no blog Conversa Afiada de Paulo Henrique Amorim


Fui conferir a dica de um comentarista anônimo e é verdade: o blog Conversa Afiada, do jornalista Paulo Henrique Amorim, um dos mais acessados do Brasil, repercute, em letras garrafais, o Caso Cerpasa, noticiado nacionalmente pelo blog “Os Amigos do Presidente Lula”:

Simão Jatene segue os passos de Arruda, com escândalo da cervejaria Cerpa

O governador tucano do Pará, Simão Jatene, pode ser a bola da vez entre os governadores que caem por envolvimento em escândalo de corrupção, seguindo os passos de José Roberto Arruda (ex-DEMos/DF).
O motivo é o processo 2007.39.00.009063-6 no Tribunal Regional Federal do Pará, contra o governador demo-tucano e outros. Trata-se de um inquérito policial que apura:
- Corrupção Passiva;
- Crimes contra a administração pública;
- Falsidade Ideológica;
- Crimes contra a fé pública;
- Corrupção ativa;
- Crimes praticados por particular contra a administração em geral.
Eleito governador, recobrou foro privilegiado, e o processo contra ele deve subir para o STJ, o mesmo tribunal onde foi expedido o mandado de prisão contra Arruda.
O escândalo vem desde a eleição de 2002 (primeira vitória de Jatene), conforme descreveu reportagem da revista IstoÉ nº 1833 de novembro/2004:
Tudo começou na manhã de 12 de agosto de 2004, quando o fiscal do Ministério Público do Trabalho, acompanhado de um procurador e dois delegados da Polícia Federal, chegou à sede da Cerpa, flagrando uma funcionária do departamento pessoal com a boca na botija: Ana Lúcia Santos separava os envelopes e contava R$ 300 mil em notas miúdas com que fazia o pagamento “por fora” dos funcionários, sem registro em carteira.
Com a perícia sobre documentos e computadores apreendidos, além da fraude trabalhista, os agentes encontraram relatórios detalhados com nomes, datas e valores descrevendo a relação de corrupção explícita existente entre a cervejaria e a campanha do governador.
Em um dos documentos, como atas de reunião, um executivo da Cerpa descreveu a decisão de agosto de 2002, em plena campanha eleitoral: “Ajuda a campanha do Simão Jatene p/Governo, reunião feita com Dr. Sérgio Leão, Dr. Jorge, Sr. Seibel, a partir de 30/08/02 (toda Sexta-feira), R$ 500.000, totalizando seis parcelas no final.”
Seibel é Konrad Karl Seibel, dono da Cerpa.
Leão é Francisco Sérgio Leão – atual secretário de Governo – que presidia a comissão estadual que avaliava a política de incentivos, na época”.


16 comentários:

Anônimo disse...

Por uma bobagem em relação a este caso, o Senador Capiberibe, do Amapá. foi cassado no passado e agora está sendo considerado "ficha suja", impedido de tomar posse, depois de brilhante vitória.

Anônimo disse...

Jornalista Ana Célia:
Você, como sempre, brilhante e up to date.
Por falar nos tucanos, como está o processo do Senador Flexa Ribeiro?
Será que deram fim nele (no processo, lógico)?

Anônimo disse...

O advogado do Senador Flecha Ribeiro está com o processo a 3 meses e não devolve.
Pode ficar tanto tempo com os autos.

Anônimo disse...

cara jornalista,

votei em branco por não acreditar em nenhum dos candidatos a governo do Estado. porém uma decisão já tinha ; nunca voteria em JATENE. percebo agora quem é de fato esse político. controlado por JÁDER BARBALHO,e COOPTANDO PARTIDOS VENAIS, fazendo política estilo tucano de ser. espero que agora tomou proporções nacionais, o episódio CERPA repercuta e force um ação mais atuante da justiça, O MPF paraense é confiável, entretanto não depende apenas desses jovens defensores da legalidade.Vamos nos mobilizar e monitorar cada passo desse escabroso fato que infezlimente vai colocar mais uma vez o Estado do Pará nas manchetes do BRASIL,TODAVIA SER FOR PARA EXTIRPAR JATENE DO CENÁRIO POLÍTICO REGIONAL E NACIONAL, terá valido á pena.

Anônimo disse...

Com um caso desses começando a repercutir no Brasil, o Conversa Afiada tem mais de 100.000 visitantes dia, no Pará os blogs continuam fazendo cara de paisagem.

Só Ana Célia Pinheiro e Hiroshi Bógea tocam no assunto.

O joio começa a ser separado do trigo na blogosfera paraense.

Só pra lembra 100.000 acessos dia. Isso é mais do que a circulação do diario do pará e o liberal juntos.

Um terremoto na política do Pará.

Anônimo disse...

A Folha de S. Paulo tá vindo ai...
A Folha de S. Paulo tá vindo ai...

Não é pra fazer reportagens sobre turismo...

Uma cerpinha bem gelaaaada pra quem advinhar a pauta.

Segura peão....

Eta Perereca danada.

Anônimo disse...

Sempre falei que este cidadão era um farsa, agora é só esperar que se faça justiça.

JB

Anônimo disse...

Cara Perereca

Tenho uma visão mais realista do fato em questão, não acho que ele gere outra coisa há não ser demonstrar sua coragem em ser uma repórter tipo doa a quem doer e que eis lida fora das fronteiras paraenses por teres credibilidade.

Agora que isso possa gerar cassação do mandato atual de alguém , não vejo uma ínfima possibilidade de isso acontecer!

Exemplo clássico atual é a situação do lutuoso Duciomar, quantos processos este ser vivente que só do mau se ocupa tem e terá ,pasmem alguns fúnebres, que ainda esnoba o Ministério Publico como na recente ridicularizarão feita ao distribuir vinhos como cortesia e que terminara sua gestão de oito anos tranqüilo, salvo se a incansável Franssinete Florenzano conseguir na sua política de “Água mole pedra dura tanto bate até que fura” mudar o que afirmo!

No Ceara onde o Cid e Ciro acumulam coleções de barbaridades contra o erário, inclusive com provas irrecusáveis como o depoimento do operador de um dos esquemas “ Moraizinho” filmado e posto na internet, local onde esta exposto também o vídeo do avião e da limusine internacionais, onde a própria família Gomes gera provas, onde o chefe de gabinete esta quase em primeiro lugar na “Operação Podium” feita pela PF que achou até os Piquet, e nada concreto acontece com esses interioranos de Sobral, cidade cujo significado é sobra do Mobral, avalie acontecer algo com quem tem nível superior!
!

Poderia me alongar usando os casos do vizinho Maranhão onde segundo o Jornal Pequeno acontecem dois ou três fatos, por dia , (isso mesmo por dia) que em um pais onde houvesse celeridade na justiça não haveria só perda de mandato mais cadeia em regime fechado por um mínimo de dez anos, dado ao beneficio de cumprido 1/3 da pena o condenado migrar para o semi aberto.

Sei que expor e explicar minha opinião não me faz senhor da razão, nem eu sonho em ser, quero apenas mostrar uma probabilidade com quase cem por cento, de não haver o extremo de cassação, pois mesmo se condenado fato que não acredito acontecer dado a mesclagem de tribunais cuja miscigenação gerou um hibrido jurídico, ainda existe na justiça um celeiro de recurso há disposição de bons rábulas sempre teleguiados pelo lucro!

E falando em lucro vejo uma excelente oportunidade de alguém faturar com este fato , como é carnaval quem fabricar mascara do Jatene vai faturar alto, garanto que será a mais vendida!

Perereca vou fazer que nem a Franssinete no água mole é pedra dura até você responder, tu é cheirosa ?

MCB

Anônimo disse...

Cara perereca pena que vc não pode me responder por que esse bandido e sua corja ainda estão soltos. E ainda por cima infestando de corrupção o Palácio Lauro Sodré, além de ter a cara de pau de falar em moralidade.

Anônimo disse...

Ana Célia:
Pessoalmente não tenho nada contra ninguém. Mas como cidadão tenho tudo contra os gatunos do ddinheiro público, que é nosso. Acho que estamos avançando. Jader, Paulo Rocha e Ademir já foram cassados. E os senadores Flexa Ribeiro e Mário Couto? Vão continuar impunes? Você é a pessoa mais competente para fazer justiça contra esses fichas-sujas que envergonham o Pará. Que tal atualizar as notícias sobre os processos dos dois senadores? Eu não tenho a sua competência para fazer isso. Continue elevando seu nome - que já está no pódio da seriedade e inteligência - e o nome do Pará.
Avante grande jornalista!
Parabéns, um abraço e um beijo (só um abraço é pouco para você)
Seu admirador e aluno

Anônimo disse...

Será o terceiro turno vindo aí? Politica rasteira, não aceitam a derrota. Democracia dos Petistas é pra Inglês ver, no melhor estilo Hugo Chaves.

Anônimo disse...

Perereca, tu tais demais mana velha. Um abraço bem apertado. Agora me responde. No caso de cassação, vai ser a chapa toda ou há chances de PPS do Helenilson assumir o Governo do Estado?

Anônimo disse...

Perereca a turma do José Arruda Sampaio, também acreditava que não ia acontecer nada, chegavam a debochar do povo, riam, e deu no que deu....

Jáder Barbalho também não acreditava que fosse dá em nada, mas a Marinor acreditou...

O ditador da Tunísia também não acreditava que ia dar em nada e....

Vamos acreditar na força da justiça.

Anônimo disse...

E agora mais essa

Ana C. Pinheiro
Cara jornalista,

Você poderia verificar o andamento desse processo também:

Almir e Jatene poderão fazer companhia a Jader como os novos 'fichas sujas'

Cassado recentemente pelo Tribunal Superior Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa, o candidato ao Senado pelo Pará Jáder Barbalho (PMDB) não deve ficar por muito tempo solitário em seu Estado como portador do estigma de Ficha Suja. Jáder poderá ganhar em breve a companhia dos ex-governadores Almir Gabriel (sem partido) e Simão Jatene (PSDB). Os dois paraenses, aliados no passado e hoje adversários, respondem a processo antigo no mesmo TSE e, se depender da vontade do procurador-geral Eleitoral, Roberto Gurgel, terão o mesmo destino de Jader, ou seja, passarão à condição de inelegíveis pelos próximos oito anos. Mas a sorte de ambos depende do voto da ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, relatora (a sexta) do caso que está sob sua apreciação. Almir Gabriel e Simão Jatene são acusados de grave violação à Lei Eleitoral (9.504/97): transferência de cerca de R$ 60 milhões, por meio de uma chuva de convênios (mais de 500) a municípios paraenses, em 2002, dois meses antes das eleições para governador. Gabriel era governador e principal cabo eleitoral de Jatene, então um apagado seu secretário – mas que foi eleito, na avaliação da coligação "Frente Trabalhista", que representou contra os dois, justamente por conta do abuso de poder econômico. No caso, a transferência dos recursos do Estado a dezenas de municípios paraenses, dois meses antes da eleição, foi operada com claro intuito eleitoreiro, é expressamente proibida pelo artigo 73 da Lei Eleitoral.

do Site do Cláudio Humberto
http://www.claudiohumberto.com.br/busca/?t=N&filtro=jatene#this

Anônimo disse...

Opa!!!! Quer dizer que o cara de bode do Jatene vai se ferrar com o caso da Cerpasa??? Olha que sou leitora assidiua do PHA e deixei passar batido esta notícia!!!!! Como não votei nele, quero mais é que ele e sua turma sejam alcançados pela Lei da Ficha Limpa..
Você não gosta dos blogs do: Azenha( Viomundo), PHA(Conversa Afiada), Luiz Nassif(http://www.advivo.com.br/luisnassif), Eduardo Guimarães(Cidadania.com) Altamiro Borges, Leonardo Sakamoto, Cloaca News, http://maureliomello.blogspot.com/(DoLaDoDeLá) e tantos outros???

Anônimo disse...

O Colunista do Claúdio Humberto foi eleito um dos colunista políticos mais influentes do Brasil no ano de 2010, juntamente com Dora Krammer, Eliane Catanhede, Paulo Henrique Amorim e outros.

Na sua coluna publicada em vários jornais do Brasil o assunto em destaque hoje foi Caso Jatene/Cerpa. No Pará a coluna de cláudio Humberto é publicada pelo Liberal. Só por precaução, caso, por mero acaso alguém esqueça de publicar alguma coisa segue a coluna de hoje 02/02/2011:

02/02/2011
Governador do Pará é acusado de corrupção

O governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), é acusado na Justiça de crimes de corrupção ativa e corrupção passiva, falsidade ideológica, crimes contra a administração pública e a fé pública que podem custar-lhe o mandato. O escândalo estourou em 2002, quando documentos apreendidos pelo Ministério Público e a Polícia Federal revelaram a relação promíscua entre a cervejaria Cerpa e a campanha de Jatene.

Dívida perdoada

O antecessor tucano Almir Gabriel perdoou dívida de R$ 47 milhões em ICMS da Cerpa apos generosa doação à campanha de Simão Jatene.

Outro figurão
Além de Simão Jatene, figura no processo seu secretário de Governo, Francisco Souza Leão, que na época avaliava a política de incentivos.

Boca de siri
A coluna insistiu por dois dias, mas os acusados, incluindo Konrad Karl, (Cerpa) e a secretária Tereza Lusia (Cativo) (Meio Ambiente), silenciaram.


Eu falei que a Perereca não ia ficar sozinha.