Ban

sábado, 22 de novembro de 2008

lambança2

Hangar esclarece contratos




Recebi, com pedido de publicação, nota de esclarecimento do Hangar, acerca do post que publiquei mostrando os R$ 25 milhões recebidos do Governo Estadual, pela Via Amazônia, a OS que administra aquele espaço.


Obviamente que publico o esclarecimento na íntegra.


E agradeço, sinceramente, a atenção dos que o produziram: é magnífico para a democracia o contraditório; é sempre bom, para toda a sociedade, que o debate possa ser enriquecimento por mais e mais informações e pontos de vista divergentes.


Mas, também democraticamente, mantenho cada vírgula do post que produzi.


Primeiro porque rigorosamente calcado em documentos públicos.


Segundo porque as opiniões que externei no editorial são justíssimo direito de cidadã e contribuinte.


Volto ao assunto mais tarde, para comentar a nota de esclarecimento que segue abaixo – agora, estou, realmente, muito cansada...


Mais uma vez, agradeço a atenção da direção do Hangar, em relação a este cafofo. Voltem sempre!



NOTA DE ESCLARECIMENTO


Em relação ao post publicado nesta quinta-feira, 20, o Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia esclarece que:



1- O aluguel do centro de convenções segue uma tabela de combinações, levando em consideração fatores como quantidade de espaços alugados, quantidade de dias reservados (incluindo dia para montagem e desmontagem de evento) e tipos de serviços inclusos, já que, segundo a assessoria jurídica do Hangar, o centro de convenções tem prerrogativa para atuar desde a locação do espaço até a viabilização da infra-estrutura necessária para realização do evento. Isto mostra que, mesmo trabalhando com uma tabela única, o aluguel do Hangar, portanto, varia de evento para evento dependendo da combinação de espaços, tempo de uso e serviços escolhidos pelo próprio cliente.



2- A assessoria jurídica do Hangar informa também que a Lei 9648/98 acrescentou ao artigo 24 da Lei 8666/93 disposição que permite à Administração pública a dispensa de licitação para a celebração de contratos de prestação de serviços com as organizações sociais, qualificadas nas respectivas esferas de governo, para atividades contempladas no contrato de gestão. Sendo assim, por todo o exposto, a contratação do Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, enquanto organização social, pode ser realizada na modalidade dispensa de licitação para toda atividade relacionada com a realização de eventos, à cultura e ao lazer.



3- O fluxo administrativo do Hangar é acompanhado constantemente por uma auditoria e pelo Tribunal de Contas do Estado, e ao final de cada ano é apresentado ao Governo do Estado do Pará um relatório com detalhada prestação de contas (a de 2007 foi tornada pública através da imprensa, e a de 2008 já está em fase de conclusão). Exatamente por trabalhar com transparência em seus atos, e por entender que uma OS precisa de autonomia financeira, o Hangar não faz diferenciação entre clientes de origem pública ou privada, trabalhando com uma tabela única de serviços.


4- Graças a isso, no início de 2008, portanto com apenas oito meses de funcionamento e com a pauta de eventos trabalhando ainda longe do ideal, o Hangar pôde solicitar a diminuição do repasse estatal previsto Contrato de Gestão que repassou à Organização Social Via Amazônia a responsabilidade pelo gerenciamento do centro de convenções paraense. Ainda assim, a capacidade de gerar recursos próprios resultou em um saldo além das expectativas: R$ 10 milhões, bem acima dos R$ 2 milhões previstos no início do contrato e também bastante superior aos R$ 3,5 milhões repassados no ano passado via secretaria de Estado de Cultura (Secult), a qual o Hangar está vinculado. Seguindo nessa perspectiva de depender cada vez menos de repasses diretos, ao completar um ano de funcionamento em maio de 2008, a administração do Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia anunciou nova redução de parte do repasse governamental e um terceiro cálculo deverá ser aplicado já no início de 2009. A iniciativa que beneficia os cofres públicos só foi possível graças à administração aplicada ao Hangar, que permitiu a geração de recursos próprios em um curto espaço de tempo.


5- O post não esclarece que, por se tratar de uma entidade sem fins lucrativos, todo saldo obtido no centro de convenções obrigatoriamente deve ser investido no próprio Hangar ou devolvido para os cofres públicos estaduais. É graças a essa prerrogativa que o Hangar vem diminuindo o repasse governamental e sendo constantemente melhorado e equipado. Os recursos próprios foram investidos desde a aquisição de mesas e cadeiras para a praça de alimentação, auditórios e salas, até 101 paredes móveis com estrutura em aço para divisórias – nas quais foram aplicados mais de R$ 600 mil - que permitem o auditório ser subdividido em oito módulos e praça de alimentação ser dividida em espaços isolados, conseqüentemente possibilitando que o HANGAR sedie diversos eventos simultâneos, otimizando o espaço e aumentando os resultados financeiros positivos obtidos. É com recursos próprios também que a administração do HANGAR construiu um novo auditório com capacidade para 400 pessoas no local onde antes era um depósito, e que passa a ser o primeiro auditório dotado de toda infra-estrutura de sonorização e iluminação cênica, possibilitando que o cliente não precise contratar terceiros para tal serviço. Graças aos recursos próprios também o Hangar está viabilizando a construção da cozinha industrial, que terá capacidade de produzir até 2 mil refeições/hora, e que será utilizada como cozinha-escola para formação de mão-de-obra qualificada no Estado, mais uma ação de responsabilidade social do centro de convenções.




Lamentamos o fato do Hangar não ter sido convidado a esclarecer os fatos e nos disponibilizamos para mais informações.



Atenciosamente


Gerência de Comunicação do Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia

24 comentários:

Anônimo disse...

Quer dizer, então, que fora essa farra de dispensa de licitação, ainda tem repasse mensal feito pelo Governo do Estado para o Hangar, como diz a nota oficial,que não esclarece, nem desmente o teor da matéria denúncia?
Assim é demais! Desliga o tubooooooooooooo.
Chama a políciaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Anônimo disse...

A vida como ela é: lendo esta nota do Hangar, lembrei-me da camapanha da nossa governadora Ana Júlia Carepam quando ela e todo o seu grupo político, incluindo aí, deputados e asssesores, metiam o pau no governo anterior por causa da tal OS - Organizaçao Social, que se não me engano começou por aqui nos governos dos tucanos, que antecederam esse aí do PT. Pois bem, sermpre que podiam, nas entrevistas, programas eleitorais e debates, todos falavam mal das OS: da Estação das Docas, se não me engano PARÀ A MIL, dos Hospitais Regionais e não lembro , agora, se tínhamos mais outras citadas pelos petistas. Fiquei, na quela altura, com a sensação de que esse tipo de procedimento era uma aberração, o fim do mundo, até mesmo uma falcatrua.
Agora, lendo essa nota vejo que os petistas já não pensam o mesmo. Fazem direto uma defesa intransigente do funcionamento dessa instituição e do seu modêlo.
Falavam uma coisa antes. E fazem agora bem diferente. Tem OS pra tudo que é lado. Mantiveram as que já tinham e ainda aumentaram, criando outras, como foi o caso dessa do Hangar, a tal Via Amazônia, que parece mais uma via mal acabada, sem destino certo da dinheirama toda que arrecada todos os meses. Arrecada coisa nenhuma. Ganha de mão beijada desse governo pífio, que não faz nada, a não ser trapalhada, como essa agora.
Não votei no PT.
Votei na Ana Júlia, porque acreditava na mudança. Mas estou decepcionada. E acredito que muitos outros eleitores também estão. Como pode o Estado repassar, do nosso pobre dinheirinho , R$ 25 milhões de reais e ainda vem o Hangar com uma explicação pífia dessa. Chega. respeitem o povo do Pará. Chega de enganação. De tapeação.
A mim não enganam mais.

Gabriela Braga

Anônimo disse...

Isso é um esclareciemnto ou uma confissão? Era melhor ter ficado calado.

Anônimo disse...

Mesmo exercendo o direito de resposta, a administração do Hangar, não esclareceu como uma empresa que alguns dias depois de aberta tomou posse da administração do Hangar.
Quais os critérios da escolha???
Coincidencia a Assossiação Via Amazônia ser presidida pela ex secretaria e caixa da Governadora!?
Ainda existe uma história nebulosa rodando nosso Centro de Convenções.
Aonde está o Ministério Público, a Assembléia Legislativa e o mais importante: AONDE ESTÁ A ÉTICA PREGADA DURANTE ANOS PELO PARTIDO DOS TRABALHADORES?
Alguma "Pessoa" deve estar pensando que o Hangar virou casa da mãe "Joana".

cintia motta disse...

nao esclaeceu nada pois trabalho com evento e agora faco um desafio me mostre algum evento que o hangar tenha participado de licitacao concorrendo com outra empresa pois eu tenho que entrar com a minha empresa e brigar com as outras e prestar o servico pelo menor preco possivel tem um congresso que eu estava no hangar e vi era uma sala por 4 dias com som datashow cafe e agua pra 150 pessoas da sespa que foi cobrado R$ 150.000 por isso eu queria ver se fosse licitado isso ia ser este preco ate por que este evento podia ter sido feito em uma serie de espacos e robalheira sim a minha empresa participa de licitacao do estado e nunca que pagariam isso a sespa nunca pagou isso numa licitacao

Anônimo disse...

Explica mais não justifica!

Anônimo disse...

Uma coisa é certa. A única coisa que funciona nesse governo, é o Hangar. E bem !
Foi a única mudança pra melhor, do PSDB para o PT.
O Hangar, no governo do PSDB, o povo estaria lá do outro lado da rua, impedido de entrar, para não destruir a linda obra do arquiteto Paulo Chaves.
Justiça seja feita, mas a Joana colocou o povo pra dentro e valorizou aquilo que o Pará tem de mais importante, que é a sua gente.
Nota 10, pra ela e sua equipe.
Vic Pires Franco
Deputado Federal

Anônimo disse...

O que que é isso minha gente, não entendi essa????????

Anônimo disse...

Permita-me discordar do senhor, deputado Vic Pires Franco. Não acho que o povo ficaria de fora do Hangar Centro de Convenções, como não ficou de fora de obras tão importantes quanto essa e também concebidas pelo mesmo arquiteto Paulo Chaves e que hoje são espaços livres para visitantes da cidade e mesmo os turistas que chegam por aqui, sendo mesmo pontos de orgulho dos paraenses. Cito aqui cinco bons exemplos do que falo: Estação das Docas, Mangal das Garças (que é lindo), Forte do Presépio, Parque da Residência e o São José Liberto. Como sou frequentadora constante desses espaços devido o meu trabalho voltado para o turismo, posso lhe garantir que vejo hoje um certo descuido, não estão fazendo a manuntenção que deviam, o que me deixa preocupada com o que poderá acontecer no futuro, porque eu bem sei que é muito importante a manauntenção, a conservação desses espaços.
Posso garantir que todos os grupos que acompanho eleogiam muito a beleza de todos esses lugares. a) Sarah Queiroz

Anônimo disse...

Cara Sarah.
Só me referi ao Hangar, de tanto que ouvi de reclamações tucanas, durante esse governo petista-peemedebista.
Reclamações infundadas, diga-se de passagem.
Quanto as outras obras, você é mais abalizada para dar uma opinião mais crítica.
abraço
vic

Anônimo disse...

O Vic é absurdo. Está mais louco a cada dia...

Anônimo disse...

A pergunta que também não quer calar: por que a perereca (tão excitada por fofoquinhas de dondocas), ficou caladinha na solidariedade ao Juvêncio?

Ana Célia Pinheiro disse...

Caro anônimo:

Agradeço o seu “puxão de orelha”. Graças a ele dei uma passada mais demorada no blog do Juvêncio, o Quinta Emenda, e abri a caixinha de comentários. Daí que apresentei a minha solidariedade a ele, embora que tardia.


Pelos termos de seu comentário, sinto que você não teve a mínima a intenção de me ajudar.


Mas, a sua crítica acabou tendo o efeito inverso ao desejado, como, aliás, sempre acontece quando alguém tenta “fazer o mal” a quem não tem qualquer má intenção...


Quanto às “fofoquinhas de comadres”, lamento que você considere assim um episódio tão grave quanto o do Hangar.


Lamento que você considere o debate em torno do uso do seu, do meu, do nosso suado dinheirinho como mera “fofoquinha”.


Mas, de qualquer forma, obrigada pela ajuda, embora involuntária, que você me deu.


Abs,


Ana Célia

2010 disse...

Peraê, o Dep. Vic, falando bem da "Lavanderia Hangar" e mal do Paulo Chaves(vice de Valéria)?
o nobre deputado, deve estar com algum problema, na cabeça ou no coração!!! Pq, o povo ficaria de fora?
Na SESPA do PSDB/PFL, o povo ficava de fora? acho que o Dourado, apesar das denúncias, foi um bom secretário, e o povo do Pará tinha uma melhor assistencia a Saúde.
Faça o seguinte, dep VIC, espalhe outdoors por toda Belém, com as seguintes frases:
O Dep. Federal VIC, apóia as falcatruas da maior "Lavanderia de Belém" - o Hangar Centro de Convenções da Amazonia, e na oportunidade se solidariza com a sra. Joana Pessoa, a profissional do caixa 2, 3, 4.....25milhoes, que tão bem cuida do nosso patrimonio!!!
"É mais gostoso votar no VIC"
Pena que anda meio desorientado!

Anônimo disse...

Não creio que seja o Vic de fato que escreveu isso... a Poster poderia checar... né não, Ana?
Abs!

Anônimo disse...

acho que esse "medicamento" está vencido..rs

Anônimo disse...

O que esse Vic pensa que é? Não engana mais ninguém!

Anônimo disse...

O povo fica sim fora das obras tucanas de Paulo Chaves. Quem não pagar no Forte do Castelo, para ver canhão velho, não entra. E até turistas voltam da entrada, aquela depois da ponte.

Anônimo disse...

Pagar para entrar em um museu, ô anônimo, é a coisa mais natural do mundo. Me aponte um museu que não cobre entrada. E todo turista sabe disso. Para visitar o Forte do Castelo não se paga nada, assim como não se paga para entrar na Estação das Docas, Mangal, Parque da Residência e São José Liberto.
A discussão está em um nível, e você vem com bravata. Pede então pro teu governo que tá aí (já se passaram dois anos)e ainda não fez nadinha, deixar de cobrar a entrada no museu do Forte. Pelo menos poderíamos dizer que fez alguma coisa, a não ser usufruir daquilo que foi deixado pelos tucanos.

Anônimo disse...

Toma-te

Anônimo disse...

Ana Célia, pesquisa as tomadas de preços dos produtos e mercadorias adqiridas pelo Hangar. É tudo superfaturado.

Anônimo disse...

De fato esses mostram tudo: para fazer um evento de interesse da SEDUC, por exemplo, o governo paga ao hangar o mesmo que pagaria o lapinha para fazer um show no hangar.

É por isso que a UFPA está gastando mais de R$ 10.000.000,00 para fazer um auditório que só vai precisar usar três vezes no ano.

Anônimo disse...

O Vic não tá doido nao,ele é apenas oportunista.

Anônimo disse...

Ana Célia,
Se conhecesses o trabalho da Joana a tratarias com mais respeito.
Joana é uma das pessoas mais honradas que conheço e vem desempenhando um trabalho fantástico no Hangar - tenho lá minhas dúvidas se os demo-tucanos o fariam melhor.
Quanto as suas "opiniões", quem pesquisar saberá que são tendenciosas. Omitindo fatos, você acaba induzindo interpetrações errôneas.
O que não entendemos é que quando você batia no governo tucano era o Jader que lhe pagava. Agora que é o Liberal, quem deverá ser a vítima.
Espero que você mude,
Beijos,
Maria do Carmo Barreto