Ban

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

A besta

A Besta do Apocalipse



Pegou régua, caneta, papel. Desenhou diagramas. Somou, multiplicou. Consultou a Bíblia, o altar de São Jorge, as profecias de Nostradamus e até a Astronomia asteca:
_Estás vendo, Juliana! Eu bem que disse: dá 666! É a besta do Apocalipse!...
_Ô Juvenal, você não tem o que fazer, é? Besta do apocalipse é o diabo que te carregue!
_Mas, meu amor, isso é matemática pura!...
_Vem cá, ô Malba Tahan do Ver o Peso, será que não podes usar essa tua “habilidade” em algo mais construtivo? Tipo, GANHAR DINHEIRO?!!!...
_Você está é chateada porque eu descobri o segredo da sua família!...
_Mas que segredo, Juvenal? Tá ficando doido, é? Aliás, mais doido, né “mermo”? Bem que a minha mãe me disse: “minha filha, por que é que vais te casar com esse psicopata?... Já não bastam os doidos daqui de casa?... Tás querendo criar uma griffe de camisa de força,é?”...
_Ah, é? Mas até parece que era eu quem andava doido pra casar... Que eu me lembre, “queridinha”, era você quem se arrastava, de Círio em Círio, atrás de “moá”!...
_Agora, o homem surtou!... Deve de estar pensando que é algum George Clooney!... Só se for o George Clooney depois de um intensivão de Antarctica!...
_Ah, agora eu sou feio, é? E aquelas cenas de ciúmes que você fazia por causa da vizinha do 305, hem?...
_Aquilo, “queridinho”, foi antes de você virar esse clone piorado do Faustão!...
_Até parece!... Só pro seu controle, “queridinha”: na semana passada, uma colega do jornal me chamou de... Gostoso!...
_Mano, das duas uma: ou a sujeita tava bêbada, ou é uma baranga querendo aliviar a mixaria da tua carteira... Ah, pera lá, que tem uma terceira alternativa!... A mocréia tem vocação pra arqueóloga: adora uma múmia!...
_Pode debochar, “queridinha”!... Mas nada do que você disser vai mudar este fato: “A Besta do Apocalipse!”...
_Ô Juvenal, você quer parar com essa doidice?
_Mas, meu amor, eu posso provar o que estou dizendo!... Quantos irmãos você tem?...
_Você tá careca de saber, Juvenal: SEIS!!!... Aliás, desculpa pela careca, viu?: eu sei que você tem um trauma danado desse seu aeroporto de mosquito...
_Pode me provocar, “meu amor”!...Mas, eu não vou permitir que você desvie o foco da discussão!...Quantos sobrinhos você tem, “mermo”?...
_Ó Senhor, Senhor!... Por que logo comigo, SENHOR?!!!...
_Ô Juliana, pode parar com o melodrama!... Vamos lá: quantos sobrinhos você tem?...
_Sete, Juvenal, SETE!!!...
_E quantos filhos?
_Dois, Juvenal, DOIS!!!...
_Logo, “queridinha”, são sete na primeira geração e mais nove, na segunda. Ou seja, 16, “né mermo”?...
_Juvenal, pela última vez: ME DEIXA DORMIR!!!...
_Mas ainda temos a terceira geração: os filhos dos teus sobrinhos! Quantos eles são, “mermo”?
_Ô diabo de homem ENJOADO!!!...
_Vamos lá!... Quantos?...
_Quatro, Juvenal, QUATRO!!!...
_Que temos de somar a mais um, que é o teu neto!...
_Que neto, Juvenal?!!!... Que neto?!!!... Quem tem neto és tu... E bisneto e tataraneto, porque és que nem aqueles zumbis da Volta dos Mortos Vivos: é só a gente assoprar que sai caindo aos pedaços!...
_Então, vejamos: quatro mais um – que é o teu neto... Ah, me desculpe, o seu “sobrinho”!... Dá cinco, “né mermo”?
_É Juvenal, É!!!...
_Logo, temos sete descendentes da tua mãe na primeira geração, nove na segunda e cinco na terceira...
_E DAÍ?!!!...
_Isso dá 21. Mais três...
_Três do que, já?...
_Ora, meu amor, dois que, certamente, nascerão dos seus sobrinhos e mais um - que virá de você!...
_Tá ficando doido, é, Juvenal? Desde quando eu vou ter mais um filho? E logo com você!... Só se for pra eu batizar o coitado de Desgosto!... Ademais, desde quando os meus sobrinhos terão, “necessariamente”, mais dois filhos?...
_Querida, isso é uma questão biológico-matemática: os nove só tiveram cinco filhos. Quer dizer, ainda não reproduziram o suficiente!... E o mesmo se pode dizer de você...
_Tá bom, Juvenal, já entendi: você tá querendo trepar, né mermo?
_Mas por que será que vocês, mulheres, têm essa mania de reduzir tudo a sexo?
_Juvenal, você tá ficando goiaba, é?
_Na, na, ni, na, não!... Esses são os “argumentos” prediletos de vocês, sempre que percebem que vão perder uma discussão!... Primeiro, esfregam a calcinha na cara da gente... Depois, se a gente recusa, vão logo dizendo que a gente é boiola... Não, “queridinha”, nada de desviar o foco!... Então, temos 24 descendentes da tua mãe, o que dá seis...
_Como é que é?
­_Ora, meu amor, essa é uma redução numerológica básica: dois mais quatro!... Bom, se pegarmos esses seis e multiplicarmos pelo número de gerações envolvidas - que são três – teremos, então, 666, que é o número da besta...
_Ô Juvenal, pera lá!... Desde quando que três vezes seis dá 666? Dá dezoito, sua anta!...
_Anta é você, “queridinha”, que não percebe a sutileza dessa conta: três vezes seis dá dezoito, de fato. Só que 18 contém três vezes o número seis. Ou seja: 666!
_Tá bom, Juvenal!... Vamos supor, seu goiabão metido a Houdini das matemáticas, que o número de descendentes da minha mãe dê 666... O que é que isso tem a ver?
_Mas não está claro, ó inteligência rara? Isso quer dizer que um de vocês é a Besta do Apocalipse!!!...
_Não vem não, Juvenal, não vem não, que agora você está passando dos limites!... Desde quando eu sou a besta do Apocalipse, já?
_E quem foi que disse que é você, “queridinha”?... O seu mal é achar que o mundo gira ao seu redor até no final dos tempos...
_Então, quem seria, já, essa besta, seu jumento enlouquecido?
_Ora, não está claro, meu amor? Obviamente que é a sua mãe...
_É a tua, Juvenal, é a tua!... Besta do Apocalipse é a tua mãe, aquela anciã metida à cocota!...
_Agora você ofendeu deliberada e injustificadamente a minha mãe!...
_Você ofendeu a minha primeiro, seu goiabão!!!... Matemático de araque!!!...
_Eu não ofendi ninguém: apenas, revelei a verdade!...
_Que verdade, já? Você fez aí foi uma gambiarra místico-matemática, só pra ofender a minha mãe!... Mas, eu mereço, EU MEREÇO!!!...Quase duas da manhã, e esse sujeito, em vez de estar me fodendo, fica aí com essa Escatologia DE MERDA!!!...
_Você tá a fim, é?
_Do que, já?
_De botar a perereca pra coaxar?...
_Égua, Juvenal, como você é indecente...
_Safada... Vadia... Cachorrona...
_Para, Juvenal...
_Põe a mão aqui, no teu falso profeta, põe...
_Safado... Me deixa ser a besta do apocalipse, deixa!...

(Pano...RÁPIDO!!!... )


(Belém, 21/02/2008)

Um comentário:

JANJÃO disse...

MUITO BOM! ESTAVA DE PÉSSIMO HUMOR, MELHOROU MUITO DEPOIS QUE LI EESTE TEXTO, PARABÉNS.