Ban

segunda-feira, 7 de maio de 2012

A República da Perereca


Minha irmã se abria quando eu me referia à mamãe como “a primeira dama de Anajás”...

É que meu pai foi vice-prefeito e prefeito de Anajás e, possivelmente, o único deputado estadual eleito por aquele estratégico município paraense...
  
Às vezes, eu dizia à mamãe que iria levá-la a Anajás, para que me ajudasse a resgatar a herança política familiar. 

E até planejei o marketing político dessa inovadora campanha eleitoral: distribuiria a rodo toalhas de mesa, cortinas, pratos, copos, tudo de “prástico”, com a minha cara e cabelos desgrenhados devidamente estampados em tais ferramentas pedagógicas, que fariam até os gregos se tremerem de inveja...

(A bem da verdade, esse inovador planejamento de maketing nem foi só meu. Mas, se quiser mesmo enveredar pela política, tenho de ir treinando para surrupiar até as ideias alheias...).

Também distribuiria as indefectíveis cestas básicas (feijão, arroz, carne enlatada, pão bolorento), além de óculos, dentaduras e cirurgias, para a ligação de trompas, realizadas por um açougueiro qualquer. 

Mas a minha principal peça de campanha seria mesmo a ampla, geral e irrestrita distribuição de mosquiteiros, para conter o avanço da malária, que, entre 2000 e 2006, registrou quase 72 mil casos em Anajás - ou o triplo dos  habitantes da cidade.

Uma vez eleita, iniciaria, então, uma Nova e Extraordinária Era de Desenvolvimento da História de Anajás. A República da Perereca! A Casa Grande revisitada! 

Em primeiro lugar, os mosquiteiros: seriam tantos, mas tantos, que teriam de ser adquiridos através de concorrência internacional.

Concorrência, é claro, devidamente fraudada. E superfaturada.

De início, coisa pouca: só uns 200%. 

Mais tarde, com os aditivos de preço e de prazo (os mosquiteiros seriam de fornecimento contínuo por uns dez anos) elevaria essa margem para 1000%. Afinal, é preciso algum cuidado para não abespinhar os tribunais de contas...

Sob a minha administração, a Prefeitura de Anajás também implantaria um Novo e Extraordinário Modelo de Gestão.

Através de milionárias dispensas de licitação – ou de licitações milionárias devidamente viciadas – contrataria construtoras para realizar transporte escolar. E transportadoras para a execução de obras de engenharia.

De preferência, transportadoras e construtoras dedicadas à Estratégica Missão de lavagem de dinheiro para o crime organizado, eis que nesses casos a propina é muito mais parruda...

E, levando a inovação à glória, a rios nunca dantes navegados, contrataria até uma distribuidora de produtos eletrônicos para fornecer protetor solar às populações ribeirinhas!

Tudo em nome da modernização, do progresso, do ecletismo empresarial!

Nesse Novo, Extraordinário, Fantástico Modelo de Gestão também criaria dezenas, centenas, milhares de assessorias especiais e DAS, com salários arretados: dez, vinte vezes o que ganha um barnabé comum.

E todos esses cargos, obviamente, seriam entregues à minha grande e ampliada família: irmãos, filhos, sobrinhos, genros, tios, primos, amantes, sem esquecer é, claro, da minha mãe, que, apesar de já estar com 85 anos e quase nem conseguir andar, certamente que ainda poderia contribuir muitíssimo como Grande Secretária de Gestão de Anajás.

Afinal, quem mais habilitado e confiável do que um parente?

Mas esse Novo e Extraordinário Modelo de Gestão também abrangeria uma Nova e Extraordinária Rede Adesista, pessoal e institucional.

Assim, em minhas assessorias especiais também haveria lugar para empregadas domésticas de deputados e vereadores; filhos e sobrinhos dos senadores; mulheres, maridos e filhos de juízes e promotores;  primos de conselheiros dos tribunais de contas. E, é claro, para toda a parentada dos auditores da Receita Federal.

Aliás, também beneficiaria igrejas e ONG’s: seriam convênios e mais convênios, parrudos convênios, mesmo que as ONG’s nem existissem.

Afinal, seria uma forma de repassar dinheiro às campanhas políticas de meus aliados e de evitar que igrejas e entidades fossem usadas por desocupados, desses que insistem em fazer oposição até mesmo a  novos e extraordinários projetos de desenvolvimento.

E quem não quisesse se enquadrar, no problem: meus conselheiros de contas, promotores e juízes cuidariam de eventuais rebeldias.

Aos jornalistas reservaria meu tratamento especial 666.

Em primeiro lugar, uma enorme, paquidérmica, verba de propaganda, maior até que a destinada à compra de mosquiteiros.

Seriam milhões e milhões em matérias pagas, anúncios, editais, campanhas, encartes – e não só da Prefeitura, mas, também, de empresas que recebessem incentivos e tratamento especial do Município.

Mas não apenas as grandes empresas jornalísticas de  Anajás e das imediações de Afuá seriam beneficiadas.

Também os jornalistas seriam acarinhados por esse Novo e Extraordinário Propinoduto, digo, Modelo de Gestão.

Todos que desejassem (e quem não desejaria?) também seriam agraciados com DAS e Assessorias Especiais. 

E não apenas para eles. Mas, também, para seus filhos, maridos, esposas, irmãos, cachorro, periquito e papagaio... 

E ai, ai!, caríssimo leitor, dos jornalistas que ousassem se insurgir contra essa ampla, geral e irrestrita liberdade de falar bem de mim: às galés! Às galés!...
  
A Pax Romana seria varrida para os cafundós de Judas dos livros de História, diante dessa Nova e Extraordinária Pax Pererecal!

A propina em conta gotas! A corrupção em suavíssimas prestações!

Seria o Novo Anajás! Gigantesco! Indivisível!
Absolutamente inimitável, em termos de patifarias!

Pensando bem, que bom que nunca me elegi prefeita de Anajás.

E que nada disso existe no estado do Pará. Não é mesmo, caro leitor? 
   

13 comentários:

Anônimo disse...

olá Perereca, isso existe sim no Pará e faz fronteira com Anajás. Perceba de onde partiu a sua inspiração. Dei uma pesquisada e análise que a situação hoje é bem pior em Muaná,e que sua Republica já existe, infelizmente. Daniel
http://www.youtube.com/watch?v=Ny1a7VK6DNM

Anônimo disse...

Caso houvesse alguma dúvida quanto ao planajamento elaborado você poderia ligar para o prefeito de Belém, ele com certeza lhe daria mais idéias desse nível. abrs Ricardo.

Anônimo disse...

Perereca, acredito que andastes exagerando no goró ou acrescentastes algum aditivo suspeito para alcançares uma viagem tão pesada quanto esta. Já estive em Anajás, aqui jaz, alcatraz... que minha veia poética me permitiu adicionar tais conclusões devido a umas experiências que por lá vivi e que quase me trazem consequencias funestas a ponto de hoje, me considerar um sobrevivente de tal aventura. Lá eu vi tráfico de drogas, trabalho infantil, trabalho escravo, tráfico de influência descarado, nepotismo, paumandonismo, alcoolismo, malária, ameaças, medo, silêncio e tanta lambança, mas tanta como nunca tinha visto na vida e em tão poucos 5 ou 6 dias que passei por lá. Na volta a Belém ainda passei uns 5 dias hospitalizado por uma doença que até hoje não foi diagnosticada, por lá adquirida e que quase me mata.
A única boa lembrança que guardo de lá, foi deixada pela imagem de uma menina de uns 13 anos, sentada na soleira da porta de sua casa, muito concentrada lendo "O código Da Vinci" quando eu andava por uma das ruas estreitas por cima de umas pontes de madeira.
Tudo me leva a crer que em Anajás, aqui jaz, alcatraz, devido o buraco ser muito mais embaixo, tem que jogar várias pás de cal e começar tudo de novo, do zero.
Fernando.

Anônimo disse...

Nao esquecamos de realizar "grandes" eventos esportivos como torneio de atletlismo, que gasta milhoes do nosso suado dinheirinho e que o retorno é quase nenhum. Somente servindo para fins midiaticos de um governo incompetente.

Anônimo disse...

R$ 3 milhões do Google estão bloqueados pela justiça do Pará.
Em mais um embate em tribunais brasileiros, o Google foi obrigado a tirar do ar um blog hospedado no Blogger e teve contas correntes no valor de R$ 3 milhões bloqueadas pela justiça. Dessa vez o processo foi movido no Pará por um juiz que acusa o tal blog de tê-lo difamado.
A batalha que o Google enfrenta é contra o juiz Gabriel Costa Ribeiro, da cidade de Rondon do Pará. A alegação do juiz é de que o blog “Rondon sem Censura”, hospedado no Blogger, publicou informações que feriram sua honra. Ele ajuizou ação pedindo a remoção do blog, o que lhe foi concedido. Ao Google coube cumprir a ordem ou arcar com multa diária de R$ 100 mil, além de ter suas contas correntes no país, com R$ 3 milhões, bloqueadas.
A decisão foi proferida nesta terça-feira e o Google já recorreu. Não só: a empresa também acusa o juiz responsável por julgar o caso, Alexandre Hiroshi Arakaki, de suspeição, ou seja, de não ser totalmente imparcial no caso em tela. O Google sustenta essa acusação dizendo que a propositura da ação original pelo juiz Gabriel se deu na comarca onde o mesmo é o único juiz no período entre 15 e 17 de fevereiro, quando ele tirou licença-médica. A empresa ainda alegou que “o bloqueio judicial feito com rapidez e agilidade fora dos padrões do judiciário”.
Casos do tipo já não são novidade e em pendengas passadas o Google saiu vitorioso — a nosso ver, justamente. O STJ concorda que a culpa deve recair sobre quem publica, não sobre o meio usado para veicular o material, de modo que grandes são as chances de a decisão ser reformada quando chegar a instâncias superiores.
Tentamos entrar em contato com a assessoria do Google Brasil para ouvir o lado da empresa, mas até o momento não tivemos retorno. Assim que recebermos uma resposta, este post será atualizado.
Hoje cedo conversamos com a Fabiana Siviero, diretora jurídica do Google, sobre a questão. Ela nos informou que o Google não tirou o blog do ar por acreditar que o conteúdo questionado judicialmente responde por uma parte ínfima do mesmo, logo, não justificaria a remoção dele por inteiro já que há muita coisa que não diz respeito ao litígio. A empresa também conseguiu um efeito suspensivo na multa diária por manter o blog no ar e recorrerá da decisão, conforme descrito na notícia originjal. BLOG DE RONDON CENSURADO POR JUIZ

Anônimo disse...

E por lá não chegou a milionária caravana Presença Viva de tão altos ideais e orçamentos? Afinal esse é o governo midiático que na TV pinta o Pará de cor de rosa e do qual só sabemos dos fatos reais pela edição nacional da Globo e de blog como o seu que realiza pesquisa isenta.

Mestre Chico Barão disse...

Coisa de Pobre

Cara Perereca

É com pesar que identifico síndrome de pobreza na sua visão administrativa!

Usar pratos , toalhas e copos PRASTICOS é uma delas, é coisa de pobre, se em sua visão você realmente quisesse ser mais convincente, usaria pratos de porcelana chinesa (não as genéricas) , toalhas persas e copos de cristal Baccarat , afinal daria sensação de fartura e poderiam ser recolhidos e ainda arranjar algum usando o art. 334 do Código Penal brasileiro, multando os eleitores por descaminho!

Novamente coisa de pobre que se baseia em papel jornal, o correto para uma futura milionária era usar o computador e baixar via Emule o marketing da Somália ou da Coréia do Norte porque rico gosta é de importado!

Continuas no feijão com arroz quando imaginas cestas de feijão com arroz, tinhas que distribuir era ponto facultativo nas Sextas criando a santíssima trindade de feriado e distribuir Viagra para o povo se fubicar aumentar o numero de eleitores e mão de obra digna de salário importado (da China)!

Mana mosquito é linguajar de baixada sofistique sua demanda e combata Insetos dípteros e distribua xerox em papiro egípcio do santo sudário autenticada pelo Apostolo Valdomiro que alem de proteger do mal e do mau transformara todos em fieis no voto e no dizimo, já pensou na inovação , dizimo e urna aditivados e o prazo de validade dos aditivos chegando ao pós tumulo!

Dispensa de Licitação ou licitação milionária para transporte e construção, saia da zona paupérrima do Bolívar Venezuelano, evolua para riqueza que pode gerar você criar ONGS , pense em libra esterlina , tu faz o cambio é dando que se recebe, tu da para tua ONG e ela te da de volta em dobro, somando o que tu deu e o que ela arrecadou por fora lá fora vendendo controle de car e abono , tudo na base Clean” washed dried and ironed”!

Só pobre pensa em empregar parentes, amigos e aderentes , perereca quem emprega essa turma só recebe a metade do salário , rico emprega é desconhecido recebe o salário integral todo mês e quem quiser alguma grana que arranje um contador para receber a restituição do imposto de renda descontado na fonte, todo mundo aceita pois ganha sem fazer nada ou tu não conhece a figura FANASLA (Fantasma de Aspone Lagarta)!

TCM, TCE , TJE e publicação da terrina , sua pobreza me cansa , pense nos grandes STJ, STF e Veja, afinal em se tratando da revista tu não gasta dinheiro com propaganda paga só com manchetes sobre os inimigos !

Ai meu Deus do Céu , liso quando arruma algum fica logo satisfeito , se conseguem um DAS (Direção e Assessoramento Superior) e um AE ( Assessoria Especial) ficam tão contentes que até se tão o luxo de desperdiçar um gorda FG ( Função Gratificada).

Eu também sou contra a divisão, porem infelizmente eu não posso tirar a faixa branca que já divide nossa bandeira, afinal lá tem uma estrela azul, uma listra branca com uma estrela azul é tão complicada, pois mistura Remo e Paissandu!

São por essas e outras que tu não arrumas um príncipe para te beijar e tu desencantar em princesa, eis uma perereca borralheira que só vai perder sapatinho melissa e voltar pra casa em carruagem de jerimum puxada por catita!

Ainda bem que esse não é um ano de Pax Britânica , não haverá hegemonia inglesa, é um ano de Pax Syriana resta saber qual é o líbio!

MCB

Anônimo disse...

Reportagem: Colunista da Veja, Lauro Jardim.

O Google está perdendo uma batalha milionária contra o juiz Gabriel Costa Ribeiro, da cidade de Rondon do Pará. O magistrado alega que o blog Rondon sem Censura, hospedado no serviço Blogspot, do Google, tem publicado informações que ferem a sua honra. A Justiça paraense determinou que a empresa tirasse o site do ar em 24 horas, sob pena de pagamento de multa diária de 100 000 reais. Também foi ordenado o bloqueio de contas correntes do Google no valor de 3 milhões de reais.
Além de recorrer do caso, o Google entrou com uma ação de suspeição contra o juiz Alexandre Hiroshi Arakaki, responsável pela decisão. A empresa alega que “o bloqueio judicial feito com rapidez e agilidade fora dos padrões do judiciário”. Além disso, o Google afirma que o juiz Gabriel Costa Ribeiro propôs a ação na mesma comarca em que é único juiz, só não ficando com o processo nas mãos porque pediu uma licença-médica entre 15 e 17 de fevereiro.
(Atualização às 12h41: uma liminar concedida pelo CNJ em 13 de abril impede que o juiz saque a quantia bloqueada do Google.)

Anônimo disse...

Blog Censurado por juiz de dom Eliseu volta ao AR.

O blog "Rodon Sem Censura", que foi censurado e tirado do ar a mando do Juiz Gabriel Ribeiro da comarca de Dom Elizeu, já voltou ao ar. Os advogados da Google do Brasil, impetraram recurso junto ao Tribunal de Justça do Pará,solicitando a volta do blog ao ar. A Desembargadora Gleide Pereira Mourasuspendeu a decisão proferida pelo juiz de Dom Elizeu.
Os advogados da Google do Brasil afirmaram que " Os comentários lançados em nada ferem a honra do agravado pois em sua maioria não há sequer menção do nome do mesmo". O Juiz Gabriel, argumentou que o blog fez cometários que feriram sua honra.
A empresa afirmou ainda que a remoção imediata do blog inteiro, causou uma gritante desproporção na aplicação da razoabilidade, já que o direito à liberdade de expressão do "blogueiro" foi prejudicado. A mesma decisão suspendeu a multa de R$ 100 mil reais ao editor do blog Dr. Marcelo. Só que precisamos ficar atentos, pois ainda tem o julgamento do mérito. Solicitamos aos internautas e bloguerios que enviem comentários de solidariedade ao blog http://rondonsemcensura.blogspot.com.br/ e emails ao presidente do TJE solicitando o fim da censura aos blogueiros do Pará.
Ato Contra a Censura

No dia 17 de maio os Blogueiros Progressistas do Pará irão realizar um ato festivo contra a censura aos blogs no Pará.

Anônimo disse...

Seria bom se conseguisse por em prática seu plano de gestão, aí quem sabe o município de Anajás pudesse fazer uma Associação de municípios com Tucuruí para divulgar esse modelo "Novo Tempo".

Anônimo disse...

Perereca tu que faze o que a dinastia Serrote já faz em Muana

Anônimo disse...

http://tombonfim.blogspot.com.br/2011/08/prefeitura-de-tucurui-envolvida-em.html

Anônimo disse...

olá Perereca, infelizmente te disse que sua ideia não foi original. Está republica já existe.
Veja
http://heidernunes.blogspot.com.br/2012/05/caos-na-saude-de-muana.html

Daniel