Ban

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Hidrelétricas projetadas para o Tapajós lembram o filme Avatar. Ou seria a arrogância de Fordlândia?

O jornalista Jota Ninos, da nossa querida Santarém, mandou, e a Perereca reproduz, reportagem veiculada pelo jornal O Globo, no último dia 7 de janeiro, sobre as cinco novas  hidrelétricas que o Governo Federal planeja construir na região do Tapajós.
 
É  coisa do filme Avatar. Ou melhor, do tamanho da arrogância do projeto de Fordlândia, onde Henry Ford enterrou milhões de dólares - mas milhões de dólares dele.

 
Na época, a megalomania capitalista – que alguns preferem chamar de “otimismo” – acreditava que nada era impossível diante do seu “esplendor”, e que até fazia um favor ao trazer a "majestosa civilização" a esses “selvagens”, que somos todos nós.

 
Hoje, a visão do Governo Federal é muito parecida. Destruir milhares e milhares de hectares de floresta, encher de hidrelétricas um catatau de rios? No problem! Tudo é facilmente recuperável! Todos os impactos podem ser reduzidos ao mínimo do mínimo!


Remanejar milhares e milhares de pessoas, retirando-as à força da terra onde nasceram e cresceram? No problem! Afinal, são apenas alguns milhares de “selvagens”, aos quais mostraremos, aliás, como é maravilhoso pertencer a esse “Admirável Mundo Novo”!

 
Que coisa mais ensandecida! E o que é pior: projetada com dinheiro público. Com o dinheiro, inclusive, destes “selvagens” aqui!

 
Além dos impactos sobre o frágil sistema amazônico, certamente que ainda assistiremos à chegada de milhares, milhões de migrantes. E cadê o dinheiro pra fazer frente a essas demandas? Cadê o dinheiro pra escola, pra hospital, pra saneamento?


 
Na região de Belo Monte,  cidades como Altamira e Vitória do Xingu vivenciam um caos impressionante, porque não há dinheiro para atender ao mar de gente que vem chegando a esses municípios.

 
A Norte Energia, responsável pela construção de Belo Monte, não tá nem aí, descumpre no maior perobal as condicionantes para a construção dessa usina.

 
Olha só a porrada que assistimos recentemente entre a Norte Energia e o Governo do Estado em torno de uma mixaria – sim, porque até mixaria nos querem negar!

 
E enquanto tentam nos enfiar goela abaixo esse Belo Monte de merda com todos os seus desastres, já vêm com mais cinco hidrelétricas, diz que “bollywoodianas”, para o Tapajós.

 
E depois os bilés somos nós...

 
Aqui o link da reportagem de O Globo:
http://oglobo.globo.com/economia/ficcao-cientifica-la-avatar-no-rio-tapajos-3594046

2 comentários:

Anônimo disse...

Perereca,

O Histerismo e o Terrorismo estilo Global Society não pega mais.
O povo não é mais tão burro assim

Deveriam fazer uso desse tipo de ativismo carnavalesco para os grandes desastres petroquímicos como o Golfo do México. As maiores hecatombes ecológicas mundiais, inclusive, são do Petróleo ou do nuclear.

Energia Hidroelétrica é energia renovável...é a água que move o mundo.... a energia limpa....

Custo - Beneficio - Resultado

Tiberio Alloggio

Valfredo Marques Jr. disse...

Boa Tiberio, e vou mas longe frequento com frequencia a região onde será se Deus quiser construido as hidrelétricas do complexo Tapajós e o que se observa é um povo sofrido com a falta do estado e alguns ongueiros mentindo, iludindo e fumando maconha e dentre esses alguns padres que se quer rezaram uma ladainha, coloco em dúvida até se são padres de verdade.