Ban

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Cúpula do MPE lava as mãos e Arnaldo Azevedo deve retornar a Paragominas. Transferência do promotor vai prejudicar investigação do escândalo da Alepa. Cidadãos precisam agir.


O Ministério Público precisa se conscientizar de que é como a mulher de César: não lhe basta ser honesto; tem, também, de parecer honesto.

E o retorno do promotor Arnaldo Azevedo à Comarca de Paragominas é um desses episódios que levantam sérias dúvidas sobre o comportamento do MP.

Arnaldo é o corajoso promotor que comanda as investigações, na área criminal, dos escândalos da Assembléia Legislativa do Estado do Pará (Alepa).

Está à frente, portanto, de um caso que envolve os poderosos interesses das Vossas Excelências.

Tudo bem que o retorno de todos os promotores às comarcas de origem atende à determinação do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e vai ao encontro de um anseio social.

Mesmo assim, a cúpula do MP estadual deveria envidar esforços para mostrar ao CNMP a necessidade de abrir exceção para a permanência de Arnaldo Azevedo em Belém, tendo em vista o enorme interesse público da investigação que está sob a responsabilidade dele.

Na semana passada, promotores dos Direitos Constitucionais e Patrimônio Público encaminharam documento ao procurador geral de Justiça, Antonio Barleta, alertando que a saída de Arnaldo Azevedo prejudicará, certamente, o andamento dessa investigação, que se encontra bastante adiantada.

É até uma questão de lógica: o promotor que vier a substituir Arnaldo consumirá preciosos meses apenas para se inteirar da quilométrica papelada processual.

No entanto, a nota hoje publicada pelo jornal O Liberal, na coluna Repórter 70, confirmando o retorno do promotor a Paragominas, já no início de janeiro, leva a crer que o comando do MPE preferiu, simplesmente, lavar as mãos.

Ou seja, a mulher de César não está nem aí para os questionamentos que o seu comportamento poderá levantar entre o distinto público, apesar de ser o distinto público a custear-lhe o sustento.

O escândalo da Alepa é o maior que já envolveu a Casa, em todos os tempos, e a estimativa do próprio MP é que tenha causado aos cofres públicos um rombo superior a R$ 120 milhões, apenas nos últimos cinco anos.

Não há, portanto, justificativa para a inação da cúpula do MPE, diante do prejuízo certo a uma investigação desse porte - o que só tende a reforçar a certeza de impunidade das quadrilhas, que, a cada dia com maior despudor, assaltam os cofres públicos paraenses.

A Perereca sugere aos cidadãos que façam o que não fez a cúpula do MPE: que se mobilizem e encaminhem emails e abaixo assinado ao CNMP mostrando o interesse público que está em jogo na permanência do promotor Arnaldo Azevedo na investigação do escândalo da Alepa.

Que se abra uma justíssima exceção, tendo em vista os valores e interesses envolvidos nesse caso.

Quem sabe assim, diante de uma decidida interferência dos cidadãos, a mulher de César perceba que, nestes novos tempos, já não há lugar para comportamentos desse tipo.

17 comentários:

Anônimo disse...

JORNALISTA ANA CÉLIA:
1. Vou direto ao ponto (G?):
Você é uma mulher admirável, corajosa, competente e uma das maiores jornalistas deste País.
2. A população paraense sente NOJO dos políticos do Pará.
XPTO

Anônimo disse...

Por conta do grande acesso ao blog Perereca, sugiro que você comece a campanha. Quero logo assinar.

Anônimo disse...

Análise perfeita perereca:"confirmando o retorno do promotor a Paragominas, já no início de janeiro, leva a crer que o comando do MPE preferiu, simplesmente, lavar as mãos."
Ora, a análise é simples: se a cúpula do MPE lavar as mãos, é porque certamente "alguém" está disposto ou se propôs a "MOLHAR AS MÃOS DO MPE".
Mas Molharem as mãos do MPE??? Ate aqui nenhuma novidade do Pará unido na roubalheira...

Anônimo disse...

Isso já era esperado. Precisa ser uma limpeza geral nos órgãos. Estão todos corrompidos. Uma ação da polícia federal a exemplo do que aconteceu num estado vizinho, onde até o governador foi preso. A justiça do pará então nem se fala.

Anônimo disse...

Perereca,
Estamos dinte do chamadop PACTO PELA BANDALHEIRA.

João martins

Anônimo disse...

Perereca,

Informações, de fontes confiáveis, indicam que um Senador, envolvido nas bandalheiras na ALEPA, estaria, lavando dinheiro, com construções de imóveis na região metropolitana e investimento em Clube de futebol em Salinas.

Eraldo lima

Anônimo disse...

Sinceramente eu já esperava por uma manobra desse tipo...agora me deu medo!!! ninguém para lutar por nós! e ainda temos que aguentar esses ladrões por onde estamos...uma vergonha!!! UMA SUJEIRA!!! VAMOS SAIR NAS RUAS, VAMOS FAZER ALGUMA COISA...

Anônimo disse...

Não resta dúvida nenhuma, a permanecer a transferência, estará confirmado o acobertamento, pela cúpula do MPE, da roubalheira instituida no pobre Pará!Uma vergonha!

Anônimo disse...

Eu sabia desde o início que não ia dar em nada, afinal de contas aqui é o Pará, "Terra de Corruptos".

Anônimo disse...

Putz Perereca! e agora,em quem acreditar?

Anônimo disse...

Uma vergonha!!! Sem o Promotor Arnaldo, tudo será esquecido!!!

Anônimo disse...

Cade o interventor da OAB? Por que esse cidadao nao toma nenhuma providencia? Por que ele nao convoca a sociedade para um ato publico em frente ao MPE? Ja to comecando a pensar que essa imobilidade ja estava pactuada com ophirzinho e zão. Era esse o motivo da intervencão? Com a palavra a OAB, e que não seja a Ó A BESTA!

Anônimo disse...

PERERECA CADÊ A OAB/PA DOS INTERVENTORES????
TIRARAM O JARBAS E AGORA?????
ELA ESTÁ CALADA????
OS INTERVENTORES PARARAM A OAB/PA, SÃO INCOMPETENTES, DITADORES, E COMPACTUAM COM O OPHIR JÚNIOR QUE NÃO TEM INTERESSE NENHUM EM LUTAR CONTRA A CORRUPÇÃO EM NOSSO ESTADO, MESMO PORQUE ELE RECEBE DIGAMOS UMAS BOAS BENESSES DESSE MESMO MESMO ESTADO CORRUPTO!!!!

Anônimo disse...

Ou a sociedade começa a mostrar sua insatisfação com essa roubalheira, ou então continuaremos a ficar sabendo da roubalheira desses pilantras através das redes sociais, porque as grandes mídias já ganharam o seu cala boca. Mas uma luz no fim do túnel, ainda que pequena, parece começar a ganhar intensidade, pois o acesso a estes sites, como este, começam a aumentar, e quem sabe uma conscientização maior consiga mobilizar a sociedade que parece anestesiada.

Anônimo disse...

Esqueçam o MP vamos chamar o pessoal do CQC.

Anônimo disse...

Perereca, vou ser sincero, esse promotor tem mais é que voltar para a comarca dele, um promotor que vai a televisao dizer que ação de improbidade é mais penosa que a ação penal da qual ele é responsável, pera lá. Falar uma bobagem dessa é o fim da picada. Mais, ele ainda não ajuizou nenhuma ação, não pediu prisão preventiva, indisponibilidade de bens no momento apropriado etc. Te digo mais, tem promotor muito mais corajoso, esperto e inteligente no MInistério Público que está em comarca mais distante. Então não bajule esse senhor que ele não merece.

Anônimo disse...

A deputada simone morgado, depois que foi denunciada no escandalo, perdeu a pose de chamar todo mundo de ladrão, e desapareceu de Bragança. Agora, parece que a coisa começou a esfriar, voltou a aparecer e tirar onda de dona da verdade e da moralidade.