Ban

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Advogado pode pedir investigação judicial das contas de Jatene: triangulação e doação de hospitais



Pelo menos seis empresas mineiras – incluindo dois hospitais privados que atendem pacientes do SUS – doaram dinheiro para o Comitê Financeiro Único do PSDB do Pará, responsável por quase 98% das receitas declaradas pelo governador eleito Simão Jatene, em sua prestação de contas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O comitê também recebeu recursos do empresário Welington Brasil Zucato, que possui mais de 938,000 hectares embargados pelo IBAMA, no estado do Mato Grosso, por irregularidades na exploração dessas áreas.

À exceção do empresário Fernando Flexa Ribeiro, que se elegeu senador pelo PSDB e doou dinheiro com o CNPJ de candidato, Zucato foi a pessoa física que mais contribuiu com o comitê: R$ 200 mil. Além disso, ele só realizou mais uma doação eleitoral, em todo o Brasil: R$ 300 mil para o governador reeleito do Mato Grosso, Sinval Barbosa, do PMDB.

Cinqüenta e duas empresas de transporte, agronegócios, construção civil  e de industrialização mineral e de alimentos foram responsáveis por mais de 70% das receitas do comitê. 

Entre as empresas, a maior doadora foi a transportadora Della Volpe S/A Comércio e Indústria, sediada em São Paulo, que contribuiu com R$ 1 milhão.

No site dela, consta que é responsável pelo abastecimento de todos os almoxarifados da Vale, no Norte, Nordeste e Centro Oeste do Brasil.

Em maio de 2006, o diretor de uma das empresas do grupo, José Della Volpe, foi preso pela Polícia Federal durante a “Operação Castores”, sob suspeita de participar de um esquema de corrupção, estelionato e tráfico de influência, em grandes empresas do setor elétrico.

O mais grave, porém, é a presença na lista de doadores do comitê de dois hospitais que recebem recursos públicos, já que prestam serviços ao SUS.

Ontem, o advogado Inocêncio Mártires, que atuou na campanha da petista Ana Júlia Carepa, adversária de Jatene na disputa pelo Governo, disse que poderá entrar com um pedido de investigação judicial do problema, que, em tese, poderia levar à cassação de Jatene, por recebimento de recursos financeiros de fonte proibida pela Legislação.

Triangulação

Da mesma forma que aconteceu em 2002, quando foi eleito pela primeira vez ao Governo do Estado, também em 2010 a esmagadora maioria das doações financeiras chegou à campanha de Jatene através de uma triangulação: os recursos foram repassados ao Comitê Financeiro Único do PSDB, que repassou o dinheiro à campanha do tucano - e acabou figurando como o seu principal financiador.

Dos mais de R$ 5,4 milhões em receitas declaradas por Jatene ao TSE, quase R$ 5,3 milhões vieram desse comitê. 

Outros R$ 100 mil foram doados pela Facepa, uma empresa paraense de celulose, e pouco mais de R$ 13 mil por André Dias, Cilene Couto e Zenaldo Coutinho.   
 
O Comitê Financeiro Único do PSDB (CNPJ: 12.229.905/0001-17) teria arrecadado, no total, R$ 9,5 milhões.

Desse total, mais de 70% (ou R$ 6,689 milhões) vieram de empresas e quase 25% (R$ 2,340 milhões) dos diretórios nacional e estadual do PSDB e do Comitê Financeiro Nacional para Presidente da República.

Apenas R$ 508.143,99 vieram de pessoas físicas, sendo que as doações de Flexa Ribeiro e Welington Zucato somaram R$ 400 mil.

Para o advogado Inocêncio Mártires, a triangulação tem um objetivo claro: dificultar a identificação das fontes de financiamento do tucano.

Sobre as doações de dois hospitais que prestam serviços ao SUS, ele disse que o fato pode ensejar um pedido de investigação, até com perícia contábil das contas do tucano, e que pouco importa o valor dessas doações, uma vez que se trata de fonte vedada por lei.

“Temos de ver até a data dessas doações e o quanto os serviços do SUS representam financeiramente para esses hospitais. Creio que será preciso uma investigação eleitoral”, disse.

Ele também considerou “muito suspeita” a triangulação e estranhou, inclusive, a quantidade de empresas localizadas num mesmo estado (Minas Gerais) que doaram dinheiro aos tucanos paraenses.

Afirmou estar atento a “esse tipo de expediente” (a triangulação) e que estudará a questão de forma mais profunda tão logo retorne de Brasília.

Inocêncio ainda considerou suspeito o fato de as maiores doações recebidas pelo comitê serem oriundas de “fichas sujas”.

Total Receitas Jatene:  R$ 5.410.880,97

Doadores
André Teixeira Dias:  R$ 6.454,00
Cilene Lisboa Couto Marques: R$ 3.884,99
Facepa: R$ 100.000,00
Zenaldo Rodrigues Coutinho Junior: R$ 3.090,00
Total: R$ 113.428,99

Comitê Financeiro Único: R$ 5.297.451,98
Ou quase 98% das receitas de Jatene

Total das receitas do Comitê: R$ 9.537.143,99
Sendo:
R$ 2.340.000,00 de diretórios partidários
R$ 508.143,99 de pessoas físicas ou candidatos
R$ 6.689.000,00 de empresas (mais de 70%)

Maiores doadores do Comitê:
Diretório Nacional: R$ 1.840.000,00
Pessoas Físicas
Welington Brasil Zucato (CPF:713.835.498-34). Transferência Eletrônica: R$ 200.000,00
Fernando Flexa Ribeiro (CNPJ de candidato: 12.167.217/0001-70). Depósito em Espécie: R$ 200.000,00.

Empresas que doaram mais de R$ 50 mil:

Alubar Cabos S/A: R$ 200.000,00
BAA Administradora e Consultoria Tributária Ltda:  R$ 270.000,00
Bracol Holding Ltda: R$ 500.000,00
Cia Refinadora da Amazônia (grupo Agropalma): R$ 200.000,00
Cia Siderúrgica do Pará – Cosipar: R$ 50.000,00
COMPAR – Companhia Paraense de Refrigerantes (Coca-Cola): R$ 200.000,00
Construtora Engetran Ltda: R$ 100.000,00
CR Empreendimentos C Ltda: R$ 125.000,00
Galvão Engenharia: R$ 500.000,00
Hileia Indústria de Produtos Alimentícios S/A: R$ 150.000,00
Hospital João Felicio Ltda: R$ 60.000,00
Imerys Rio Capim Caulim S/A: R$ 400.000,00
Instituto Oncológico: R$ 60.000,00
JBS S/A: R$ 100.000,00
Japiim Distribuidora de Bebidas Ltda: R$ 50.000,00
Kaiapós Fabril e Exportadora Ltda: R$ 50.000,00
MM. Lobato Comércio e Representações Ltda: R$ 70.000,00
Mônaco Motocenter Comercial Ltda: R$ 100.000,00
Móveis e Eletrodomésticos S/A: R$ 50.000,00
Multitek Engenharia: R$ 300.000,00
OCRIM S/A Produtos Alimentícios: R$ 50.000,00
Pedra Sul Mineração Ltda: R$ 300.000,00
Powertec Projetos O Ltda: R$ 90.000,00
R E D Rocha Mineração e Terraplanagem Ltda: R$ 150.000,00
SAGA Investimentos e Participações S/A: R$ 100.000,00
Siderurgia Norte Brasil S/A (Sinobras, de Marabá): R$ 400.000,00
Sipling S/A: R$ 100.000,00
SOCOCO S/A Agroindustria da Amazonia: R$ 250.000,00
Transp. Della Volpe S COM E: R$ 1.000.000,00
Transportes Bertolini Ltda: R$ 50.000,00
Usipar –Usina Siderúrgica do Pará: R$ 50.000,00
VOTONER - Votorantim Comercializadora de Energia e Votorantim Industrial: R$ 250.000,00
WPP – Comércio de Motos Ltda.: R$ 50.000,00

O retrato de alguns contribuintes

Transportes Della Volpe S/A Comércio e Indústria (CNPJ: 61.139.432/0001-72). Foi a empresa que mais doou ao comitê do PSDB paraense: R$ 1.000.000,00. Na Receita Federal consta que foi aberta em setembro de 1966 e que se dedica, principalmente, ao transporte rodoviário de produtos perigosos. Fica na rua Lídice, 22, conjunto Promorar, no Parque Novo Mundo, cidade de São Paulo. Além desse 1 milhão ao PSDB paraense, doou R$ 3 milhões para a direção estadual do PSDB de Minas Gerais. Entre seus clientes estão a Vale, Petrobras, Votorantim, Gerdau e Usiminas. Tem filiais, no Pará, em Marituba, Ourilândia do Norte e Parauapebas. Tem site: http://www.dellavolpe.com.br/ .  Em maio de 2006, o dono da empresa Transpesa Della Volpe, integrante do grupo, foi preso durante a “Operação Castores”, da Polícia Federal, por suspeita de participar de um esquema de estelionato, tráfico de influência e corrupção contra empresas do setor elétrico, como a Itaipu Binacional, Furnas, Eletrosul e Eletronorte.  Além de José Della Volpe, foram presos Laércio Pedroso, Luiz Geraldo Costa, Luiz Silveira Franco, Oswaldo Panzarini e José Roberto Paquier, então assessor do senador Valdir Raupp (PMDB-RO). Na página 22 do Diário Oficial de São Paulo, de 22 de maio deste ano, um certo José Della Volpe figura como diretor-presidente da Transportes Della Volpe Comécio e Indústria que doou esse R$ 1 milhão ao comitê tucano.  Outro dado interessante vem do site da empresa. Diz o seguinte: “Transportes Della Volpe & Vale do Rio Doce - 23/7/2009 - Desde Agosto de 2005 a Della Volpe conseguiu viabilizar um grande projeto da Vale do Rio Doce, a qual tinha por objetivo reduzir diversos contratos de transporte para todos seus almoxarifados da região Norte em somente um contrato. Desta data em diante foi firmado entre Della Volpe e a Vale do Rio Doce um contrato denominado corporativo, cabendo à Della Volpe a totalidade do abastecimento de todos os seus almoxarifados localizados nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil.
A parceria logistíca formalizada no ano de 2005 foi renovada, tendo seu novo inicio em janeiro de 2009 e com uma grande novidade, pois o contrato de abastecimento irá atender à todas as unidades da Vale da sua região Sul, o que inclui a ampliação de área das nossas filiais Contagem/MG, Cariacica/ES, Pavuna/RJ e a abertura do site na cidade de Rosário do Catete/SE, todas estrategicamente, localizadas para prestar o atendimento com eficiência e agilidade”.  

BAA – Administradora & Consultoria Tributária Ltda. (CNPJ: 02.031.352/0001-30). Doou R$ 270 mil. Aberta em 11 de agosto de 1997, tem o nome de Fantasia de BAA Consultoria. A atividade principal é a consultoria em gestão empresarial, mas também faz auditoria contábil e tributária. Fica na Avenida Sete de Setembro, 4848, conjunto 903, no bairro Batel, em Curitiba, Paraná. As informações são da Receita Federal. O blog não conseguiu localizar no Google informações sobre a empresa. A doação ao PSDB do Pará foi a única que fez em todo o Brasil.

Hospital Dr. João Felício Ltda. (CNPJ: 21.561.543/0001-58). Doou R$ 60.000,00 para o comitê do PSDB paraense – a única doação realizada no Brasil inteiro. É privado e de média e alta complexidade, mas o problema é que, segundo o Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (CNES), atende pacientes do SUS, inclusive em leitos de UTI, clínicos e cirúrgicos. Veja aqui: http://cnes.datasus.gov.br/cabecalho_reduzido.asp?VCod_Unidade=3136702153114
 Foi aberto em 26 de agosto de 1966 e funciona na Rua Barão de Juiz de Fora, 88, no bairro de Santos Anjos, em Juiz de Fora, Minas Gerais.
 
Instituto Oncológico (CNPJ: 21.554.423/0001-23). A doação de R$ 60.000,00 ao PSDB do Pará também foi a única. E da mesma forma que o Hospital Dr. João Felício, doou esse dinheiro através de transferência eletrônica, no último dia 31 de agosto. Mas as coincidências não param aí: o Instituto Oncológico foi aberto em 25 de agosto de 1966 e também funciona em Juiz de Fora, Minas Gerais, na rua Santos Dumont, 56, com o nome de fantasia de Hospital Nove de Julho. A situação é idêntica porque também atende pacientes do SUS. Veja aqui: 

Construtora Engetran Ltda (CNPJ: 00.494.516/0001-30). Em todo o Brasil, doou R$ 100 mil para o PSDB do Pará e R$ 140 mil para a campanha do tucano Marcus Vinícius Caetano Pestana da Silva a deputado federal por Minas Gerais. Foi aberta em 20 de março de 1995 e se dedica a obras de terraplenagem, construção de edifícios, operação e fornecimento de equipamentos para transporte de cargas. Fica na rodovia BR 040, KM 797, S/N, no bairro de Salvaterra, município Matias Barbosa, Minas Gerais. No site dela (http://www.engetran.com.br/ ) consta que tem entre seus clientes a Companhia de Saneamento e o Departamento de Limpeza Urbana de Juiz de Fora, o consórcio construtor da BR 163, DER de Minas, DNER, MMX Mineração e Metálicos, Park Sul Empreendimentos, Valesul Alumínio e Votorantim.

R E D Rocha Mineração e Terraplenagem Ltda (CNPJ: 22.192.546/0001-24). Doou 150 mil para o PSDB do Pará. Foi a única doação que fez no Brasil inteiro e, por incrível que pareça, também é mineira:  fica na Rodovia BR 040, número 13- A, condomínio empresarial Park Sul, bairro Park Sul, no mesmíssimo município de Matias Barbosa da construtora Engetran. Foi aberta em 13 de agosto de 1986 e se dedica a obras de terraplenagem, transporte de cargas e aluguel de máquinas.

Pedra Sul Mineração Ltda. (CNPJ: 02.329.307/0001-66). Também é mineira e doou R$ 300 mil para os tucanos paraenses – sua única doação em todo o Brasil. Foi aberta em 05 de janeiro de 1998 e se dedica especialmente à extração e britagem de pedras. Fica na Rua Empresarial Park Sul, número 70, no bairro Park Sul, município de Matias Barbosa, Minas Gerais. Quer dizer, é vizinha da R E D Rocha e da construtora Engetran. A Pedra Sul tem site: http://www.pedrasul.com.br/ . No Google, consta que tem ou teve contratos com as prefeituras de Juiz de Fora e Barbacena.

Multitek Engenharia (CNPJ: 21.064.910/0005-31). Doou R$ 300 mil para o PSDB paraense e também é de Minas Gerais. Também doou R$ 5 mil para a campanha de Marcus Vinícius Caetano Pestana da Silva, que concorreu a deputado federal pelo PSDB mineiro. Segundo a Receita Federal, a empresa foi aberta em 10 de agosto de 1994 e se dedica à construção de edifícios e de instalações esportivas e recreativas. Fica na Alameda dos Pássaros da Polônia, Lote E Sul, número 35, no bairro de Santa Luzia, município de Juiz de Fora. Tem como principais clientes a Petrobras, a Votorantim Metais e a Companhia de Meio Ambiente de Juiz de Fora.  

Bracol Holding Ltda (CNPJ: 10.472.968/0005-06). Doou R$ 500 mil ao Comitê do PSDB do Pará, a única doação eleitoral que fez em todo o Brasil. Segundo a Receita Federal, é uma filial aberta em 20 de janeiro de 2009, com o nome empresarial de BSB Produtora de Equipamentos de Proteção Individual Ltda. Fica na Avenida São Paulo, 1805, no bairro Jardim Guanabara, município de Lins, em São Paulo. É do grupo Bertin, que recebeu incentivos fiscais para se instalar no Pará, durante os governos tucanos.  

Galvão Engenharia S/A (CNPJ: 01.340.937/0001-79). Doou R$ 500 mil para o comitê do PSDB no Pará. Aberta em julho de 1996, constrói, principalmente, rodovias e ferrovias. Fica na Avenida Gomes Carvalho, 1510, segundo andar, conjuntos 21 e 22, em Vila Olímpia, na cidade de São Paulo. Doou mais de R$ 18,2 milhões para comitês eleitorais no Brasil inteiro, incluindo os de Dilma e Serra, além de R$ 6,7 milhões para candidatos. Tem site: http://www.galvaoenergia.com/

SAGA Investimento e Participações do Brasil S/A (CNPJ: 02.053.186/0001-72). Doou R$ 100 mil para o comitê financeiro único do PSDB do Pará, R$ 60 mil para o PSDB do Amapá e R$ 50 mil para o PSB daquele estado. Também doou R$ 110 mil a candidatos, aí incluída a petista Ana Júlia Carepa (R$ 50 mil). Foi aberta em 1997 e atua como holding de instituições não- financeiras. Funciona na Alameda Mamoré, 989, 25 andar, no bairro de Alphaville, município de Barueri, em São Paulo. Até pelo menos 2005, foi a acionista controladora da Jari Celulose. E o curioso é que os R$ 100 mil que doou à campanha tucana – segundo o Diário Oficial de São Paulo de 30 de janeiro deste ano - correspondem à totalidade de seu capital social.

SIBLINGS S/A (CNPJ: 07.587.965/0001-71). Doou R$ 100 mil e tem o mesmo endereço da SAGA. Cada uma das empresas ocuparia uma parte do 25 andar do número 989 da Alameda Mamoré, bairro Alphaville, município de Baueri, São Paulo. Esse, aliás, é também o endereço corporativo do Grupo Orsa, que engloba a  Jari Celulose, Papel e Embalagens; Orsa Florestal; Ouro Verde Amazônia e Fundação Orsa. A SIBLINGS também é uma holding de instituições não-financeiras e foi aberta em 25 de gosto de 2005.  No Google não há informações acerca dela.

As contas da Direção do PSDB do Pará

Mas há ainda outro dado importante: as contas da Direção Estadual do PSDB, também disponíveis no site do TSE.

Segundo elas, as receitas da Direção Estadual dos tucanos somaram R$ 770 mil, incluindo doações do diretório nacional e do comitê financeiro único para presidente da República, mas, principalmente, as contribuições de uma empresa mineira e de uma companhia paulistana ligada à Vale. E, ainda, de uma cidadã chamada Abgail Silva Suarez.

Ex-mulher de um dos sócios da OAS, Abgail doou R$ 100 mil à direção local do PSDB. 

Já uma empresa mineira, a Tempo Serviços Ltda (CNPJ: 58.503.129/0001-00), sediada na cidade de Uberlândia, doou R$ 150 mil. 

Outra empresa, a Ultrafertil S/A (CNPJ: 02.476.026/0001-36) , ligada à Vale, foi quem mais contribuiu: R$ 400 mil.

No Brasil inteiro, a Ultrafértil doou apenas R$ 180 mil para candidatos do DEM e PSB, de São Paulo, Minas e Paraná.

No entanto, distribuiu mais de R$ 16,5 milhões às direções nacionais e estaduais dos partidos e comitês financeiros nos estados do Pará, Espírito Santo, Distrito Federal, Minas Gerais, Sergipe, São Paulo, Tocantins, Roraima, Pernambuco, Goiás, Bahia. 

Nacionalmente, a maior bolada contemplou o PT: mais de R$ 4,8 milhões.

Mas nos estados a taça ficou com os tucanos, que bicaram R$ 1,650 para a direção estadual de São Paulo e R$ 400 mil para o Pará e Goiás, totalizando quase R$ 2,5 milhões. Além disso, os tucanos do Espírito Santo ainda levaram R$ 1,270 para o seu comitê financeiro único.   

A Ultrafértil, que fica no município de Cubatão, em São Paulo, ainda tem o nome de fantasia de Goiasfértil, mas foi incorporada, em 1995, pela Fosfértil (Fertilizantes Fosfatados S/A, CNPJ 19.443.985/0001-58).

No primeiro semestre deste ano, a Fosfértil passou ao controle da Vale.

É claro que a Ultrafértil não deve ter sido a única empresa usada para as contribuições eleitorais da Vale.

Mas a lista abaixo das doações da Ultrafértil dá uma idéia da magnitude que isso deve ter alcançado:

300.000,00 Comitê Financeiro Único PTB/PA
90.000,00 Comitê Financeiro Único  DEM/ES
50.000,00 Comitê Financeiro Único  PDT/DF
50.000,00 Comitê Financeiro Único PR/MG
100.000,00 Comitê Financeiro Único PSC/MG
1.270.000,00 Comitê Financeiro Único PSDB/ES
30.000,00 Comitê Financeiro Único PV/ES
50.000,00 Comitê Financeiro Único PC do B/DF
160.000,00 Comitê Financeiro Único PMDB/ES
30.000,00    Comitê Financeiro Único PR/ES
230.000,00 Comitê Financeiro Único PDT/ES
500.000,00 Comitê Financeiro Único DEM/SE
30.000,00 Direção Estadual PRP/ES
250.000,00 Direção Estadual PPS/SP
100.000,00 Direção Estadual DEM/TO
50.000,00 Direção Estadual PTB/MG
250.000,00 Direção Estadual DEM/MG
350.000,00 Direção Estadual PMDB/PA
500.000,00 Direção Estadual PMDB/RR
100.000,00 Direção Estadual PR/PA
600.000,00 Direção Estadual PSB/PE
30.000,00 Direção Estadual PSC/ES
1.650.000,00 Direção Estadual PSDB/SP
400.000,00 Direção Estadual PSDB/GO
400.000,00 Direção Estadual PSDB/    PA
50.000,00 Direção Estadual DEM/BA
600.000,00 Direção Estadual PPS/MG
350.000,00 Direção Estadual PR/BA
200.000,00 Direção Estadual PMDB/MG
250.000,00 Direção Nacional DEM
350.000,00 Direção Nacional PSDB
1.120.000,00 Direção Nacional PP
500.000,00 Direção Nacional PMDB
250.000,00 Direção Nacional PR
500.000,00 Direção Nacional PRB
4.850.000,00 Direção Nacional PT
Total: R$ 16.590.000,00

------------
A Perereca volta no final de semana ou na segunda-feira com novas informações.

22 comentários:

Anônimo disse...

Claro que existe doações que possam ter dupla interpretação, pois doação se faz quando achamos que alguém precisa, o Jatene sem a maquina sem patrimônio financeiro (intelectual ele tem) evidentemente necessitava de doações para como um bom tucano levantar vôo , porem será que só ele recebeu doações que possam ser vista como interesse de quem doou ?

Será que o PSDB a nível nacional, sentindo que ele bem cotado, tendo auxilio, não podia ajudar o Serra?

Acho injusto querer nublar uma vitoria dada por quem já foi governada uma vez pelo eleito, no caso a população paraense, uma vitoria que se os votos do PMDB e do PSOL fossem somados aos da Ana ainda seriam necessários 80% dos votos do PSTU para ela empatar com o Jatene no primeiro turno!

Sei de petista de carteirinha que pagou bandeiras amarelas e não vejo este ato como tentativa de fazer o PSDB aparecer como useiro de caixa 2(doação não contabilizada) e sim uma resposta pessoal de quem o fez a candidatura do Puty!

Perereca, se eu estivesse na condição de naufrago armado em frente a uma ilha habitada por canibais , aceitaria subir na canoa deles para chegar em terra firme, contudo ao chegar lá com a pólvora de minha arma já seca eu não deixaria eles me comerem, nos dois sentidos é claro, no segundo sentido porque gosto de perereca!

Essa istoria (Sem H) de triangulação perde o sentido colocado em seu comentário no momento em que você divulga que os recursos são oriundos de São Paulo e Minas, dois estados satisfeitíssimos com as gestões do PSDB, estaria configurado triangulação fora dos padrões éticos se os doadores fossem do Piauí (estado pobre onde o governo é do PSB, mas que tem construtora de grande porte) ou do Distrito Federal onde são dispensados os comentários.

Quanto as doações dos correligionários que ajudarão a celebrar os quatro anos de missa como coroinhas e sacristães se faz desnecessário explicações.

Em seu primeiro mandato Simão Jatene foi chamado de Mico Leão Prateado , um político em extinção, agora quem o fez sabe que ele é um político em expansão pois esta com o pé no segundo mandato, fato que o coloca no patamar de Jader e Almir, se fizer uma gestão igual a primeira dificilmente não chegara ao terceiro mandato, suplantando os dois caciques de quem foi secretario.

Sendo uma pessoa que sabe a importância dos números , tudo leva a crer que ele chegara lá, afinal mesmo um analfamático (analfabeto em matemática) sabe que três vale mais que dois!

MCB

Anônimo disse...

Do pouco que eu conheço, não tem nenhuma irregularidade nos pontos que você apontou. Mas trata-se de uma pesquisa quwe lhe deu com certeza muito trabalho.

Só acho uma coisa: essa sua investigação só ficaria perfeita se atingisse também as contas da governadora Ana Júlia. Quem sabe, muitos desses doadores não estariam por lá também. Além de novos, bem mais novo9s, que surgiram mais recentemente com o novo poder.
Desculpe pela intromissão, talvez os seus planos sejam outros.

Anônimo disse...

Polílita como um fazer nobre, de cuidadar da pólis e das pessoas e elas de si está longe neste país de Cabral, pois coontinua sendo, e tudo indica, de forma radical ancorado na arte de roubar como se natural fosse...e está sendo! esta engenharia macabra com seus protagonistas que o digam...aliás dizer não pode...O morro do Alemão e seus meandros está no chinelo há tempos.

Anônimo disse...

Cara Ana Célia,
Descuulpe, mas gostaria de deixar este comentário, caso você venha a comentar este assunto.
Para ter sido REPROVADA POR UNANIMIDADE, te dou com a máxima certeza, Ana Célia, que não foi apenas "que a quantidade declarada de tintas compradas não é compatível com as autorização para pinturas de muros apresentadas" que permitiu a REJEIÇÃO DAS CONTAS do Jordy pelo TRE. Isso certamente foi um pequeno motivo diante de outros gigantes. Se essa tese fosse verdadeira, não seria INSANÁVEL. Teria como ser justificada na diligência através de duas maneiras: /.../
Bom, aí não vou dar consultoria de graça, verdade?
Mas isso tudo, certamente, está saindo da cúpula da campanha dele, para tentar transmitir ao eleitor uma falsa idéia de que ele não é um ficha suja. Ah, coitado!

Edson disse...

Olá, Ana Célia!
Antecipadamente agradeço a publicação do que se segue.
Pelo que entendi, os dados que ilustram sua pesquisa estão a disposição de quem deles queira tomar conhecimento, no TSE.
Acho que seria muita falta de sei lá o que, divulgar dados que servissem de munição a esse bando de urubus que rondam o barco do pescador.
Vc, vezes sem conta, nos disse aqui, em Georgia/18, que Ana Julia não perdeu p/ o Jatene, mas p/ ela mesma e p/ a sua lealdade a tal DS. Eles fizeram a burrada de perder com a máquina na mão e agora colocam esse Dr. (?) Mártires – que certamente perderá a boquinha no governo qdo o pescador começar a lançar as redes – p/ bagunçar o coreto?!? SIN-CE-RA-MEN-TE!!!
Eles perderam, Ana Célia! Se Espera que tenham ao menos a mínima humildade de reconhecer esse fato. Se não puderem ajudar ao Jatene a fazer um Pará melhor p/ todos nós – o que eles deveriam ter feito e não fizeram, ao menos não atrapalhem.
Doou quem quis doar. Se foi ilegal então que a Justiça tome suas providências.

Ouvido no caixa 27 do Formosa da Duque, ontem, próximo ao meio dia:
Operadora:
- Sr. o caixa está fechado. Necessito de uns minutos prá troca de operadora...
Sr:
- Minha filha, esperei quatro anos prá ver a Ana Julia deixar o governo... Posso muito bem esperar uns minutos pela troca de operadora.

Edson Pantoja

Ananindeua Debates disse...

Nossa madrinha, agora me deu medo.

Anônimo disse...

Boa Perereca, você nos informando a listagem com o perfil dos doadores do Jatene, está demonstrando que é uma pessoa de caráter, grande profissional, que coloca o dever de informar bem, acima de qualquer ideologia partidária. Parbéns.

Anônimo disse...

A resolução que regulamenta o financiamento de campanha está disponível no link http://www.tre-pa.gov.br/eleicoes/eleicoes2010/legislacao/resolucoesTSE/arquivos/Res23217-Prestacao_Contas.pdf

O doadores enfatizados no post não se enquadram e nenhuma das hipóteses prevista no art. 15:

Art. 15. É vedado a partido político, comitê financeiro e candidato receber, direta ou
indiretamente, doação em dinheiro ou estimável em dinheiro, inclusive por meio de
publicidade de qualquer espécie, procedente de (Lei nº 9.504/97, art. 24, I a XI):
I – entidade ou governo estrangeiro;
II – órgão da administração pública direta e indireta ou fundação mantida com
recursos provenientes do poder público;
III – concessionário ou permissionário de serviço público;
IV – entidade de direito privado que receba, na condição de beneficiária,
contribuição compulsória em virtude de disposição legal;
V – entidade de utilidade pública;
VI – entidade de classe ou sindical;
VII – pessoa jurídica sem fins lucrativos que receba recursos do exterior;
VIII – entidades beneficentes e religiosas;
IX – entidades esportivas;
X – organizações não governamentais que recebam recursos públicos;
XI – organizações da sociedade civil de interesse público;
XII – sociedades cooperativas de qualquer grau ou natureza, cujos cooperados
sejam concessionários ou permissionários de serviços públicos e estejam sendo
beneficiadas com recursos públicos (Lei nº 9.504/97, art. 24, parágrafo único);
XIII – cartórios de serviços notariais e de registro.

Que factóide é esse que se quer criar?

Anônimo disse...

Também agradeço antecipadamente a gentileza da publicação do comentário a seguir. Vamos lá.
Vale a pena tentar responder à pergunta que encerra o comentário do Anônimo das 8:00PM: "Que factóide é esse que se quer criar?" Ora, eles - os derrotados inconformados - já tentaram de um tudo para desqualificar a vitória do Jatene, mas não conseguiram. Resolveram, então, repassar essa "análise" a um (uma) jornalista que tivesse peito de bancar tamanha maluquice travestida de investigação jornalística e que fosse acostumado(a)a dar "furos" e a fazer revelações bombásticas. Tudo isso para revestir de credibilidade essa gambiarra advocatícia. Mas, como diz o governador eleito, usar as palavras para esconder as intenções nem sempre dá bom resultado.

Anônimo disse...

Ana,te manca! O comitê do Jatene te deu e molhou a tuaa mão no momento em que estavas nada pior, sem emprego, sem grana. Agora, talvez por conta de uns reais a mais, tentas, com fatos absurdamente sem credibilidade, denegrir a imagem do Jatene e do PSDB. Tu e a Franssinete Florenzano precisam e merecem ser esquecidas, são desleiais, são falsas, são ingratas.

JOAO CARLOS DE ANDRADE disse...

Isso é o ultimo grito desesperado dos perdedores. Quem se deu ao trabalho de fazer esse levantamento, deveria analisar as contas do PT. Com certeza coisas escabrosas iriam ser encontradas. Quem conhece os bastidores da política sabe do que estou falando.
Talvez esse advogado esteja procurando mídia, mas o aconselho a busca-la de outra forma, como por exemplo investigar milhões que estavam entocados em um certo centro de convenções as vesperas do primeiro turno...está aí a ponta da linha...desenrolem.

Anônimo disse...

Advinha quem vai ganhar a licitação para a construção do complexo esportivo que o Jatene vai construir na área em torno do mangueirão?

a) Delta Construções

b) Multitek Engenharia

c) nda

Anônimo disse...

Perereca, que tal este mesmo cuidado com as contas da Ana Judas, digo Julia?

Anônimo disse...

Era essa a campanha do tostão que o Jatene pregava? Dizia pelos quatros campos que não tinha um centavo?.Desculpem, o macaco aqui só queria entender

Anônimo disse...

O Cachorro velho, a Raposa e a Matilha
“ Um cachorro velho com muita experiência na vida que fazia parte de uma matilha sentiu o cheiro de uma raposa e não podendo contar com os cães seus parceiros de canil pois os mesmos estavam terminando uma outra missão, porem sabendo que caçar a raposa era uma coisa que o renderia agrado de seu dono convocou outros cães para persegui-la , entretanto seus companheiros terminaram o que faziam e passaram a perseguir a raposa , o cachorro velho assim que viu que seus parceiros estavam também no rastro da raposa desviou a atenção dos outros cães para seguirem em uma direção diferente, porem enquanto ele se ocupava dos outros cães , seus parceiros encurralaram a raposa, vendo que a caça estava dominada ele retornou para junto de seus companheiros , porem na hora de receberem um osso como recompensa o dono deu para todos menos para ele que foi ainda repreendido por não ter participado da caçada. “
1) Idade e experiência não é sinônimo de justiça ou decência
2)Nunca siga um cão de outra matilha em uma tarefa, pois quando os da matilha dele estiverem disponíveis ele o substituirá.
3)Não adianta você ser parceiro, se preocupar com os cães de seu canil, você deve apenas fazer a quem lhe da o osso acreditar que você participou , pois os outros cães estão preocupados com eles mesmos.
Esopo escravo do filosofo Xanto 642ac

Anônimo disse...

A necessidade de ajuda faz você enganar quem te ajuda e ser enganado por quem você ajudou!

Jean de La Fontaine protegido das Duquesa de Bouillon e d’Orleans 1668

MCB

Anônimo disse...

É a famosa barrigada... Cara Ana, no seu lugar, eu cortaria relações com quem lhe passou esse "furo".

Anônimo disse...

A montanha pariu um rato.

Anônimo disse...

quero ver o que ele vai ter de fazer para devolver essa "doação" sem qualquer interesse...vai ter que vender a sua alma para o demônio...kkkkkkkkkk....

Anônimo disse...

Vemos o quanto o Jatene é mentiroso. Dizia que sua campanha era pobre, que não tinha dinheiro. e agora o que vemos, Recebeu doações em quase 70% de fora, de outro Estado como Minas e São Paulo, e tendo as digitais do Daniel Dantas. este cidadão já está cobrando a Fatura.

Anônimo disse...

Eu tinha um sonho: ser jornalista. Mas, se ser jornalista, é tentar plantar essa gambiarra advocatícia como se fora uma investigação jornalística - como disse um comentarista anteriormente - eu prefiro seguir lecionando. Pode ser que, por essa via, eu consiga prestar melhor serviço à democracia e à ética, não só na política, mas, também, no jornalismo.

Anônimo disse...

Senhora jornalista
Um brevíssimo, mas pertinente comentário sobre a "investigação jornalística" apresentada em seu post: essa sua parceria com o tal advogado-fonte mais parece abraço dos afogados, tendo em vista que o indigitado cidadão é quase um indiciado pelo justiça por sua suposta facilitação à prática de crime de pedofilia, conforme amplamente divulgado pela imprensa local. Saia dessa rapidinho, ilustre jornalista...