Ban

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Eu também quero montar uma OS.




I



Em 2007, conforme o balanço geral paraense, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) teve um orçamento superior a R$ 75 milhões.



Desse total, mais de R$ 34 milhões foram para o pagamento dos vencimentos e vantagens fixas de seus servidores e conselheiros.



Esses últimos, tão bem remunerados quanto os desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado. Embora que, muitas vezes, sem a mesma qualificação...



No entanto, ontem fui surpreendida por uma correspondência do TCE, na qual me comunicava não ter acatado o meu pedido de investigação do Hangar-Centro de Convenções, porque, na denúncia que formulei, a douta Corte de Contas não detectou nem provas, nem indícios de superfaturamentos de preços ou fraudes licitatórias, nas contratações entre o Governo do Estado e a Organização Social Via Amazônia.



Confesso que, ao ler tal comunicado, senti uma vergonha danada!...



Mas, não por mim.



E sim pelos doutos conselheiros e técnicos do TCE que foram capazes de cometer tamanha ignomínia contra nós, pobres e absolutamente desamparados, contribuintes.



Sinceramente, não sei como o cidadão Coutinho Jorge, pelo qual até aqui guardei um certo respeito, teve a indignidade de assinar algo assim...



Tenham certeza de que fiquei pasma, porque, infelizmente, tenho esse bom espírito que me leva a crer nas pessoas – e eu sempre tive o cidadão Coutinho Jorge na conta de uma pessoa honrada.



Mas Brutus, para lembrar aquele grandioso discurso de Marco Antonio diante do cadáver de César, também era “um homem honrado”, né mermo?...



Não conheço a analista de Controle Externo Elane Vieira S. Beltrão, responsável pela análise que embasou a decisão de Coutinho Jorge.



E desde já, não me interessa conhecer. Não me parece séria. Não me parece nem, pelo menos, competente naquilo que faz.



Elane e Coutinho me fizeram sentir menos brasileira, menos paraense, menos cidadã.



Fizeram-me sentir vergonha do meu Pará e do meu povo...



Fizeram-me sentir pequena – como se pequenos fôssemos nós, sociedade.



Como se o Estado e os agentes do Estado pudessem fazer o que bem lhes apetece sem terem de responder por isso.



Como se fosse de somenos importância clamar pelo respeito à democracia e à ética, no trato da res publica.



Daí o título deste artigo: a resposta do TCE me levou à conclusão, lógica, inapelável, de que tudo o que é preciso para enriquecer, nesta terra de barbárie, é montar uma Organização Social.



Uma OS sob a proteção de algum poderoso, de algum mandatário.



Uma entidade sob a proteção de alguma “amiguinha”, que, quem sabe, até nos chore nos ombros...





II



Tudo isso é muito engraçado, não deixa de ser engraçado...



Porque a indecência, a imoralidade, a falta de escrúpulos, têm, sim, um “quê” de comicidade.



É como se essas pessoas que se julgam tão maravilhosamente “intocáveis” não atentassem ao próprio lado burlesco.



Ora, a mim, cidadã, que cometo o “crime” de pensar, parece que a comunicação do TCE disse, por outras palavras: “façam o Carnaval! Se locupletem o mais possível! Roubem, afanem, metam a mão na “bufunfa desta terra sem Lei!”...



Porque a Justiça é cega neste País infeliz, imundo, dominado, há 500 anos, por essa corja de colarinho branco.



Um país que, por isso mesmo, incensa toda sorte de patifaria com esse dinheirinho que é de todos nós!...



Leio em tal decisão, em suma, eu, cidadã; leio nessa infeliz comunicação do TCE, ao qual pagamos mais de R$ 75 milhões em 2007, que basta criar uma ONG para se dar bem...



Basta ser “criativo” ao burlar a Lei, porque a Lei existe é para ser burlada por esse punhado de marginais; por esses parasitas sociais, travestidos de revolucionários...



Que estranhos tempos, estes!...




Estranhos tempos, como já disse, em um post atrás...




Um tempo em que - quem diria! - nos igualamos, enfim, à bandidagem que dissemos que iríamos varrer da História do nosso estado e do nosso país...





III



Eu também quero montar uma Organização Social!...


Sim, eu, enfim, também quero uma OS!...


Eu, cidadã, contribuinte, também quero alugar uma saleta por R$ 35 mil por mês, ao Governo do Estado, exatamente como fez a Via Amazônia, sem que o TCE veja nisso qualquer “sintoma” de ilegalidade...


Eu também quero ser aquinhoada por milionárias dispensas de licitação tipo aquela da Seduc, de quase R$ 2 milhões, para um evento de dois ou três dias a um punhado de professores fumados, mal pagos, que não veriam esse dinheiro nem que trabalhassem uns 30 anos...


E sem que o TCE, o nosso douto TCE, e os nossos muito bem pagos técnicos e conselheiros do TCE, dêem um pio que seja em relação a tudo isso...


Pois, que não falte aos nossos doutos técnicos e conselheiros nem o salário, nem o cafezinho, né mermo?...


Eu, cidadã, contribuinte, também quero ter uma dispensa de licitação de quase meio milhão de reais, para a confecção de “impressos”...


E sem que o nosso TCE questione, ao menos, se essa entidade, como a OS Via Amazônia, está ou não habilitada, em seu objeto societário, a realizar esse tipo de serviço. Ou, ainda, se é possível dispensar licitação para esse tipo de serviço.


Eu, cidadã, contribuinte, também quero ser contraparente de algum governante, e abrir uma OS em endereço incerto e não sabido - montada nas coxas!...

E, mesmo assim, ganhar um contrato fabuloso, para administrar uma estrutura pública, na qual foram torrados milhões em dinheiro público...


Eu, cidadã, contribuinte, também quero participar dessa mamata, dessa lambança, dessa patifaria, dessa bandalheira...


Até porque sei que o nosso TCE não verá nisso nem sombra de irregularidade!...


E o nosso TCE deve estar certo, né mermo?...


Eis que o nosso TCE, como diria Marco Antonio, é um “organismo” honrado... Feito de homens e mulheres de conduta ilibada, cujo primeiro e único compromisso é com o trato do dinheiro público...


Nunca fui tão achincalhada, tão aviltada, como por essa comunicação do TCE.


Imagino que todos os órgãos públicos, sustentados com dinheiro público, aos quais denunciei o Caso Hangar, agirão, nas próximas semanas, do mesmíssimo jeito.


E eu, que mostrei essa bandalheira, essa patifaria, essa lambança passarei da condição de vítima a algoz.


Estranhos tempos estes!...


Que estanhos tempos!...


Mas, pensando bem, por que estranhar, né mermo?


Afinal, estes são os tempos do PT!...


FUUUUIIIIII!!!!!!!



Gracias a la vida



Gracias a la vida que me ha dado tanto,
Me dio dos luceros que cuando los abro,
Perfecto distingo lo negro del blanco,
Y en el alto cielo su fondo estrellado,
Y en la multitudes el hombre que yo amo.


Gracias a la vida que me ha dado tanto,
Me ha dado el oído que en todo su ancho,
Graba noche y día grillos y canarios,
Martillos, turbinas, ladridos, chubascos,
Y la voz tan tierna de mi bien amado.


Gracias a la vida que me ha dado tanto,
Me ha dado el sonido y el abecedario,
Y con el las palabras que pienso y declaro,
Madre, amigo, hermano y luz alumbrando,
La ruta del alma del que estoy amando.


Gracias a la vida que me ha dado tanto.
Me dio el corazón que agita su marco
Cuando miro el fruto del cerebro humano,
Cuando miro el bueno tan lejos del malo,
Cuando miro el fondo de tus ojos claros.


Gracias a la vida que me ha dado tanto,
Me ha dado la marcha de mis pies cansados,
Con ellos anduve ciudades y charcos,
Playas y desiertos, montañas y llanos,
Y la casa tuya, tu calle y tu patio.


Gracias a la vida que me ha dado tanto,
Me ha dado la risa, y me ha dado el llanto,
Así yo distingo dicha de quebranto,
Los dos materiales que forman mi canto,
Y el canto de ustedes que es el mismo canto.
Y el canto de todos que es mi propio canto.


!Gracias a la vida!
!Gracias a la vida!
!Gracias a la vida!
!Gracias a la vida!


(Violeta Parra)

16 comentários:

Anônimo disse...

Entre com um recurso chamado: "contra atos do presidente".

Anônimo disse...

O coutinho jorge assinou porqie pra ele tudo isto é totalmente normal, já que o PT somente "aprendeu" com os mais antigos ( como êle) as práticas
"honestas" de sempre.
Afinal, uma mão (direita) lava a outra(esquerda) aquí nesta "terra de canhotos".

Não desespere pois o povo não é tão tapado quanto êles pensam.

Anônimo disse...

Desculpe perereca,
Esqueci de exclarecer:
em "TERRA DE CANHOTOS" o canhoto é de cheque sim.

Anônimo disse...

Ana converse com Roberto Paiva, mostre seus levantamentos para ele ,tenho convicção de que se a globo souber cai de pau nessa corja . Não desista, já tem alguma notícia da CGU, e da ALEPA .

Anônimo disse...

Mas, você não lembra que o Coutinho Jorge declarou publicamente sobre o nepotismo que imperava (ou ainda impera?) naquele Tribunal de Contas?
O que esperar de alguém desse quilate?
Sugiro uma outra alternativa. Mande a mesma documentação para outro órgão - o Ministério Público que atua junto ao Tribinal de Contas. E vamos esperar e acompanhar qual o desempenho de tal ógão diante de suas denúncias.
Aliás, passo da sugestão ao pedido, mande a denúncia para o MPE junto ao TC, para não dizer que você não falou de flores.

Anônimo disse...

o que esperar de um TCE cujo presidente (Odorico Paraguassú Coutinho Jorge, com aquele terno branco de bicheiro...) era o rei do nepotismo?!
o que esperar desse governo que era "da mudança", mas estão mesmo é fazendo a mudança ...para os bolsos da companheirada?!
mas não desista, dona Perereca.
mantenha o alerta, eles irão se melar ainda mais e mais...
Essa é a "esquerda salvadora"...quá, quá, quá...

Anônimo disse...

meu glossario de BLOGS:

Da Perereca = BLOGÓTIMO
Do Barata = BLOGARBALHO
Do 5a.(COLUNA)EMENDA = BLOGUIORANA

(a completar)...

Anônimo disse...

Ana veja no blog Espaço Aberto , o escândalo da nomeação do Benassuly e os casos de Pedofilia , inclusive do irmão da Ana Júlia da edição da veja , com essa ..... só mandando para a imprensa nacional

Anônimo disse...

Não desista, Ana Célia.
Não se deixe impressionar pelo Tribunal de Contas. Esperar o quê mesmo desse Coutinho Jorge, que acha normal empregar toda a a parentada; incluve a mulher dele, só pra cuidar da decoração da sala do rei. Ainda mais: ficou desmoralizado, depois das declarações absurdas que fez na TV.
Um exemplo de como funciona a fisdcalização desses tribunais: agora mesmo, a maioria das prefeituras está sucateada, com os prefeitos novos não tendo, sequer, a chave do cofre. Faltam documentos, dinheiro, prestação de contas. Decência e transparência.
E sabe o que vai acontecer com eses caras?
Nada. Voltam daqui um tempo pra concorrer novamente.
O Tribunal de Contas não tem moral pra nada. Só funciona em um expediente e lá só se trata de assuntos de intereses dos conselheiros. Pesoais e ideológicos. E, nesse caso, você sabe muito bem, não tem nada de importante, nada que seja pra defender os interesses do povo.

Leila Queiroz

Anônimo disse...

vamos ser justos anonimo das 5:36:

Do espaço aberto = BLOGUIORANA
Do 5a. Emenda = BLOGVIC

Anônimo disse...

infância violada do Pará


Na VEJA
Por Raquel Salgado

Denúncias de abusos sexuais envolvem empresários, policiais, políticos e até um irmão da governadora Ana Júlia Carepa

A Assembleia Legislativa do Pará instalou há um mês uma CPI para apurar os abusos sexuais de menores no estado. A história de impunidade desse tipo de delito no Pará é antiga. Assim que a CPI começou a funcionar e os relatos passaram a ser estudados, viu-se que o problema é mais profundo e prevalente do que se podia imaginar. "É uma prática disseminada em todos os municípios", disse à comissão o bispo de Marajó, dom Luiz Azcona, que dedica seu prelado à proteção das crianças. Azcona contou que, no Pará, os abusos ocorrem à luz do dia, às vezes ao lado da polícia, às vezes nas escolas. Empresários, políticos, autoridades e até um dos irmãos da governadora Ana Júlia Carepa estão entre os acusados de envolvimento. O motorista João Carlos Carepa, conhecido como Caíca, é acusado de ter assediado uma contraparente. O Boletim de Ocorrência 433/2008.000328-3 revela que Caíca a molestou quando ela tinha apenas 11 anos. Em depoimento à polícia, a vítima, que hoje tem 13 anos, afirmou que as agressões se sucederam no decorrer de um ano.
Quatro episódios desse período foram registrados na delegacia. No primeiro, o contato ocorreu na piscina da casa dos avós da garota em um momento de ausência de outros adultos. No segundo, aconteceu depois que ele obteve a autorização da mãe da vítima para levá-la ao circo. A menina aceitou o convite quando Caíca garantiu falsamente que seu pai, Arthur Carepa, os acompanharia. O motorista teria aproveitado o passeio para beijá-la à força e apalpar seus seios. A polícia registra cenas semelhantes em mais duas ocasiões: em uma ida de ambos a um supermercado e em um jantar na casa de Caíca. A vítima foi submetida a um exame de corpo de delito para verificar se fora estuprada, mas os resultados não são conhecidos pela CPI. A família da menina procurou a polícia em setembro passado. Dias antes, ao fim de um culto evangélico, a garota revelou ao pai seus tormentos. "Disse que não aguentava mais guardar segredo", contou ele. "Caíca era como se fosse da família", lamenta a mãe. O irmão da governadora recusa-se a tocar no assunto.
A CPI paraense se debruçará sobre casos ainda mais chocantes. Um deles envolve o deputado estadual Luiz Afonso Sefer, do DEM. Ele é acusado de violentar uma garota de 9 anos. Segundo a denúncia, as agressões duraram quatro anos. A menina relatou que foi "entregue" a Sefer por Estélio Guimarães, vereador de Mocajuba, cidade de 23?000 habitantes, localizada em um belo cabo da margem direita do Rio Tocantins. A garota teria sido submetida a diversos tipos de sevícia sexual. Em seu relato mais dramático, ela conta que, como era ainda criança, o deputado usou um instrumento ginecológico para consumar o crime. Há pouco mais de um ano, descobriu-se que a polícia paraense manteve uma moça de 15 anos em uma cela com trinta presos, que a estupraram e torturaram por 24 dias. O então delegado-geral do estado, Raimundo Benassuly, culpou a vítima: disse que ela não reagiu por ser débil mental. A governadora Ana Júlia afastou-o do cargo. Durou pouco. Benassuly acaba de ser reempossado. Se os casos apurados pela CPI tiverem como consequência a mesma e branda punição dada ao delegado, as barbáries sexuais se perpetuarão.

-------------------------------------------

No Espaço Aberto, sobre o assunto:

Menor vai à polícia e acusa irmão da governadora
Investigaão de paternidade tem relação com Belém
Deputado Luiz Afonso Sefer se licencia do DEM
DEM vai suspender Sefer das funções partidárias
Especulações, informações e honras em jogo
Pedofilia: deputado se complica ainda mais
Sefer é alvo de uma investigação formal em curso

Anônimo disse...

Anonimo das 11:20,

Parece que você não conhece direito as "relações" nesta Terra de Canhotos" :

o mais justo mesmo seria

5a.(coluna)Emenda = BLOGVICIORANA.

Anônimo disse...

Quinta Emenda
Os Cercos se Fecham

Pode ser pior do que parecia inicialmente o caso de pedofilia que envolve João Carlos Carepa, irmão da governadora Ana Julia. Na segunda, 26, a Polícia pediu a prisão preventiva do acusado. Os laudos do Instituto Médico Legal embasaram a solicitação da medida.

----

Durou 11 onze horas a tomada de depoimento do deputado Luis Sefer (DEM) no Rio de Janeiro. Dispondo da prerrogativa do foro privilegiado, de acordo com a fonte do blog, Sefer optou por ser ouvido bem longe do Pará, em sua cobertura à beira do oceano Atlântico.
A distância e o salitre, todavia, não removeram as contradições de falas anteriores do parlamentar investigado pela CPI. Ao contrário: a situação do nacional piorou.

Anônimo disse...

Ei Ana Célia,

Maninha quando tu for criar tua OS faz um convite coletivo para que eu me associe para participar dessa farra.

Anônimo disse...

...E, num curtíssimo espaço de tempo a filhota da companheira Joana(após assumir o tal Hangar), foi estudar na Europa (England).
Ai mana... quero participar da tua OS. Please!

Anônimo disse...

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31359 de 13/02/2009
SEC. DESENV.CIÊNCIA E TECNOLOGIA