Ban

sábado, 28 de outubro de 2006

Que vença o eleitor!

Chegou a hora que todos aguardávamos: a hora da decisão.

Creio que não há mais nada a fazer, a não ser desejar boa sorte a todos.

De qualquer partido, de qualquer lado...

Afinal, todos fizemos o melhor que poderíamos; demos o melhor de nós.

Todos merecemos, enfim, a alegria da vitória.

Em ambos os lados, há guerreiros valorosos, extraordinários.

Gente que luta, com garra e muita fé, por aquilo em que acredita.

É da democracia que seja assim: que existam os prós e os contras.

E é preciso, portanto, que saibamos nos respeitar mutuamente.

Apesar das bicudas que, como acontece em toda guerra, é preciso desferir...

É claro que torço pela vitória da Ana Júlia e acredito nisso, sinceramente: acredito que vamos chegar lá.

E que o Pará, de ponta a ponta, nessa noite de domingo, será uma grande estrela vermelha!

Mas tenho a certeza, também, de que, qualquer que seja o resultado, o grande vencedor terá sido o povo do Pará.

Afinal, ao longo desses meses, lutamos batalhas memoráveis. Mas conseguimos mantê-las dentro dos limites do jogo democrático.

É claro que não faltarão queixas de um lado e de outro. Mas o fato é que nenhum de nós terá feito alguma coisa, que o outro também não fizesse, se surgida a oportunidade.

E, o mais importante: conseguimos conter nossas “tropas”, a fim de evitar episódios complexos.

Estamos todos, portanto, de parabéns – o “sarampo” e a “febre amarela”. E só espero é que consigamos manter tal postura nesse domingo, quando os nossos corações estarão pra lá de acelerados.

E espero, também, que, terminada a guerra, seja quem for o vencedor, saiba tratar com dignidade, com respeito, com espírito verdadeiramente democrático, o lado vencido.

Porque, em toda guerra, há o tempo de desembainhar, mas, também, o tempo de guardar as espadas, para que possa vicejar o tempo da negociação.

É só assim que conseguiremos, de fato, construir uma vida melhor para o nosso povo: com equilíbrio, com respeito às oposições, com visceral apreço pelo direito de divergir.

E porque, também, há, nas vidas de todos nós, muito mais que disputa política.

Há as alegrias do cotidiano. As pessoas que amamos. A esperança daquilo que buscamos ser e realizar.

Há todo um universo à espera dos nossos corações, quer estejam vermelhos ou amarelos.

Há toda a beleza que a vida nos oferece e que ansiamos abraçar.

Esta guerra, portanto, não é um nem um fim, nem um começo: mas, uma partícula de poeira cósmica no infinito que somos.

A todos, vermelhos ou amarelos, boa sorte. Que Deus esteja conosco e que
vença o eleitor!



Vermelho


Vermelhou o curral, a ideologia do folclore avermelhou.
Vermelhou a paixão, o fogo de artifício da vitória vermelhou.

A cor do meu batuque tem o toque e tem o som da minha voz.
Vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante, vermelhão!
O velho comunista se aliançou ao rubro do rubor do meu amor.
O brilho do meu canto tem o tom e a expressão da minha cor (vermelho!).
A cor do meu batuque tem o toque e tem o som da minha voz.
Vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante, vermelhão!
O velho comunista se aliançou ao rubro do rubor do meu amor.
O brilho do meu canto tem o tom e a expressão da minha cor.
(Meu coração!)

Meu coração é vermelho!
De vermelho vive o coração!
Tudo é garantido após a rosa vermelhar!
Tudo é garantido após o sol vermelhecer!

Vermelhou o curral, a ideologia do folclore avermelhou.
Vermelhou a paixão, o fogo de artifício da vitória vermelhou.
Vermelhou o curral, a ideologia do folclore avermelhou.
Vermelhou a paixão, o fogo de artifício da vitória vermelhou.

A cor do meu batuque tem o toque e tem o som da minha voz.
Vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante, vermelhão!
O velho comunista se aliançou ao rubro do rubor do meu amor.
O brilho do meu canto tem o tom e a expressão da minha cor (vermelho!).
A cor do meu batuque tem o toque e tem o som da minha voz.
Vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante, vermelhão!
O velho comunista se aliançou ao rubro do rubor do meu amor.
O brilho do meu canto tem o tom e a expressão da minha cor.
(Meu coração!)

Meu coração é vermelho!
De vermelho vive o coração!
Tudo é garantido após a rosa vermelhar!
Tudo é garantido após o sol vermelhecer!

Vermelhou o curral, a ideologia do folclore avermelhou.
Vermelhou a paixão, o fogo de artifício da vitória vermelhou.
Vermelhou o curral, a ideologia do folclore avermelhou.
Vermelhou a paixão, o fogo de artifício da vitória vermelhou.

(Chico da Silva)

(Não é casuísmo, não. É que adoro essa música...)



Redescobrir


Como se fora brincadeira de roda, memória
Jogo do trabalho na dança das mãos, macias
O suor dos corpos na canção da vida, história
O suor da vida no calor de irmãos, magia
Como um animal que sabe da floresta, memória
Redescobrir o sal que está na própria pele, macia
Redescobrir o doce no lamber das línguas, macias
Redescobrir o gosto e o sabor da festa, magia
Vai o bicho homem fruto da semente, memória
Renascer da própria força, própria luz e fé, memória
Entender que tudo é nosso, sempre esteve em nós, história
Somos a semente, ato, mente e voz, magia
Não tenha medo, meu menino povo, memória
Tudo principia na própria pessoa, beleza
Vai como a criança que não teme o tempo, mistério
Amor se fazer é tão prazer que é como fosse dor, magia
Como se fora brincadeira de roda, memória
Jogo do trabalho na dança das mãos, macias
O suor dos corpos na canção da vida, história
O suor da vida no calor de irmãos, magia

(Luiz Gonzaga Jr.)



Aquarius



When the moon is in the Seventh House
And Jupiter aligns with Mars
Then peace will guide the planets
And love will steer the stars

This is the dawning of the age of Aquarius
The age of Aquarius
Aquarius!
Aquarius!

Harmony and understanding
Sympathy and trust abounding
No more falsehoods or derisions
Golding living dreams of visions
Mystic crystal revalation
And the mind's true liberation
Aquarius!
Aquarius!

When the moon is in the Seventh House
And Jupiter aligns with Mars
Then peace will guide the planets
And love will steer the stars

This is the dawning of the age of Aquarius
The age of Aquarius
Aquarius!
Aquarius!

Harmony and understanding
Sympathy and trust abounding
No more falsehoods or derisions
Golding living dreams of visions
Mystic crystal revalation
And the mind's true liberation
Aquarius!
Aquarius!


(Hair – Trilha Sonora)

5 comentários:

Flanar disse...

Querida.
Independente do resultado de hoje, vc está de parabéns pelo trabalho investigativo corajoso que contribuiu para corações e mentes.
Este, não esquecerei.
Abraços

Flanar disse...

PS: altere os seus links. O Blog do Barretto não existe há mais de 2 semanss. Agora é escrito em 2 mãos (2 médicos mais do que engajados) e se chama FLANAR.
O endereço é http://blogflanar.blogspot.com/
Bjs
Carlos Barretto

Copulatum et Malum Remuneratum disse...

Acabou a panelinha! E eu choro!!!

Fábio Correa disse...

Gostei do seu blog!

Fábio Correa disse...

Gostei do seu blog!