Ban

domingo, 21 de maio de 2006

Para pensares, perereca!

Quem Sabe?

Tão longe, de mim distante,
Onde irá, onde irá teu pensamento?

Tão longe, de mim distante,
Onde irá, onde irá teu pensamento?

Quisera saber agora,
Quisera saber agora...

Se esqueceste,
Se esqueceste,
Se esqueceste o juramento!

Quem sabe se és constante,
S''inda é meu teu pensamento?
Minh'alma toda devora
Da saudade, da saudade agro tormento!

Vivendo de ti ausente,
Ai meu Deus,
Ai meu Deus que amargo pranto!
Suspiros, angústia e dores
São as vozes,
São as vozes do meu canto!

Quem sabe,
Pomba inocente,
Se também te corre o pranto?

Minh'alma, cheia d'amores,
Te entreguei já neste canto!

(Carlos Gomes)

Nenhum comentário: