Ban

domingo, 12 de abril de 2009

páscoa

Deus



Não sou uma pessoa religiosa.




E creio que é por isso que trabalho em tudo que é feriado religioso.



Nunca precisei de qualquer intermediação com Deus.



Tenho com Deus uma relação pra lá de bacana – aliás, já escrevi sobre isso e nunca publiquei.




Não encho o saco de Deus, e Deus não me enche o saco.




Confio em Deus e Ele confia em mim.




Escapei com vida e quase intacta de um acidente em que pouquíssimas pessoas escapam vivas – e, menos ainda, intactas.




Fui cuspida, pelo vidro traseiro, de um carro em alta velocidade.




Nem era para estar aqui, falando com vocês.




Mas Deus, em sua infinita misericórdia, me permitiu sobreviver.




E não em uma cadeira de rodas – mas, caminhando, embora que com que alguma dificuldade, mas, caminhando.




Até aquele acidente quase descria de Deus.




Tinha tanta fé em mim mesma e em tudo o que me cercava que Deus era como que desnecessário.




Mas, naquele acidente – como já disse, tantas vezes, até a quem não crê – senti, vi, a mão de Deus a me segurar pelo cangote, que nem a gata segura seus filhotes.




Estava a ir para aquele túnel de luz de que falam tantos, quando Ele, por sua Obra e Graça, interrompeu tal caminho...




E ainda como que O ouvi brincar comigo: “não, não vais sobreviver sem sequer uma marca, porque aí é que vais te tornar orgulhosa!...”




E foi-se-me o joelho esquerdo, literalmente pulverizado...




Mas, ainda hoje, com toda a dificuldade que tive de enfrentar para voltar a andar – quase um ano em cadeira de rodas; depois, andador; depois, muletas – ainda hoje me lembro da misericórdia Dele...




E creio que nem foi por mim, que nem mereço, mas, pela minha mãe.




Hoje, Senhor, ó tu que estás comigo por onde quer que eu vá, te presto essa homenagem.




A Ti, que sempre senti ao meu lado, mesmo quando todos me abandonaram!...




A Ti, que sei que velas por mim, mesmo enquanto durmo.




A Ti, que obstinadamente me proteges, ó Senhor, meu Deus!




A Ti, Senhor, essa preciosidade que tanto busquei.




A Ti, comigo aos teus pés, meu Deus, meu Senhor:







Adeste Fideles



O Come All Ye Faithful
Joyful and triumphant,
O come ye, O come ye to Bethlehem.

Come and behold Him,
Born the King of Angels;

O come, let us adore Him,
O come, let us adore Him,
O come, let us adore Him,
Christ the Lord.

Adeste fideles,
Laeti triumphantes,
Venite, venite in Bethlehem!

Natum videte,
Regem angelorum
Venite adoremus,
Venite adoremus,
Venite adoremus
Dominum.

Um comentário:

Anônimo disse...

Nao foi por sua mae nao,com certeza
foi por voce mesmo.Marcelo Gil