Ban

domingo, 19 de fevereiro de 2017

A visita de Helder, Zenaldo e Barbalhão a Mosqueiro e a rede de intrigas do tucanato.




A foto que arrancou a Perereca do nirvana


Estava eu em meio a um monte de incensos, cristais, mandalas e AUMs, quando dei de cara com uma foto que me arrancou do nirvana: o Helder, o Zenaldo e o Barbalhão, todos serelepes, lá no Mosqueiro, no que seria uma grande “confraternização”.

E eu pensei comigo: égua, que o Pará tem que abrir um Doutorado em Política! Até o Trump vai querer estudar aqui!

Não é brincadeira, não: a gente vê tanta coisa neste Pará, que fica até pensando se isto daqui não é um portal para outra dimensão.

É tanta esquisitice, que só mesmo sendo uma espécie de Triângulo das Bermudas. Ou uma colônia  de reptilianos, grays e anunakis.

É claro que o zum-zum-zum tomou conta das redes sociais. E o pessoal da Griffo, como sempre, surfou: uma das “teorias” é a de que haveria um “acordão”, para unir PSDB e PMDB, nas eleições do ano que vem.

Tal “acordão”, que colocaria Jatene para escanteio na escolha de seu sucessor, teria as bênçãos do Flexa Ribeiro e, também, do Zenaldo. Tudo com a promessa de que o Helder seria o candidato “ungido” pelos tucanos, ao Governo do Estado.

É ou não escritinho um episódio do “Além da Imaginação”?

Esse negócio é o mesmo lári-lári, o mesmo papo-furado, a mesma conversa mole, que fez o PMDB apoiar a eleição do Jatene, em 2010.

Por incrível que pareça, o PMDB acreditou que o Jatene não seria recandidato, em 2014, e poderia até apoiar o Helder.

Ou seja, caiu no conto do paco do Jatene, que desempenhou o papel de “governante-cidadão sem apetência pelo poder!”... (pausa para gargalhar: quá-quá-quá-quá-quá-quá-quá-quá-quá).

E não só o PMDB: vários tucanos também caíram nessa esparrela.

E a poderosa “Mãe Perereca”, quase que consegue visualizar a cena:

Com o olhar emocionado, até a lacrimejar, o Jatene bota a mão no ombro do sujeito e tasca: “Caboco, eu preciso de ti! Eu detesto esse negócio de poder, caboco! E não quero ser candidato, em 2014, porque sou contra reeleição. Então, se me ajudares agora, serás o meu candidato, em 2014! E eu vou fazer de um tudo pra te eleger, caboco!”.

E o sujeito, diante dessa atuação emocionada, realmente acreditava que o Jatene estava ali a “abrir o coração” pra ele... 

Só mesmo quem não conhece nadica da natureza humana é que ainda acredita no Jatene.

O sujeito pisou até no pescoço do velho Almir, amigo do peito dele, só pra manter o poder. É capaz de chorar, cara a cara, enquanto manda enfiarem uma faca nas costas do coitado, que foi lá pedir ajuda. É tão traiçoeiro que mandou implodir a campanha de um correligionário, o Zenaldo, na década de 2000, só para reforçar a liderança do Duciomar, que era cria dele.

É, caro leitor: o Duciomar é cria do Jatene (e isso ninguém me contou: eu estava lá, eu vi!).

Então, como é possível que um aglomerado de raposas políticas, gente passada na casca do alho, como é o PMDB, possa ser tão facilmente manipulado por um vigarista desses, do qual todos estão cansados de conhecer as histórias?

E ainda por cima com esse papo-furado de que os tucanos estão dispostos a largar esse osso... Mas quando!... Se isso é um mocotó daqui, ó!

Sinceramente, não acredito que o PMDB seja tão ingênuo. Para mim, das duas, uma: ou foi o próprio Jatene quem mandou o Orly espalhar esses boatos; ou algum tucano descontente está tentando usar os peemedebistas, para pressionar o Jatene.

Particularmente, acredito mais na primeira hipótese: o Jatene mandou o Orly espalhar essa boataria. E pra quê? Pra ganhar tempo, caro leitor!

As últimas eleições, ao Governo do Estado e à Prefeitura de Belém, mostraram que, apesar de todo o ilusionismo da Griffo, a população paraense já começa a cansar desse lári-lári dos tucanos.

Tanto é assim que o próprio Jatene, com a máquina na mão, quase perde as eleições - e, em Belém, os tucanos tiveram que “estuporar” a boca do balão, para reeleger o Zenaldo (que, justamente por causa dessa “estuporação”, acabou bicassado).

Isso significa que eles precisarão de um derrame fabuloso de dinheiro, para fraudar as eleições do ano que vem.

Daí a história do empréstimo do BRT e da privatização da Cosanpa, as duas possíveis fontes dessa bufunfa poderosa.

Então, têm que ganhar tempo, embaralhar as cartas, criar grandes cortinas de fumaça, enquanto desviam milhões do BRT ou colocam as mãos na bolada da Cosanpa.

E não se iluda, caro leitor: se os tucanos botarem a mão nessa bufunfa, babau! Eles vão comprar voto a rodo, muito mais do que aconteceu em 2014 e 2016. E tudo sob o olhar complacente do TRE, que vai sentar em cima dos processos de cassação – como já vem fazendo há anos, aliás.

Então, penso que o que aconteceu em Mosqueiro foi algo bem menos complexo: o PMDB resolveu “carimbar” aquela obra, ganhando o máximo de espaço possível para isso. Só que o Jatene e o Orly, espertamente, aproveitaram a chance para embaralhar as cartas – ou até lançar o anzol: os tucanos fazem que brigam, com possibilidade até de ruptura, para levar o PMDB a apostar em “oportunidades” inexistentes.

Agora, se os peemedebistas caírem, de novo, na conversa-fiada dos tucanos, então, é o caso de se dizer: manos, não tem “as condição”!... Vão é plantar pupunha, criar galinha, fazer artesanato, porque vocês não entendem patavina de política!

E aproveitem mais é pra fazer um bom curso de Teatro, que é pra ver se aprendem, ao menos, a reconhecer um canastrão.

FUUUIIIIIII!!!!!!  

Nenhum comentário: