Ban

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

A campanha do tapetão





Eu queria propor uma vaquinha, pra gente dar de presente uma fábrica de óleo de peroba pro Orly Bezerra, o marqueteiro do Zenaldo.

Não é brincadeira, não: a cara do Orly chega vive peganhenta, lustrosa!

Já imaginaram a despesa desse coitado?

A última do Orly é espalhar que recorrer à Justiça Eleitoral, pra acabar com o uso da máquina na eleição, é querer “ganhar no tapetão”.

Olha só o raciocínio “ANTAlógico” que ele está “vendendo”!

Parece até que o Judiciário não é parte desse jogo e que não existem leis, não é mesmo?

Mano, a Lei é clara: não pode usar dinheiro público, a máquina pública, em campanha eleitoral, porque dá “cartão vermelho”.

Então, quem é que tá recorrendo ao “tapetão”?

A mim parece que é o sujeito que tenta jogar à margem das regras, "fora do gramado", distribuindo bicudas ou "presentinhos", conforme a conveniência. O sujeito que não respeita a legislação!

O próprio juiz que cassou o Zenaldo, parece até que já meio desesperado, disse mais ou menos assim: “olha, esses caras já foram multados, já foram punidos, mas não adiantou! Eles continuam fazendo a mesma coisa!”

Não acredite em mim, não; leia a sentença do juiz: https://drive.google.com/file/d/0B8xdLmqNOJ12N2pPTnY1X3NRRzQ/view?usp=sharing  

A campanha do Zenaldo foi condenada em quatro processos, por propaganda ilegal. QUATRO! Mas continuou desrespeitando a Lei.

É como se um juiz de futebol tivesse chegado várias vezes, “na paz”, com um jogador delinquente e dito pra ele: “mano, para de ficar dando bicuda nos outros, porque, senão, eu vou ter que te expulsar”.

E aí, quando o juiz, já cansado, resolvesse puxar o cartão vermelho, o sujeito ainda quisesse ficar dando uma de “coitadinho”.

Não é pouca coisa a acusação contra o Zenaldo, não: é de uso de dinheiro público na campanha dele, e numa cidade onde as pessoas estão morrendo, até por falta de medicamento nas unidades de Saúde.

A página da Prefeitura, no Facebook, tem 80 mil seguidores. Avalie a quantidade de gente atingida pela propaganda ilegal que estava lá.

E quem foi que produziu essa propaganda elogiosa ao Zenaldo, que tava na página da Prefeitura, apesar de a Lei proibir esse tipo de coisa?

Foram funcionários públicos, caro leitor, pagos com o seu suado dinheirinho, com o dinheiro dos seus impostos.

Funcionários públicos que também usaram a cadeira, a mesa, o computador, beberam a água, o cafezinho, tudo comprado com o seu dinheiro!

Você quer que o seu dinheiro seja usado assim?

Segundo o juiz, a campanha do Zenaldo nem mesmo pediu perícia nas fartas provas dessa propaganda ilegal (vídeos, matérias), que estava no Facebook da Prefeitura.

É aquela coisa: se lhe acusarem de um crime e chegarem com um monte de documentos, mas você souber que não fez aquilo, você não vai nem mesmo pedir uma perícia?

Particularmente, creio que essa cassação do Zenaldo vai cair logo, logo, porque a gente sabe como funciona a justiça paraense, né mesmo?

Olha o caso do Duciomar, que foi acusado de usar a máquina, nas eleições de 2008, mas só foi condenado pelo TRE em 2014 – quando já nem prefeito era!...

No entanto, fica pra você, caro leitor, a afirmação desse juiz corajoso, que cassou o Zenaldo: o prefeito tá usando o seu suado dinheirinho de impostos, na campanha dele.

Tá quebrando todas as regras do jogo.

Tá querendo jogar à margem da Lei.

Tá querendo ganhar distribuindo "pirulito", na arquibancada.

E isso, sim, é que é querer “ganhar no tapetão”.

FUUUUIIIIIII!

Nenhum comentário: