Ban

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Empresa ligada a Carlinhos Cachoeira recebeu R$ 427 milhões do Governo do Pará. Apesar da nova licitação de 2012, Jatene ainda pagou quase R$ 22 milhões à Delta Construções, entre 2013 e o ano passado, pelo aluguel de viaturas ao Sistema de Segurança Pública.





Quase R$ 427 milhões foram pagos pelo Governo do Pará, entre 2004 e o ano passado, à empresa Delta Construções, que é ligada ao bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso pela Polícia Federal, no último 30 de junho, durante a operação Saqueador. Os números foram extraídos pela Perereca do portal estadual da Transparência e atualizados pelo IPCA-E do mês passado.

A montanha de dinheiro carreada para a Delta pelo Governo do Pará supera até o volume de recursos investigado na operação Saqueador: segundo a PF, a Delta, 18 empresas de fachada e três operadores, entre eles Cachoeira, lavaram R$ 370 milhões desviados do erário, objetivando o pagamento de propinas a políticos e funcionários públicos.

Dos R$ 427 milhões recebidos pela Delta no Pará, 65% foram pagos entre 2007 e 2010, no governo da petista Ana Júlia Carepa. O restante foi pago pelo tucano Simão Jatene, no primeiro governo dele, entre 2004 e 2006, e entre 2011 e 2015, já no seu segundo e terceiro governos.

Confira no quadro abaixo. Clique em cima dele, para ampliar:




Parte do dinheiro que ela recebeu, principalmente no governo petista, refere-se a obras viárias, como é o caso da avenida Independência e do elevado da Júlio César, em Belém.

Mas outro tanto diz respeito a contratos, no mínimo, inusitados: o aluguel de viaturas à polícia, justamente a força encarregada de prender contraventores como Carlinhos Cachoeira, que já chegou a ser apontado como sócio oculto da Delta.

O primeiro desses contratos aconteceu em julho de 2010, ainda no governo de Ana Júlia. Previa o aluguel de 450 carros de passeio,  à Polícia Militar do Estado, ao custo de R$ 20 milhões, para dois anos (ou R$ 10 milhões por ano).

A transação foi muito criticada pelo tucano Simão Jatene, que era, então, candidato ao governo em oposição à petista.

E tomou as proporções de um escândalo, em agosto daquele ano, quando um diretor da Delta foi preso, em Belém, durante a operação “Mão Dupla”, por suspeita de envolvimento em um esquema de fraudes licitatórias e superfaturamento, no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) do Ceará.

No entanto, por uma dessas ironias da História, seria no governo de Simão Jatene que os contratos da Delta viriam a se transformar em caso de polícia. 


Faturamento salta de 10 para 22 milhões por ano 


Para fechar o contrato com a Delta, o governo de Ana Júlia havia aderido a uma Ata de Registro de Preços do governo de Goiás.

A adesão a uma licitação alheia, conhecida como “carona”, era até considerada ilegal pelo Ministério Público.

Daí que, ainda no primeiro semestre de 2011, Jatene mandou realizar um Pregão Eletrônico, para o aluguel de viaturas a todo o Sistema de Segurança Pública do Pará.

Mas, por incrível que pareça, quem ganhou essa licitação foi justamente a Delta Construções.

Ainda em novembro de 2011, os contratos que a  Delta assinou com os órgãos da Segurança Pública do Pará somavam mais de R$ 22 milhões por ano.

O maior deles, com a Polícia Militar, ficou em R$ 14 milhões anuais – ou seja, 40% a mais do que era pago no contrato petista.


E mais: a Perereca descobriu que Jatene manteve em vigor o antigo contrato da Delta com a PM, aquele da gestão petista, mesmo depois de assinar esse novo contrato de R$ 14 milhões.

Ou seja: ao longo de vários meses, o governo operou com dois contratos paralelos, para pagar a mesmíssima coisa.

Além disso, esse novo contrato de R$ 14 milhões da PM ainda recebeu um aditivo de R$ 3,5 milhões, elevando-o para R$ 17,5 milhões anuais.

O blog também descobriu que o aluguel de viaturas, em vez da compra de carros pelo governo, pode ter causado um prejuízo de mais de R$ 50 milhões aos cofres públicos.

Descobriu, ainda, que os preços da Delta, no Pará, eram muito superiores ao que ela cobrava em outros estados: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2011/12/o-escandaloso-pregao-da-segup-aluguel.html 


Contratos continuaram, apesar do escândalo nacional 


Enquanto tudo isso acontecia no Pará, investigações da Polícia Federal e o noticiário da imprensa nacional escancaravam a profundidade da ligação da Delta à quadrilha de Carlinhos Cachoeira.

O escândalo rendeu uma CPMI, levou à cassação do senador Demóstenes Torres, do DEM; o Governo Federal, estados e municípios romperam os contratos da Delta, que foi até declarada inidônea, pela Controladoria Geral da União (CGU), o que deveria impedi-la de firmar contratos com o Poder Público.

Mesmo assim, Jatene manteve os contratos da empresa, que ainda recebeu aquele aditivo de R$ 3,5 milhões no contrato da PM, apesar da declaração de inidoneidade da CGU.

Só em setembro de 2012 é que foi realizada uma nova licitação para o aluguel de viaturas ao Sistema de Segurança Pública do Pará. E isso depois de muitas denúncias, investigações abertas pelo Ministério Público e até da ameaça de convocação de Jatene, para depor na CPMI de Carlinhos Cachoeira.

No entanto, descobre-se agora, a Delta ainda continuou a receber dinheiro do Governo, apesar da nova licitação de 2012: foram quase R$ 22 milhões, entre janeiro de 2013 e março do ano passado. No caso de 2015, a título de despesas não pagas nos anos anteriores.

E olhe que os tucanos paraenses, inclusive Jatene, não cansavam de criticar o contrato de Ana Júlia com a Delta, quando ainda nem se imaginava o envolvimento da empresa com a quadrilha de Cachoeira.

Mas não pense, caro leitor,  que a Delta faturou alto apenas no Pará: ela ganhou milhões no Governo Federal administrado pelo PT e também faturou milhões em estados administrados pelo PSDB, como é o caso de São Paulo e Goiás.

Ganhou muito, mas muito dinheiro, também com políticos do PMDB, DEM, PP – em suma, com todos os grandes partidos.

Afinal, como tudo o que envolve suspeitas de lavagem de dinheiro e de financiamento ilegal de campanha, também a Delta é suprapartidária.

Pois é. 

Leia o artigo (tão atual!) que escrevi, em junho de 2012, “Tucanos e petistas viram reféns da “massa atrasada”, na disputa pelo troféu “ulha, ulha, ulha, tu fizeste também!”.  É o "habeas patifaria" dos "lindinhos" da política brasileira”: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2012/06/artigo-tucanos-e-petistas-viram-refens.html 

Leia as reportagens da Perereca sobre a atuação da Delta Construções no Pará:

20 de abril de 2009 - Empresa acusada de irregularidades leva R$ 50 mi do Governo do Pará: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2009/04/delta1.html 

14 de maio de 2010 - Caixas de Pandora: contratos sob suspeita na Asipag, Seduc e Setran totalizam mais de R$ 214 milhões: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2010/05/caixas-de-pandora-contratos-sob.html 

21 de novembro de 2011 - Indícios de fraude no Pregão da Segup que beneficiou Delta Construções com um contrato de R$ 14 milhões com a PM do Pará: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2011/11/indicios-de-fraude-no-pregao-da-segup.html 

23 de novembro de 2011- Carros antigos alugados pela Delta à PM continuariam a circular em Belém: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2011/11/carros-antigos-alugados-pela-delta.html 

24 de novembro de 2011 - Jatene derrama dinheiro na Delta Construções. Contratos com Sistema de Segurança Pública somam mais de R$ 22 milhões. Novo contrato da PM é maior que no governo petista e é possível que dois contratos estejam em vigor: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2011/11/extra-extra-jatene-derrama-dinheiro-na.html 

25 de novembro de 2011 - Segup garante que governo economizou dinheiro com novo contrato entre a PM e a Delta Construções. Mas admite que contrato antigo continua em vigor: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2011/11/segup-garante-que-governo-economizou.html 

29 de novembro de 2011- Pregão da Segup vira caso de polícia: acusada de irregularidades em vários pontos do país, Delta Construções poderá faturar até R$ 83 milhões dos cofres públicos paraenses: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2011/11/pregao-da-segup-vira-caso-de-policia.html 

1 de dezembro de 2011 – Cidadão denuncia e o xerife entra em campo: Ministério Público vai investigar Pregão da Segup que pode render à Delta Construções quase R$ 83 milhões dos cofres públicos do Pará: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2011/12/cidadao-denuncia-e-o-xerife-entra-em.html 

7 de dezembro de 2011 – O escandaloso Pregão da Segup: aluguel de veículos para o Sistema de Segurança Pública do Pará consumirá, em três anos, R$ 56 milhões a mais do que a compra de viaturas. E preços da Delta Construções no Mato Grosso são bem menores do que no Pará: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2011/12/o-escandaloso-pregao-da-segup-aluguel.html 

3 de abril de 2012 - Parla, Demóstenes, parla!: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2012/04/parla-demostenes-parla.html 

16 de abril de 2012 – PM turbina contrato com a Delta Construções em mais de R$ 3,5 milhões. Contrato passa a valer mais de R$ 17,6 milhões para apenas 12 meses. É muito mais do que era pago à empresa na gestão petista. Delta está enrolada até o pescoço no escândalo do contraventor Carlinhos Cachoeira: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2012/04/pm-turbina-contrato-com-delta.html 

18 de abril de 2012 – Ministério Público Militar instaura inquérito civil público para investigar novo contrato da Delta Construções com a PM do Pará. Promotores vão reunir semana que vem para traçar estratégia de ação. Aditivo elevou valor global do contrato para mais de R$ 17,6 milhões: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2012/04/ministerio-publico-militar-instaura.html 

9 de maio de 2012 – Jatene debaixo de bala: deputado Edmilson Rodrigues pedirá que contratos da Delta Construções com o Governo do Pará também sejam investigados pela CPMI de Carlinhos Cachoeira: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2012/05/extra-extra-jatene-debaixo-de-bala.html 

15 de maio de 2012 - Promotores apertam o cerco à Delta Construções no Pará. Edmilson Rodrigues pede inclusão de contratos na CPMI de Cachoeira. Perereca localiza aditivo de R$ 750 mil da Polícia Civil. E novos contratos da Segup e da Defensoria Pública somam quase R$ 370 mil: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2012/05/promotores-apertam-o-cerco-delta.html 

18 de setembro de 2012: Responsáveis pelo contrato entre a Delta e a PM no governo petista devem ser processados por improbidade. Ex-comandante da PM também poderá ser incluído na Ação Civil Pública, informa o promotor de Justiça Domingos Sávio. A Delta de Carlinhos Cachoeira é um rolo sem fim: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2012/09/responsaveis-pelo-contrato-entre-delta.html

..........

Atualizada às 20h30:
Peço desculpas, pois esqueci de colocar os quadrinhos do portal da Transparência, com os pagamentos à Delta. Reparem que há anos em que são usados dois CNPJs (da matriz e da filial de Belém):


2004:
 2005:
 2006:
 2007:
 2008:
 2009:
 2010:


 2011:


 2012:


2013:
 2014:
2015:

2 comentários:

Anônimo disse...

Quem foi o operador da Delta no Pará junto ao governo do estado?

Bonanza disse...

Precisamos de um Judiciário e MP fortes, e um novo Judiciário e MP.