Ban

segunda-feira, 21 de março de 2016

Todos os bandidos na cadeia! Mas com respeito ao Estado Democrático de Direito. Do contrário, será a barbárie.



 


Direto do Facebook: 

Por Charles Alcântara* 


Deparo-me com uma nova narrativa dos defensores do golpe, desta feita mais ardilosa.

O ardil consiste em acusar os que se opõem ao golpe, de quererem soltar os corruptos e prender o juiz Moro.

A narrativa dos golpistas parte da premissa de que estes são os detentores da moral, daí porque qualquer voz dissonante é acusada de conivente com a bandidagem.

Qualquer voz que se ergue a favor do Estado de Direito, do princípio da não culpabilidade, da presunção da inocência, do devido processo legal, é calada histericamente.

Os golpistas agora investem contra quem defende a legalidade, com uma acusação diversionista: "querem soltar os bandidos e prender o Moro".

Vejo velhos conhecidos - que não conseguem dizer um "ai" contra a corrupção que acontece sob os seus narizes - com o dedo em riste vociferando contra a corrupção de Brasília.

Vejo velhos conhecidos - que não conseguem esboçar um gesto sequer contra as denúncias de corrupção das autoridades locais - enchendo suas redes sociais de mensagens e imagens de indignação contra a corrupção das autoridades federais.

Vejo velhacos em profusão.

Eu não quero soltar os bandidos e prender o Moro, seus estúpidos!

Sabem o que eu quero?

Quero todos os bandidos pagando pelos seus crimes, mas o meu querer é antagônico ao querer dos golpistas.

Quero (todos!) os bandidos pagando pelas suas bandidagens, sejam os de Brasília, sejam os do Pará.

Quero, todavia, que todos os cidadãos acusados tenham direito a um julgamento justo, sem supressão dos direitos e garantias previstos na Constituição Federal e que, só depois de - e se - condenados, sejam considerados culpados.

O que eu não posso aceitar é que, em nome do combate à corrupção ou a qualquer malfeito, juízes, promotores e policiais desrespeitem as leis, porque não há causa nobre capaz de enobrecer a conduta de um magistrado que desrespeita as leis.

A sociedade que concede a quem quer que seja "autorização" para cumprir ou não cumprir a lei, ao seu alvedrio, está fadada à injustiça, à violência, ao caos.

Ocorre que o golpista precisa relativizar o cumprimento da lei para viabilizar o golpe. Essa é a arapuca que os golpistas armaram para capturar a democracia brasileira.

Golpe pressupõe quebra da legalidade, regime de exceção, licença para suprimir direitos e garantias fundamentais. Vem daí a licença que querem conceder ao juiz Moro.

Os que hoje aplaudem os abusos cometidos contra os direitos dos seus adversários políticos, amanhã, serão as próximas vítimas do arbítrio que ajudaram a implantar.

Não me sinto menos honesto ou menos indignado com a corrupção do que qualquer um desses que andam a pedir a cabeça dos corruptos.

A minha trajetória de servidor público não fica a dever à trajetória de nenhum desses demagogos que andam por aí a liderar manifestações contra a corrupção.

O meu querer não tem máscaras.

Quero que todos os corruptos - depois de julgados e condenados - paguem pelos seus crimes.

Quero o mesmo destino para os sonegadores, que são os maiores ladrões do dinheiro público.

Mas eu também quero que seja punido qualquer magistrado, promotor ou policial que desrespeitar as leis.

O que eu não quero?

Não quero ser conduzido coercitivamente, sem que eu tenha me recusado a prestar depoimento quando intimado.

Não quero que as minhas conversas privadas sejam grampeadas sem autorização legal e expostas na televisão.

Não quero ser condenado sem um julgamento justo.

E quero mais!

Quero ter o direito de andar livremente nas ruas, vestindo as cores que eu quiser, sem correr o risco de ser xingado e violentado.

Mas eu não quero isso apenas para mim e para a minha família. Quero para todos os brasileiros!

Do contrário, será a barbárie. 


*Auditor fiscal da Sefa, ex-presidente do Sindifisco-PA

Um comentário:

Anônimo disse...

Não queremos ladroes de estimação. Que sejam todos julgados, de esquerda ou de direita.... não queremos dar salvo conduto de roubalheira para qualquer pessoa pelo histórico dela. Presidentes eleitos democraticamente podem sair se cometerem delitos. ex-presidentes pode ser presos, até porque se eles não se preocuparam com seu passado glorioso e dilapidaram o patrimônio publico, nos é que não devemos nos preocupar...