Ban

quarta-feira, 18 de março de 2015

Os fantasmas da ditadura nas ruas de São Paulo: “metralharia com o maior prazer”



Por Fernando Brito, no Tijolaço 


O vídeo publicado pela revista Trip no Youtube é estarrecedor.

É o resultado de uma política de “esquecimento” que fez esquecer o que foram os dias de sangue, mutilação e morte que este país viveu.

Sob o olhar complacente da mídia em geral – que se porta, inclusive, com menos dignidade que as meninas anti-Dilma que aparecem na gravação – permite-se que brote este cogumelo do fascismo, da brutalidade e o ressurgir de velhos monstros e suas novas versões patéticas.

Ouvir palmas para um velho agente do Dops dizer que “metralharia com o maior prazer” pessoas que se opunham à ditadura e ver, depois, espontanemente, um policial  militar bater-lhe continência é, perdão pela palavra, vomitivo.

Cultua-se, agora, o “blaquibloquismo” já não contra vidraças e caixas de bancos, mas contra a democracia e o voto.

Aí está no que deu a cultura do acovardamento moral dos democratas ante a apologia da tirania.

É como se a Alemanha, em nome da democracia, permitisse as manifestações dos nazistas.

E os líderes políticos dos partidos consevadores  dissessem: “deixa, deixa, isso leva água para o nosso moinho”.

Com todo o respeito, Presidenta, eu não lutei a minha vida inteira para que as pessoas pudessem falar que vão metralhar seres humanos, nem para algum imbecil pretender tirar o meu – ou o de 200 milhões de brasileiros –  direito de votar, escolher e decidir os destinos do Brasil.

Nenhum comentário: