Ban

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Em 10 anos, taxa de homicídio dobrou em Belém. Deputado cobra ação do Governo Jatene e pede o fim da “maquiagem” dos indicadores.


No blog do deputado Carlos Bordalo: 


Chega de maquiar a criminalidade. A sociedade quer uma ação real do governo Jatene. Não dá mais para maquiar os índices de violência no Pará. A sociedade precisa de uma atitude real, sem o jogo do faz de conta. As estatísticas do Ministério da Justiça sinalizam para o caos na segurança pública, bem diferente do que o governo do PSDB tenta impor à população. 

A violência não para de crescer na Região Metropolitana de Belém.  Segundo o "Mapa da Violência 2011", divulgado ontem pelo Ministério da Justiça, o número de homicídios na região cresceu 189,3% em dez anos.  O levantamento revela que, entre 1998 e 2008, o número total de assassinatos saltou de 403 para 1.166, o que representa mais de 97 homicídios por mês.  Entre as vítimas, 287 tinham idade entre 15 e 24 anos.  A evolução de casos é a terceira maior do País, atrás somente das regiões metropolitanas de Salvador (435,1%) e de Curitiba (197,7%). 

Os dados apontam uma taxa altíssima de 47 homicídios para cada 100 mil habitantes na capital paraense.  Em 1998, essa taxa era de 29,1 para cada 100 mil.  Nesse indicador, Belém ocupa a sétima posição - nove posições acima da marca indicada no início da pesquisa.  Como comparativo, a taxa nacional de homicídios apontou 20,1 para cada 100 mil.  Os índices de Belém são mais que o dobro das taxas de países como Cazaquistão (23,6/100 mil), Ucrânia (20,8/100 mil) e Guiana (20,5/100 mil), por exemplo. 

As taxas de Belém implicam no rendimento geral do Estado.  Pelo Mapa da Violência, o Pará é o quarto Estado mais violento do País.  O Estado deu um salto assustador.  No início da década, a posição paraense era o 19º lugar.  Saiu da taxa de homicídios de 13,3 para 39,2 a cada 100 mil.  É o maior índice da região Norte, mas o Amapá aparece em seguida, na quinta posição (34,4/100 mil).  A maior proporção de assassinatos é em Alagoas, são 60,3 homicídios a cada grupo de 100 mil.  Depois aparecem Espírito Santo e Pernambuco, com as médias de 56,4 e 50,7, respectivamente”. 

Aqui: http://bordalo13.blogspot.com.br/

Nenhum comentário: