Ban

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Presidente da Comissão de Meio Ambiente da OAB quer intervenção federal no Pará. Novo prefeito de Tomé-Açu sofre atentado à bala. E Zé Carlos diz não entender o porquê de Jatene se recusar a pedir ajuda à PF para a captura de Carlos Vinícius e Carlos Antonio Vieira, acusados de mandar matar o advogado Jorge Pimentel




O presidente da Comissão de Meio Ambiente da seccional paraense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Zé Carlos Lima, vai sugerir ao presidente da entidade, Jarbas Vasconcelos, que a OAB/PA peça intervenção federal no estado, para que sejam cumpridos os mandados de prisão do ex-prefeito de Tomé-Açu, Carlos Vinícius de Melo Vieira, e do pai dele, Carlos Antonio Vieira.

Eles são acusados de serem os mandantes dos assassinatos do advogado Jorge Pimentel e do empresário Luciano Capaccio, em Tomé-Açu, em março deste ano.

Os executores do crime já se encontram presos há meses, mas Carlos Vinícius e Carlos Antonio continuam foragidos.

Na noite de sábado, o novo prefeito de Tomé-Açu, José Hildo Taketa, foi vítima de um atentado à bala: três tiros foram disparados contra a residência dele, mas, por sorte, ninguém foi ferido.  

O delegado que comanda as investigações disse que, em princípio, o atentado não está relacionado com o caso do ex-prefeito Carlos Vinicius. Mas disse, também, que “nenhuma possibilidade está descartada”. 



No domingo, Zé Carlos Lima publicou artigo em seu blog informando o atentado e estranhando o fato de o governador Simão Jatene se recusar a pedir ajuda ao Ministério da Justiça, para a captura dos fugitivos.

“A pedido da OAB Federal, a Polícia Federal está pronta para entrar no caso, basta apenas um pedido do Governador Simão Jatene, mas, estranhamente, Jatene se recusa a pedir auxilio federal. Enquanto os dois estiverem livres, infelizmente, outras pessoas correm perigo de morte”, escreveu.

No artigo, ele lembrou que José Hildo é advogado. Daí ter sugerido que a OAB peça intervenção no Pará, com base no artigo 34, VII, da Constituição Federal, para “fazer cumprir a decisão judicial postergada”.

Há pouco, a Assessoria de Comunicação da OAB/PA disse à Perereca que ainda não existe qualquer sugestão ou decisão nesse sentido e que só poderá conversar amanhã com Jarbas Vasconcelos, que hoje será submetido a uma cirurgia em um dos joelhos.

Mas Zé Carlos afirmou à Perereca que vai discutir a ideia com o presidente da OAB.

“Estou provocando esse debate (sobre a intervenção), conversando com todo mundo, e vou conversar com o Jarbas sobre isso”- disse ele ao blog – “Não é para tirar o cargo do governador, mas para fazer cumprir uma decisão judicial”.

Segundo Zé Carlos, a polícia paraense “já não está mais nem indo atrás” dos foragidos.

E questionou, novamente, a relutância do governador em pedir ajuda ao Ministério da Justiça.

“Na hora em que o governador fizer um ofício ao Ministério da Justiça, pedindo ajuda, a Polícia Federal entrará no caso. Então, por que é que ele não faz esse ofício?”

Na última quinta-feira, a Perereca da Vizinha publicou reportagem mostrando as duras críticas de Jarbas Vasconcelos contra a impunidade no Pará e contra o fato de Carlos Antonio e Carlos Vinícius continuarem foragidos.

Em discurso na Assembleia Legislativa, o presidente da OAB prometeu denunciar o Pará a organismos internacionais de direitos humanos e chegou a afirmar: “Não queremos mais justificativa, explicação. Queremos que a Alepa dê prazo certo para o governador determinar... Porque isso não é uma questão técnica da segurança, é uma questão política: se prende quem quer, não se prende quem não quer. Portanto, essa é uma questão de Governo. E é preciso que essa Assembleia diga ao governador que a OAB exige que o governador determine  - pra valer! – a prisão de quem matou o advogado Jorge Pimentel. Ou ele faz isso, ou vai responder por isso – inclusive pelo crime de responsabilidade”.

Na reportagem, a Perereca também mostrou que informações de bastidores (das quais a OAB só tem conhecimento “extraoficialmente”) dão conta de que os dois foragidos estariam recebendo ajuda de um parente do governador.

O blog mostrou, ainda, que um sobrinho de Jatene, o empresário Eduardo Salles, é sócio de Carlos Antonio Vieira em um empreendimento imobiliário em Castanhal. 

Leia a reportagem da Perereca “Presidente da OAB ameaça denunciar Pará a organismos internacionais e a levar Jatene a responder por crime de responsabilidade. Assassinato do advogado Jorge Pimentel vai completar 8 meses, supostos mandantes continuam foragidos e governador não pede ajuda à PF. Sobrinho de Jatene estaria ajudando foragidos”: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/10/presidente-da-oab-ameaca-denunciar-para.html 


E leia o artigo publicado por Zé Carlos Lima em seu blog, no domingo: 


Prefeito de Tomé-Açu sofre tentativa de assassinato 


Ontem à noite fizeram vários disparos nas janelas da rádio, mas precisamente na direção do quarto do Zé Hildo, atual prefeito de Tomé-Açu.

José Hildo é do PT e era o vice-prefeito e assumiu a prefeitura após a cassação do titular por abandono do cargo.

O prefeito Carlos Vinicius foi cassado após ficar na condição de foragido, depois que sua prisão foi decretada pela Justiça do Pará e confirmada pelo STJ.

Vinicius e seu pai foram os mandantes dos assassinatos do advogado Jorge Pimentel e do empresário Luciano Capacio.

A polícia do Pará fez um belo trabalho de investigação e desvendou a trama, mas quando as investigações chegaram aos poderosos mandantes, com laços na alta cúpula da política e dos negócios escusos paraenses, apareceram mãos invisíveis que retiraram pai e filho de helicóptero de suas fazendas e de lá eles fugiram para até hoje nunca ser alcançados pela nossa Segurança Pública.

A pedido da OAB Federal, a Polícia Federal está pronta para entrar no caso, basta apenas um pedido do Governador Simão Jatene, mas estranhamente Jatene se recusa a pedir auxilio federal.

Enquanto os dois estiverem livres, infelizmente, outras pessoas correm perigo de morte.

A OAB, já que José Hildo é advogado, deveria, respaldada no artigo 34, VII, da Constituição Federal, pedir intervenção no Pará e fazer cumprir a decisão judicial postergada.

O direito da pessoa humana está em risco no Pará”. 

Tem mais blog do Zé Carlos aqui: http://www.zecarlosdopv.com.br/

Nenhum comentário: