Ban

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

O escândalo no TRE: Salame depõe na Polícia Federal e reafirma conversa com Antonio Armando. “Novas evidências” podem tornar desnecessária perícia de voz, diz advogado. Prefeito concede coletiva às 16 horas, em Marabá. Vai falar sobre a cassação de seu mandato e a liminar do TSE, que lhe garantiu a permanência no cargo.



O prefeito de Marabá, João Salame: "novos fatos" sobre o escândalo que eletriza o Pará. A foto é do blog Análise da Conjuntura



O prefeito de Marabá, João Salame, depôs agora de manhã na Polícia Federal em Belém, no inquérito que apura a suposta venda de sentenças por juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE/PA).

Segundo o advogado Inocêncio Mártires, o prefeito reafirmou que o interlocutor do áudio que originou as investigações é mesmo o ex-deputado estadual e ex-prefeito de Marituba, Antonio Armando.

Na gravação, Armando diz intermediar a venda de votos favoráveis a Salame, por magistrados do TRE.

Também relata supostos casos de venda de sentenças naquele tribunal.

Ao todo, quatro magistrados e um advogado são citados na gravação.

“O Salame confirmou tudo o que já foi divulgado pela imprensa” – disse Inocêncio.

Ainda segundo ele, o depoimento, que durou cerca de uma hora, foi o primeiro do inquérito.

Inocêncio, porém, não quis antecipar se Salame pedirá ou não uma perícia de voz, já que o advogado de Antonio Armando negou à imprensa que a voz naquele áudio seja de seu cliente.

Enigmático, limitou-se a dizer que “tem muita para acontecer e talvez essa perícia seja desnecessária, considerando outras evidências. Mas a Polícia Federal e o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) pediram que nada fosse divulgado”.

Nem Inocêncio nem Salame quiseram dar detalhes do depoimento prestado, ontem, ao CNJ.

Informaram, apenas, que Salame foi ouvido pelo conselheiro Gilberto Valente e pelo corregedor e que entregou a gravação da conversa com Antonio Armando.

O prefeito de Marabá, porém, voltou a prometer “novos fatos” acerca da cassação de seu mandato.

Ontem, o ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu liminar para a permanência de Salame no cargo de prefeito de Marabá, até o julgamento do mérito do processo que levou à cassação de seu mandato pelo TRE. 


Agora à tarde, Salame desembarca em Marabá para reassumir a Prefeitura.

Às 16 horas, ele concede coletiva à imprensa.

Também está prevista uma recepção, no aeroporto, por dezenas de correligionários – e, talvez, até uma carreata. 

Leia no blog do Zé Dudu: http://www.zedudu.com.br/?p=31760 



E leia as postagens da Perereca sobre a suposta venda de sentenças por magistrados do TRE: 


7 de novembro de 2013 - “4 juízes citados em gravação que revelaria pagamento de propinas a juízes do TRE. Ouça a gravação feita pelo prefeito cassado de Marabá, João Salame, que teria se recusado a comprar sentença. Venda seria intermediada pelo ex-prefeito de Marituba Antonio Armando. PF abriu inquérito para investigar o escândalo: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/11/4-juizes-citados-em-gravacao-que.html  E aqui: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/11/ouca-o-audio-que-revelaria-pagamento-de.html 

7 de novembro de 2013 - “Justiça Federal rebate acusações de Antonio Armando contra magistrado. Juiz federal Ruy Dias de Souza Filho nunca atuou em processos envolvendo Duciomar Costa e só assumiu lugar no TRE em junho de 2013: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/11/justica-federal-rebate-acusacoes-de.html 

11 de novembro de 2013 – “Meditações sobre a suposta venda de sentenças no TRE (1): prefeito de Marabá vai ao CNJ e promete “novas revelações bombásticas” sobre o escândalo. Ele teria mais um vídeo e um áudio envolvendo Antonio Armando e até o marido da juíza Ezilda Mutran”: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/11/meditacoes-sobre-suposta-venda-de.html 

12 de novembro de 2013 – “O escândalo no TRE: Sábatto Rossetti nega pagamento de propina a juiz e afirma que vai processar Antonio Armando, João Salame e Inocêncio Mártires. “Vou entrar com todas as ações possíveis. Não tolero molecagem”, diz ele, que promete pedir a quebra dos sigilos telefônicos e de emails de todos os envolvidos”: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/11/o-escandalo-no-tre-sabatto-rossetti.html

Nenhum comentário: