Ban

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Mais um advogado assassinado no Pará. Foi hoje, em Parauapebas. Seria o 12º caso de homicídio ou atentado contra advogados, desde 2011, no Pará


(Foto extraída pelo blog do cadastro nacional da OAB)


O advogado Dácio Antonio Gonçalves Cunha foi assassinado à bala, hoje, no município de Parauapebas, no Sudeste do Pará.

A notícia está no site da seccional paraense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que publicou nota de pesar sobre o caso.

Segundo a nota, Dácio foi assassinado na frente da casa dele, por um motociclista.

Há pouco, a Assessoria de Comunicação da OAB informou ao blog mais um detalhe: o advogado teria sido morto com um tiro certeiro no rosto. “O motociclista parou a moto, deu um tiro no rosto dele e foi embora”, contou a assessora.

Dácio foi vice-presidente da OAB em Parauapebas.

Pelas contas da OAB, é o 12º caso de homicídio ou atentado contra um advogado no exercício profissional, desde 2011, no estado do Pará.

Segundo a nota que está no site da entidade, o secretário de Segurança Pública, Luiz Fernandes, acompanha o caso pessoalmente e já designou uma equipe da Polícia Civil para se deslocar ao local do crime.

A nota classifica como “infeliz coincidência” o fato de Dácio ter sido assassinado no mesmo dia em que finalmente foi apresentada moção, na Assembleia Legislativa, para que o governador Simão Jatene peça apoio à Polícia Federal para a captura dos supostos mandantes do assassinato do advogado Jorge Pimentel, ocorrido em março deste ano, em Tomé-Açu.

Amanhã, o vice-presidente da OAB/PA, Alberto Campos, viaja a Parauapebas, para acompanhar o caso. 


E leia as reportagens da Perereca sobre as críticas da OAB à impunidade existente no Pará e à relutância do governador Simão Jatene em pedir ajuda à PF, para a captura dos supostos mandantes do duplo assassinato de Tomé-Açu, onde, no último sábado, o novo prefeito da cidade (que é advogado) também foi alvo de um atentado à bala: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/11/deputados-querem-que-jatene-peca-ajuda.html 
............
Atualizada às 22h00: 

Segundo a Assessoria de Comunicação da OAB, o corpo de Dácio está sendo levado para Marabá, para necropsia.

A equipe da Polícia Civil que se deslocou a Parauapebas é comandada pelo próprio delegado-geral, Rilmar Firmino. 

....................

Atualizada às 22h15: 

A Assessoria da OAB informou há pouco que Dácio tinha 41 anos (ele nasceu em 1972).

Era casado, mas não tinha filhos.

As últimas informações dão conta que foi alvejado na porta de casa, por volta das 19h30, quando aguardava uma pizza que havia encomendado. 

Mas ainda não se sabe quantos tiros levou (pode ter sido dois ou três, o que só será determinado pela necropsia).

Além disso, seriam 2 os criminosos que pararam de moto na porta da casa dele – e não apenas 1, como noticiado.

Haveria, também, uma testemunha do homicídio, mas que a polícia ainda não conseguiu identificar.

Também não se sabe ainda para onde o corpo será levado após a necropsia – se voltará para Parauapebas ou se irá para o estado do Mato Grosso, onde residem os familiares do advogado.

............ 


Atualizada às 22h58: 

No blog do Zé Dudu, que é daquela região, há informações sobre Dácio:

Mais um advogado é vítima de assassinato no Pará 
 
Faleceu no início da noite dessa terça-feira (05) o advogado Dácio Antônio Gonçalves Cunha (foto). Ele foi vítima de um assassino que encostou uma moto próximo do local onde o advogado estava (na entrada de um comércio próximo da sua residência, no bairro Rio Verde, em Parauapebas)  e o alvejou com um tiro de pistola calibre 380 na cabeça.

Dácio Cunha foi imediatamente socorrido e levado até o Hospital Municipal de Parauapebas, mas, infelizmente, sua morte se deu de forma instantânea.

Logo que a notícia vazou dezenas de colegas advogados e bacharéis se dirigiram até o necrotério do HMP.

O diretor da Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, Rodrigo Paggi esteve no local para colher as primeiras informações sobre o assassinato. Paggi, no entanto, alegando que qualquer informação fornecida à imprensa nesse momento poderia atrapalhar as investigações,nada informou.

Dácio era casado e deixa uma filha menor de idade. Sul-Mato-grossense, Dácio já militava há alguns anos em Parauapebas. Seu corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal, em Marabá, para ser necropsiado e deve voltar, amanhã para Parauapebas, onde possivelmente será enterrado”.

Um comentário:

Anônimo disse...

Tio, o senhor sempre estará em nossos corações.