Ban

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Caos da Saúde de Belém foi parar no jornal Hoje. No pronto socorro, jornalistas flagraram até criança deitada na escada, à espera de leito. Falta até dipirona no hospital.



No pronto socorro de Belém é assim: criança doente espera por leito deitada na escada

 
E na sala de espera, cansaço e caos também

 
A pequena Maria Clara: 15 dias de espera por um leito de UTI, numa "UTI" improvisada. Ela não resistiu

 
E essa é pra quem pensa que já viu de tudo: a identificação dos pacientes é feita num pedaço de papel, colado na parede.



No G1: 

22/08/2013 14h24 - Atualizado em 22/08/2013 14h24 


Equipe do Jornal Hoje acompanha rotina em hospitais de Belém. Equipe flagrou imagens que ilustram o caos no atendimento à população. Pessoas recorrem à Justiça por causa da falta de vagas. 

Fabiano Villela Belém 

Durante dois meses, os repórteres do JH acompanharam a rotina dos dois únicos hospitais de urgência e emergência de Belém e flagraram imagens que representam o caos no atendimento à população.

Na porta da rouparia de um dos hospitais, um aviso diz que não há lençóis para pacientes e funcionários. Quem tinha lençol foi porque trouxe de casa. Na sala de reanimação, estava Maria Clara, de um ano e meio. Ela foi internada por causa de um defeito na válvula instalada no cérebro e teve uma parada cardíaca.

O bebê passou 15 dias em um local improvisado, à espera de um leito de UTI pediátrica, mas a criança não resistiu.

"Ninguém merece estar em um lugar daqueles, péssimo, com péssimas condições de atendimento. Levar ela viva para Belém e trazer dentro do caixão é doloroso demais", desabafa Cleyton Gomes, pai da criança.

No outro hospital, dos três aparelhos de radiografia apenas um está funcionando e a sala de raio X está tomada por infiltrações e vazamentos. 

Por lá, tudo é feito no improviso: as macas estão espalhadas por todas as áreas de circulação do hospital, a identificação dos pacientes está colada nas paredes e na hora da refeição, as bandejas ficam sobre as macas ou até mesmo no chão.

Crianças, adultos e idosos chegam a ficar semanas à espera de um leito nas enfermarias, sem nenhum conforto.

Crianças que não conseguiram vaga na ala da pediatria, superlotada, dividem o mesmo leito, dormem em colchões ou nas escadas, no colo da mãe. 

Na sala de espera, outras cenas absurdas: o local se transformou em uma enfermaria, onde pacientes fazem exame de sangue e recebem soro em uma área de grande circulação.

Essa falta de vagas tem levado muita gente a recorrer à Justiça. Só na semana passada, um juiz determinou que a prefeitura garantisse em caráter de urgência tratamento adequado para 12 idosos.

Um dos casos, foi o de uma senhora de 84 anos. Segundo a família, ela morreu depois de sofrer um derrame e ficar mais de um mês no pronto socorro aguardando transferência para um hospital com mais recursos.

"Estamos nesse momento fazendo 19 obras em postos de saúde, estamos trabalhando para aquisição de hospitais, mas também temos enorme dificuldade estrutural, porque os únicos hospitais de porta na urgência e emergência são os dois pronto-socorros de Belém", afirma o prefeito da cidade, Zenaldo Coutinho”.

..................... 

Se não viu, veja a reportagem. 

No pronto socorro de Belém falta até dipirona, que os funcionários têm de trazer de casa.

Talvez por isso é que a Prefeitura dificulte tanto a entrada de jornalistas nesse hospital.

Veja o vídeo com a reportagem do Jornal Hoje: http://g1.globo.com/jornal-hoje/videos/t/edicoes/v/equipe-do-jornal-hoje-acompanha-rotina-em-hospitais-de-belem/2775074/

4 comentários:

Helio Monteiro disse...

Zenaldo já mostrou a que veio. É o novo Duciomar. Parabéns eleitores tucanos. Meus pêsames querida Belém.

Anônimo disse...

Puta merda, esse cara de pau do Zenada irrita a todos. Pelo bem do povo de Belém, Renuncia enquanto há tempo.

Anônimo disse...

Cada vez mais me questiono sobre o valor da propaganda que o prefeito e governador ficam veiculando em jornais e tv. Em paises sérios governo não faz propaganda.Morei na Inglaterra e lá não há propaganda desse tipo. Simplesmente, fazer obras e prestar os serviços de saude é obrigação normal dos gestores. Vira noticia se não fazer o certo.

Anônimo disse...

DENUNCIA:

E O TRENZINHO DO NEPOTISMO E ALEGRIA CONTINUAM NA SESPA:

DUAS DIRETORAS NOMEIAM PARENTES PARA CARGOS COMISSIONADOS (DAS):

CONFIRA:

DIRETORA 1:

DESIGNADA PARA RESPONDER POR DIRETORIA:

http://www.ioe.pa.gov.br/diarios/2011/01/17.01.caderno.03.pdf (portaria 59)


NOMEOU SOBRINHA:
http://www.ioe.pa.gov.br/diarios/2011/03/02.03.caderno.01.pdf (portaria 2256)


DIRETORA 2:
DESIGNADA PARA RESPONDER POR DEPARTAMENTO:

http://www.ioe.pa.gov.br/diarios/2011/06/13.06.caderno.02.pdf (portaria 1267, pagina 16)


NOMEOU FILHO:
http://www.ioe.pa.gov.br/diarios/2011/02/24.02.caderno.01.pdf (portaria 2120)


E NOMEOU FILHA:
http://www.ioe.pa.gov.br/diarios/2013/03/06.03.caderno.01.pdf (portaria 502)



ALEM DA PRATICA DE NEPOTISMO, A DIRETORA 1 SAI DE FERIAS E AINDA CONSEGUE VIAJAR A "TRABALHO" GANHANDO DIARIAS PARA "CURTIR SALINAS NO VERÃO"


PORTARIA DE RESPONDER:

http://www.ioe.pa.gov.br/diarios/2013/08/09.08.caderno.07.pdf

PORTARIAS DE DIARIAS:

http://www.ioe.pa.gov.br/diarios/2013/08/07.08.caderno.06.pdf

http://www.ioe.pa.gov.br/diarios/2013/07/26.07.caderno.08.pdf

ALEM DA PRATICA DE NEPOTISMO, CONCESSAO DE DIARIAS INDEVIDAS, AS DIRETORAS 1 E 2 ALOCARAM OS SEUS PARENTES EM "SETORES ESTRATEGICOS" PARA CONCESSAO DE DIARIAS E PLANTOES DE FACHADA (AQUELES QUE O SERVIDOR RECEBE MAS NÃO VIAJA NEM TRABALHA EM REGIME DE PLANTAO)

ISSO ALEM DE IMORAL, ILEGAL, VIOLA TODOS OS DIREITOS DA ADMINISTRACAO PUBLICA