Ban

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Pelotão antichoque: taí uma boa alternativa de defesa social contra as arbitrariedades que tomam conta de Belém...





A violência policial contra os manifestantes do Movimento Belém Livre anda tão braba, que já há quem procure alternativas para se defender de tanta bomba, bala de borracha e spray de pimenta.

Afinal, enquanto a PM arrepia, o Jatene pesca e o Ministério Público parece que tomou Doril – ninguém sabe, ninguém viu.

Daí a alternativa de defesa social que você vê acima: o pelotão antichoque.

Que tem, aliás, um custo baixíssimo:

Capacete velho de Moto-Boy = R$10,00
Escudo de latão ou caçamba de lixo = R$5,00
Caneleira de PVC = R$1,00
Cabo de vassoura = R$0,50

Infinitamente menor, diga-se de passagem, do que salário de governador ou de um “atento” promotor público... 

Ah, essa meninada!...

2 comentários:

Anônimo disse...

Quanta criatividade! O aparelho ideológico do Estado está sendo questionado e driblado com a reivindicação de uma nova lei de imprensa no país, e o aparelho repressivo do Estado está sendo substituido com a criatividade do movimento social. Enquanto isso, a classe dominante está assutada e acossada diante da insurreição das massas.

Toquinho disse...

Como dizia o ideólogo burguês Voltaire: "se o povo pensar está tudo perdido". E pelo jeito parece que está mesmo, porque o povo já entendeu que o controle social e dominação burguesa se sustenta nos aparelhos ideológicos, sobretudo, a imprensa (os canais de rádio e tv, e nos aprelhos repressivos (polícia e exércíto). O primeiro, manipulando informação para favorecer os interesses da classe dominante; e o segundo, para garantir a segurança da propriedade privada, ficando a preservação da vida em segundo plano. POr isso, o povo luta por uma nova lei de imprensa, pelo direito de opinião e expressão, e contra a repressão e criminalização dos movementos sociais, e não somente a redução das tarifas de ônibus, como querem nos fazer crer.