Ban

terça-feira, 11 de junho de 2013

Os cães de Santa Cruz, as criancinhas do Marajó e a propaganda criminosa do Governo do Pará.




Toda vez que as pessoas se mobilizam para salvar animaizinhos é a mesma coisa: surgem críticas de vários lados, geralmente contrapondo a miséria das nossas crianças.

É como se existisse uma relação de exclusão: ou defendo animais, ou defendo criancinhas.

E isso, caro leitor, simplesmente não tem lógica: afinal, o que impede uma pessoa que defende animais de defender também criancinhas - ou vice-versa? 

Se nos aprofundarmos nesse absurdo, vamos chegar à conclusão de que também não deveríamos defender as nossas florestas ou o nosso patrimônio histórico.

Afinal, florestas são apenas amontoados de outras formas de vida e o nosso patrimônio histórico se resume a um amontoado de prédios e papéis – ou não?

E mesmo que tenhamos a compreensão de que as florestas representam uma riqueza biológica contra a qual ninguém tem o direito de atentar; e mesmo que tenhamos a compreensão de que o nosso patrimônio histórico tem até importância estratégica para a construção de um futuro melhor; ainda assim, quem ousará dizer que a Amazônia inteira e o nosso arquivo público inteiro são mais importantes do que a vida de uma única criança?

A verdade é que não existe essa oposição, essa relação excludente: o que temos são várias frentes de luta, que, embora sem relação aparente, convergem para o mesmo anseio por um mundo mais justo, mais feliz, mais solidário.

Por isso, essas frentes se encadeiam e extrapolam os aparentes limites.

Exatamente como agora, quando os protestos contra a matança de animais em Santa Cruz do Arari estão a gerar, no Facebook, correntes de solidariedade pelas criancinhas do Marajó.

Ou como quando, ao protestarmos contra Belo Monte e a ameaça de destruição do nosso Arquivo Público, acabamos por desencadear reflexões (e protestos) acerca da qualidade de vida das nossas cidades; acerca da apropriação das nossas riquezas, da pobreza do nosso povo, e por aí vai.

Ao contrário do que alguns parecem pensar, protestos em defesa de animais não são organizados por “dondocas”.

Na verdade, boa parte dos participantes desses protestos são pessoas engajadas também na luta em defesa dos direitos humanos (aí incluídos os direitos das nossas crianças) e contra, por exemplo, Belo Monte e a corrupção.

Esta blogueira, por exemplo, participou, no Facebook, dos protestos contra a matança de animais em Santa Cruz do Ararí.

E a Perereca da Vizinha (quem negará?) realiza um combate permanente contra a corrupção – essa, sim, uma das maiores causas da miséria existente em todo o estado do Pará (e não apenas na ilha do Marajó).

E aqui em casa, além de adotarmos uma vira-lata, também contribuímos financeiramente, há uns seis anos, com entidades de defesa de criancinhas.

Então, se os protestos contra a matança de animais não atraem apenas “dondocas”, por que é que repercutem mais do que a miséria das nossas crianças?

Eu arriscaria uma resposta: por causa da propaganda milionária e mentirosa do Governo do Estado do Pará.

Sim, porque na ilha da fantasia criada pela propaganda tucana, não há criancinhas a morrer de fome, todo santo dia, em todo o estado do Pará.

Não há famílias inteiras sem acesso ao trabalho e  à Educação.

Não há dezenas, centenas de miseráveis a morrer em hospitais imundos, que de hospitais só têm o nome.

Não há homens, mulheres e adolescentes sendo torturados dentro de presídios e de “centros de reeducação”.

Tudo no Pará é divino e maravilhoso. E todos os paraenses estão “felicíssimos”, até porque somos “o povo mais abençoado do planeta”...

É essa propaganda criminosa que impede que as pessoas tenham conhecimento das condições subumanas em que vive a população do Marajó e de todo o estado do Pará.

É ela quem amordaça a imprensa e anestesia o distinto público, ao levá-lo a acreditar em um Pará que só existe na cabeça dos beneficiários desse derrame de dinheiro.

É ela quem acoberta as quadrilhas que assaltam o erário e que colocam no bolso os milhões de reais que deveriam matar a fome das nossas crianças.

Ou você acha, caro leitor, que essa matança de animais teria alcançado tamanha repercussão se tivesse ocorrido na Belém administrada pelo PSDB?

É claro que não.

Apenas uns poucos blogs noticiariam o assunto.

E, com alguma sorte e insistência, talvez se conseguisse que isso fosse parar num pé de página de alguma revista ou jornal de circulação nacional.

Mas seria apenas isso.

E a maioria esmagadora da população paraense continuaria a ignorar aquela matança de animaizinhos, da mesma forma que ignora esse verdadeiro “massacre dos inocentes” que acontece todos os dias, em todo o estado do Pará.

Há três semanas, a Perereca da Vizinha vem publicando uma série de reportagens sobre a criminosa propaganda tucana, que deverá torrar R$180 milhões até 2015, o que representa 5 vezes o que foi investido na construção do Hospital Metropolitano. (Aqui: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/06/incrivel-griffo-comunicacao-que-vence.html).

Quantas vidas teriam sido salvas se Jatene tivesse investido, ao menos, uma pequena parte desse dinheiro na melhoria da atenção básica, ou até na construção de um hospital?

Por isso, leia essas reportagens e reflita acerca delas.

E, tenho certeza, você nunca mais vai olhar essa overdose de propaganda como se fosse “inofensiva”.

FUUUUUUIIIIIIIII!!!!!!!

4 comentários:

Anônimo disse...

O que o governo Jatene está aplicando em propaganda é desumano quando analisamos o sucateamento de bens públicos,o caos da saúde,a insegurança crescente e educação medíocre. O Metropolitano que prestava atendimento de qualidade ,hoje virou um PSZÃO com pacientes em macas no corredor.A Santa Casa continua um caos onde se finge que a taxa de mortalidade não aumenta e agora está ficando pronto o novo prédio e necas de concurso público para o corpo clínico. Depois vão alegar que precisa dar para OS administrar.Depois do péssimo governo da Ana Julia estamos vendo que esse é ainda pior.

Anônimo disse...

Só completando o comentário das 12;35, essa administração estadual vai mais além , é de uma arrogância só vista na ditadura MILITAR, ESSE GOVERNO É SEM PALAVRAS SEM VERGONHA, começo acha que a ANA JÚLIA foi melhor, só não da pra aceitar, mais nós estamos ferrados essa é a verdade.

Anônimo disse...

Posso cantar , posso cantar? Eu não sou cachorro não, pra viver tão judiado.Eu não sou cachorro não pra morrer no PSM. Eu não sou cachorro não ...

Anônimo disse...

E eu que achei o governo Ana Júlia fraco... O Jatene conseguiu ser muito pior! O governo do PSDB nada mais é que um cabide de empregos...para que os apaniguados possam comprar seus apartamentos de luxo!