Ban

sábado, 27 de abril de 2013

Uma turma da pesada: sobrinho do governador Simão Jatene é sócio do empresário que seria mandante de assassinatos em Tomé-Açu, e que também seria sócio de empresário envolvido em fraude imobiliária em Alagoas. E mais: Eduardo Salles, o sobrinho de Jatene, e Carlos Vieira, que está foragido, também estão envolvidos em complicadas transações pela posse de terrenos, em Ananindeua e Rondon do Pará.


(Foto: blog Coisa Pública)



O empresário castanhalense Eduardo Salles, sobrinho do governador Simão Jatene, é sócio do também empresário Carlos Antonio Vieira, que teve a prisão preventiva decretada pela Justiça, sob a acusação de encomendar um duplo assassinato em Tomé-Açu, município do Nordeste do Pará.

As vítimas, o madeireiro Luciano Capaccio e o advogado Jorge Guilherme de Araújo Pimentel, foram mortas a tiros por pistoleiros, no último dia 2 de março, quando jantavam em um restaurante, no centro daquela cidade.

Além de Carlos Antonio Vieira, também é acusado como mandante dos crimes o filho dele, Carlos Vinícius de Melo Vieira, prefeito de Tomé-Açu.

Até a tarde de hoje, ambos continuavam foragidos, apesar de rumores acerca da obtenção de habeas corpus.

Segundo a Junta Comercial do Pará (Jucepa), Carlos Antonio Vieira é sócio majoritário e administrador da Valle Empreendimentos Imobiliários Ltda (CNPJ: 12.429.651/0001-80).

A Valle Empreendimentos e a E Salles Construções (CNPJ: 14.057.335/0001-50), que pertence ao sobrinho do governador, são sócias na empresa Salles e Valle Empreendimentos Imobiliários, que executa o loteamento Salles Jardins, no município de Castanhal.

Informações divulgadas pela polícia, no mês passado, dão conta que os assassinatos de Capaccio e Pimentel foram motivados por disputas políticas e por denúncias sobre irregularidades em um empreendimento imobiliário de Carlos Antonio Vieira.

Porém, o blog ainda não sabe qual é o empreendimento – e a Valle executa vários loteamentos no Nordeste do Pará, por meio de parcerias com outras empresas, como essa que estabeleceu com o sobrinho de Jatene.

Na Valle também figura como sócio um cidadão chamado Moisés Carvalho Pereira, de Redenção.

Um empresário com esse mesmíssimo nome (Moisés Carvalho Pereira, também de Redenção) chegou a ter a prisão preventiva decretada, no ano passado, a pedido do Grupo de Combate a Organizações Criminosas do Ministério Público de Alagoas.

A acusação foi a de participar de uma fraude imobiliária naquele estado, através da compra, por R$ 700 mil, de um terreno que valeria mais de R$ 21 milhões.

Detalhe: o sobrinho de Jatene e Carlos Antonio Vieira também estão envolvidos em disputas judiciais pela posse de grandes áreas de terras,  aparentemente destinadas a empreendimentos imobiliários, e que teriam sido adquiridas de forma irregular.

Eduardo Salles, o sobrinho do governador, pagou R$ 1 milhão, em abril do ano passado, por um amplo terreno em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém.

A venda é contestada pela Asder, a associação dos funcionários do extinto Departamento de Estradas de Rodagens (DER), que afirma ser a verdadeira proprietária do imóvel e tenta anular a transação.

(Leia a reportagem da Perereca “Sobrinho de Jatene enriquece a olhos vistos e comanda o Nordeste do Pará”: http://pererecadavizinha.blogspot.com.br/2013/02/sobrinho-de-jatene-enriquece-olhos.html)

Já Carlos Antonio Vieira comprou por R$ 600 mil, em Rondon do Pará, um terreno que valeria R$ 50 milhões, quando loteado, segundo afirmam integrantes da Associação Agropecuária Rondonense, que ingressaram na Justiça contra a venda do imóvel.

(Veja a ação aqui: https://docs.google.com/file/d/0B8xdLmqNOJ12U2VYZndmeDRMbUk/edit?usp=sharing).

Ambos os processos se encontram em grau de recurso, a desembargadores do TJE. 


Em três anos, capital da Valle subiu de R$ 250 mil para quase R$ 20 milhões. 


A Valle Empreendimentos Imobiliários Ltda, com endereço no quilômetro 11 da PA-140, em Tomé-Açu, foi registrada na Jucepa em agosto de 2010.

Os sócios eram apenas os empresários Manoel Vicente Pereira Neto e Carlos Antonio Vieira, que detinha 66% das quotas do capital social, que alcançava apenas R$ 250 mil.

Hoje, no entanto, a empresa ganhou mais dois sócios: Eduardo Carvalho Pereira e Moisés Carvalho Pereira, ambos de Redenção, no Sul do Pará.

E o capital social experimentou uma turbinagem impressionante: agora, menos de três anos depois, alcança quase R$ 19,9 milhões.

Mas Carlos Antonio Vieira permanece como sócio majoritário e administrador, com quotas superiores a R$ 9,3 milhões.

Um dos novos sócios da Valle Empreendimentos, o empresário Moisés Carvalho Pereira, também teria uma história complicada.

No Google, um empresário de Redenção com esse mesmíssimo nome figura como um grande exportador de mogno – e um dos maiores produtores de madeira ilegal do País.

Esse Moisés Carvalho Pereira da internet teria sido citado até em uma troca de emails flagrada pela operação Satiagraha, entre funcionários da fazenda Santa Bárbara e do grupo Opportunity, ambos do banqueiro Daniel Dantas.

E um empresário chamado Moisés Carvalho Pereira, de Redenção, diretor da Buriti Imóveis e dono da MSL Empreendimentos Imobiliários, chegou a ter a prisão preventiva decretada, em maio do ano passado, sob a acusação de participar da venda fraudulenta de um terreno, na cidade de Rio Largo, no estado de Alagoas.

A suposta quadrilha foi desbaratada pelo Grupo Especial de Combate a Organizações Criminosas do Ministério Público daquele estado. 

O golpe teria funcionado assim: após uma enchente, em 2010, a Prefeitura de Rio Largo desapropriou, por R$ 700 mil, uma área de 252 hectares, para a construção de casas populares. 

Um mês depois, a Prefeitura vendeu o terreno, pelos mesmíssimos R$ 700 mil, para uma empresa de Moisés Carvalho Pereira, que ficaria encarregada de construir essas habitações.

Tudo muito bem se a área em questão, equivalente a mais de 300 campos de futebol, não valesse, já naquela época, mais de R$ 21 milhões – ironicamente, em avaliação da própria Prefeitura, para a cobrança do IPTU.

O caso foi noticiado pelo blogueiro Hiroshi Bogea, do Sul do Pará: http://www.hiroshibogea.com.br/?p=16111 

E há mais informações em links de portais alagoanos, citados por Hiroshi.

Aqui: http://tnh1.ne10.uol.com.br/noticia/maceio/2012/05/18/188221/saiba-tudo-sobre-o-escandalo-que-abalou-o-poder-em-rio-largo 

Aqui: http://primeiraedicao.com.br/noticia/2012/05/16/gecoc-investiga-esquema-de-fraude-de-terras-em-rio-largo 

E aqui: http://tnh1.ne10.uol.com.br/noticia/politica/2012/06/20/193407/rio-largo-justica-livra-de-prisao-vereadores-e-empresarios-foragidos 

E veja abaixo, nos quadrinhos (clique em cima, para ampliar), as certidões da Jucepa relativas à E Salles Construções, à Valle Empreendimentos e a Salles e Valle. 

Primeiro, a certidão simplificada da E Salles Construções, de Eduardo Salles:



Aqui, as primeiras cinco páginas da constituição societária da Salles e Valle Empreendimentos Imobiliários Ltda:












Aqui, as quatro páginas da constituição societária da Valle Empreendimentos Imobiliários Ltda:









E abaixo, recortes de uma certidão simplificada, com a situação atual da Valle Empreendimentos Imobiliários:







A Perereca vai tentar obter mais informações sobre a situação dos processos que envolvem a Asder e Eduardo Salles; e o empresário Carlos Antonio Vieira e a Associação Agropecuária Rondonense.

Também vai buscar informações sobre as investigações acerca dos assassinatos em Tomé-Açu.

Mas agradece desde já alguma ajuda dos leitores e entidades, já que não dispõe de muitos meios para uma investigação que, pelo visto, tem de ser bem mais ampla.

17 comentários:

Anônimo disse...

Ana Céia o o madeireiro Luciano Capaccio e o Prefeito carlos Vinícios eram sócios "de gaveta" no financiamento do BNDS em 50 máquinas pesadas no valor de mais de 100 milhões. Parece que Capaccio resolveu dar o golpe em Vinícios e talvez este tenha sido o verdadeiro motivo do crime. Mas também tem um deputado federal de grande FARO que está muito preocupado com as investigações.

Anônimo disse...

Ana Célia parabéns pela coragem. Quem vendeu ilegalmente o bem de Rondon do Pará foi José Malcher, presidente da associação agropecuária.
Os associados não aceitaram, pois sequer foram consultados e entraram com ação na justiça para anular a venda que: "não teria passado de uma simulação entre o presidente da associação e os sócios da empresa".
José Malcher é marido da sra Cristina Malcher, prefeita do PSDB de Rondon, que há época em que vazou a fraude da venda ilegal, como candidata a prefeitura, recebeu em Rondon para apoiá-la o governador Jatene, coincidência ou não?
Ao que parece, como a venda de um bem de R$ 50 milhões de reais foi simbolicamente efetuada por apenas R$ 600,00 mil reais para a empresa do sobrinho do governador Jatene, conclui-se ter sido um negócio dentro da família de alta plumagem. Seus leitores precisam saber disso.

Anônimo disse...

Verifique o empreendimento imobiliário em execução, na chegada à praia do Atalaia, em Salinas, empreendimento dessa Valle, pois são possíveis irregularidades, inclusive com impacto ambiental grave.

Anônimo disse...

Ana Célia, boa noite.
Depois de ler a matéria, observei uma coisa importante.
A Valle empreendimentos foi criada em agosto de 2010, multiplicou seu patrimônio em poucos anos.
João Malcher, que vendeu a preço simbólico e de banana, além de forma fraudulenta, parte do parque de exposição de Rondon, uma das fraudes milionárias praticadas pela Valle, é casado com a Prefeita Cristina Malcher do PSDB.
Cristina Malcher foi ex-presidente do parque de exposição de Rondon, sempre alternava a presidência entre ela e o esposo João Malcher.
Cristina Malcher, PSDB, assumiu como prefeita de Rondon em setembro de 2010,véspera da eleição para governador, que elegeu Jatene do PSDB, após o TRE/PA cassar o prefeito Olávio Rocha do PMDB, no julgamento houve empate 3x3 votos, e o prefeito antigo foi cassado pelo voto minerva do presidente do TRE da época, empresa Valle criada em agosto de 2010? Sei não...
Como jornalista investigue a data que a prefeita Cristina Malcher, PSDB, assumiu a prefeitura, setembro de 2010, com a data que foi criada a Valle empreendimentos em agosto de 2010, que por coincidência, comprou na surdina, autorizado pelo marido da prefeita, João Malcher, um bem no valor de R$ 50 milhões de reais, por apenas R$ 600 mil reais. Quando a esmola é demais o santo desconfia.
Tem mutreta nisso, ou será coincidência o sobrinho do governador do PSDB ser sócio da Valle empreendimentos, marido da prefeita do PSDB autorizou "na surdina" a venda ilegal do imóvel sem consultar os associados, criação da empresa Valle em agosto de 2010, posse da prefeita do PSDB após cassação do mandato do ex-prefeito do PMDB em setembro de 2010, fraude na venda do parque descoberta em 2012, campanha para eleger o prefeito de Rondon em 2012quando a suposta venda foi registrada no cartório de imóveis, momento em que os demais associados ficaram sabendo, prefeita do PSDB de imediato autorizou o loteamento do imóvel, mas justiça bloqueia o loteamento, paralisa tudo, e proíbe a Valle de fazer qualquer alteração no lote! A Valle, suposta compradora, não recorreu da liminar da justiça de Rondon, apesar do juiz ter determinado vários bloqueios, apenas o marido da prefeita, em nome da associação, agravou para o Tribunal querendo liberar o imóvel para ser loteado pela Valle, e não ganhou a liminar, consulte o site do TJE.
Tem algo mais podre por trás disso tudo, investigue e descobrirás.
Dei minha contribuição, como você pediu na matéria.

Anônimo disse...

Moisés Carvalho Manda na Prefeitura de Redenção Ana e é do PMDB, partido do vice-prefeito Carlos Iavé PMDB. Os dois Iavé e Moisés junto com o pessoal do PMDB financiaram o prefeito Vanderlei Coimbra, marionete dos interesses dos dois, o secretário de obras, que cuida dos terrenos da prefeitura é indicação do Moisés Carvalho, já o Iavé tem seu laboratório que faz todos, ou quase todos os exames do município, além de sua televisão que ganha o dinheiro de publicidade. E em Redenção ninguém tá nem aí o Prefeito de Redenção Vanderlei Coimbra (PRP), vice Carlo Iavé (PMDB) e os empresários Moisés Carvalho e Claudiomar Kerwald "Mazinho", que até pouco tempo estavam foragidos da PF, viajaram a Brasília onde foram recebidos pelo Ministro da Aviação Civil Wagner Bitencourt. Na ocasião a comitiva garantiu que ampliação da pista de pousa para mais 1200 metros e reconstrução do setor de embarque e toda estruturação para instalação de voos comerciais. A pisolagem manda em Redenção e no Pará é o que parece.

Anônimo disse...

Esta VALLE EMPREENDIMENTOS fez um loteamento pra bacana em Tailândia.

Anônimo disse...

Caraca. Voltaste com os carambas, né? hahaha Eu não escrevo palavrão, só falo.
"Odio" essas letrinhas de baixo.

Valter da Silva disse...

O mais interessante é que o Presidente da Associação Agropecuaria Rondonense é o Sr JOÃO MALCHER, que é o esposa da Prefeita de Rondon do Pará, Cristina Malcher (PSDB). Outro detalhe interessante é que quem questiona a liminar que bloqueou a área é o Dr. Silvio Sá (que trabalha na Prefeitura). Todos os envolvidos são ligados diretamente a CRISTINA MALCHER (psdb), SERÁ POR ISSO QUE ELA TEM TANTA RAIVA DO JUIZ DA CIDADE????????????

Anônimo disse...

Um novo eldorado nesse Pará de falcatruas e grilagem de terras!

Anônimo disse...

Em Tailândia o CENTRO DE INTEGRAÇÃO DE ESPORTES - Ministério dos Esportes, será construido no condominio fechado desta empresa VALLE - ROD. PA 150, km 135. A única vulnerabilidade dos condôminos é serem madeireiros, carvoeiros, empresário e politicos.

Anônimo disse...

Perereca,
O atual Secretario deSegurança Pública, Luiz Fernandes,é muito amigo do Eduardo Sales, essa amizade começou em Castanhal, e já rendeu bons frutos ao secretario.

LAZARO DA SILVA CARDOSO disse...

Ola amigo quero parabenizar pelo ótimo trabalho que seu blog vem exercendo

Gostaria de li sugerir o Gadget LEIS E CÓDIGOS do Brasil: Para seu Blog.
O Aplicativo LEIS E CÓDIGOS vem com os linkis das Leis e códigos da federação Brasileira
Tipo: Liberdade de Imprensa ,Estatuto da Criança e do Adolescente, Código de Transito Brasileiro entre outros.

Link do Aplicativo: http://www.portallasic.com.br/2013/03/leis-e-codigos.html

minha admiração!

Jota Ninos disse...

Ana, a Buriti, do Moisés Carvalho, já fincou seus pés em Santarém há alguns anos, e deixou suas digitais no estrondoso caso de um loteamento às margens da rodovia Fernando Guilhon (que dá acesso à cidade, vindo do aeroporto maestro Isoca) e que embargado pela Justiça por desmatar um terreno próximo à APA - Área de Preservação Ambiental, do Juá.
Aqui, a Buriti mancomunou-se com o governo do PT, já em seus estertores em 2012. Em breve terei outras informações pra você sobre este caso.

Ana Célia Pinheiro disse...

Oi, Jota!
Obrigada pela força e manda aí o que tiveres sobre esse caso. Estou levantando a atuação dessas empresas em outros municípios e parece que há várias denúncias de crimes ambientais contra elas. Abs, Ana Célia

Anônimo disse...

Oi,por coincidencia o socio da valle empreendimentos o tal Manoel vicente é filho do Moises carvalho envolvido tbm.

Anônimo disse...

Oi,por coincidencia o socio da valle empreendimentos o tal Manoel vicente é filho do Moises carvalho envolvido tbm.

Anônimo disse...

Santarém ainda está travando uma briga contra esta Buriti Imóveis.
Fizeram uma destruição imperdoável na cidade burlaram todas as leis possíveis para chegar aqui.
O poder dos grandes que apoiam, mas não aparecem tem influênciado muito na permanência desta criminosa e na morosidade do processo.
Um lindo Lago vai morrendo diante de nossos olhos e mais de 500 pescadores associados a Z-20 estão passando necessidades por conta da destruição.

http://salvejua.wordpress.com/