Ban

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Reivindicações da CUT-Pará são legitimadas pelos candidatos a prefeito e vereador


Quatro dos dez candidatos a prefeito de Belém compareceram no último dia 20 ao ato organizado pela Central Única dos Trabalhadores do Pará para receber a plataforma de reivindicações dos trabalhadores do campo e da cidade. 
 

O documento foi entregue no Sindicato dos Urbanitários do Pará, em Belém, e assinado pelos candidatos Alfredo Costa, do PT, Arnaldo Jordy, do PPS, e Jorge Panzera, do PCdoB, vice do candidato Edmilson Rodrigues, do Psol.

 

Zenaldo Coutinho, do PSDB, respaldou a iniciativa da CUT-Pará, porém solicitou uma semana para ler a plataforma e depois se pronunciará oficialmente sobre o apoio total ou parcial às reivindicações.

 

Assinaram ainda a plataforma candidatos a vereadores do PT e do Psol.

 

A plataforma é composta por reivindicações direcionadas às políticas de saúde, assistência social, democratização dos meios de comunicação, geração de emprego e renda, segurança pública, educação, saneamento, infraestrutura, energia, investimentos produtivos, reforma agrária e reforço à agricultura familiar, entre outras. 

 

“As propostas são instrumentos para nortear a criação de políticas públicas pelo futuro prefeito e balizar os projetos de lei dos vereadores, além de orientar os investimentos produtivos e estratégicos que permitam agregar valor e verticalizar a produção no Pará”, sinalizou a diretora de Comunicação da Central, Vera Paoloni.

 

Em sua fala, Zenaldo disse que o processo eleitoral deste ano tem uma participação diferenciada da sociedade civil organizada: o Ministério Público assinou com os candidatos um pacto pela Infância e juventude; o Observatório Social de Belém, junto com outros parceiros, trabalha a sustentabilidade das cidades; a CUT-Pará apresenta reivindicações que vão além dos seus desafios coorporativos. 

 

“Mesmo solicitando esse tempo para ler toda a plataforma, defendo que o serviço de distribuição da água não pode ser privatizado e nem terceirizado. É preciso avançar nos investimentos na área de saneamento. Belém só tem 6% de rede coletora de esgoto. Isso é um problema de saúde pública”, observou.

 

Arnaldo Jordy também ressaltou a atitude democrática e republicana da CUT-Pará e subscreveu o documento. 

 

“Parabenizo a iniciativa da direção da Central  que construiu um agenda de reivindicações que passa pelo social, pela saúde, educação, entre outras políticas públicas, que apontam caminhos para a construção de cidades mais sustentáveis. Parabenizo a iniciativa da Central de ir além lutas corporativas”, disse.

 

Jorge Panzera, vice do candidato Edmilson Rodrigues, assumiu o compromisso de defender as demandas da central. 

 

“Belém perdeu, nos últimos oito anos, muitas das conquistas alcançadas no passado. Não se pode fechar a porta para a luta dos trabalhadores nos locais de trabalho e nem para as reivindicações relacionadas ao universo da cidade. Vamos dialogar com transparência com todos os segmentos sociais, para resgatar as conquistas alcançadas pela população de Belém no passado”, enfatizou.

 

Alfredo Costa assinalou a importância das candidaturas estarem antenadas com as demandas da classe trabalhadora. 

 

“As reivindicações apresentadas pela CUT-Pará revelam a maturidade que a instituição tem em articular a luta nos locais de trabalho e no conjunto da sociedade. É uma quebra de um paradigma histórico trazer para os candidatos a prefeito e vereador as reivindicações dos trabalhadores, além dos muros dos locais de trabalho. Os trabalhadores pagam  os seus impostos e dão sustentabilidade à gestão pública.Vamos dialogar para viabilizar as demandas da central”, disse.

 

Para o presidente da CUT Pará, Martinho Souza, o evento foi importante por reforçar o protagonismo da central na democratização brasileira.

 

 “Somos independentes, mas não somos indiferentes. Temos compromissos com o povo brasileiro e com a população de Belém e do Pará. Temos clareza da importância da luta sindical dentro das empresas privadas  e do serviço público. Assim como é importante e democrático a CUT apresentar as suas reivindicações para os candidatos, é fundamental defender um  projeto que avança e respeita o Estado do Direito, com crescimento a inclusão social, além de priorizar os mais pobres. Este caminho que escolhemos passa pela vitória de candidatos que defenderão este projeto de sociedade nas prefeituras e câmaras municipais”, finalizou.

 

(Fonte: Kid dos Reis/Ascom, com modificações do blog).

Nenhum comentário: