Ban

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Projeto executivo do Pedral do Lourenço sai em Setembro, diz Ministro


O Ministro dos Transportes, Paulo Passos, reuniu no final da tarde desta terça-feira (21), em Brasília, a bancada federal do Pará e o Governo do Estado para anunciar que no dia 28 de Setembro estará finalizado e será apresentado o projeto executivo do derrocamento do Pedral do Lourenço, fundamental para a viabilização da Hidrovia do Tocantins.

De acordo com o ministro, o cronograma previsto será cumprido e, com o projeto executivo concluído, as próximas etapas ocorrerão com maior agilidade. 

Questionado pelo senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) se a obra irá retornar ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Passos adotou um tom mais otimista. 

“É possível, sim. Após a conclusão do projeto executivo, teremos as alternativas a serem adotadas e creio que já poderemos avançar para o processo de licitação e em seguida para as obras. Entendemos que esse derrocamento é importante, não só por uma questão estratégica de logística para o País, mas também pelo empenho de toda bancada e do Governo do Estado”, frisou Paulo Passos.

Também estiveram na reunião o Vice-Governador, Helenilson Pontes, o secretário especial de Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento Sustentável (Seinfra), Sérgio Leão, os deputados federais Beto Faro (PT), Dudimar Paxiúba (PSDB), Valry Moraes (PRP), Lúcio Vale (PR), Zé Geraldo (PT) e o ex-deputado federal Paulo Rocha.

Para Flexa Ribeiro, a audiência demonstrou a seriedade com que o assunto vem sendo tratado, tanto pela bancada do Estado, como pelo Governo do Pará e pelo Governo Federal. 
“Cada etapa desse processo é importante e estamos atentos. Claro que gostaríamos que a obra já estivesse em pleno andamento, por conta dos investimentos previstos na região de Marabá. No entanto, essa mobilização é fundamental para que as obras saiam do papel o quanto antes”, destacou Flexa Ribeiro.

Sem as obras do derrocamento do Pedral do Lourenço – que se estende por um trecho de cerca d 43 quilômetros – a hidrovia do Tocantins só é navegável por cerca de oito meses.
Quando concluída, a hidrovia será uma das mais importantes vias de escoamento de produtos e insumos, interligando o centro-oeste brasileiro ao sul do Pará e, posteriormente, aos mercados importadores da Europa, Ásia e Estados Unidos.

(Fonte: Daniel Nardin/Ascom/Senador Flexa Ribeiro)

Nenhum comentário: