Ban

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

BELÉM: MP investiga caso de jovens agredidos pela Guarda Municipal e diz que pode ter havido abuso de autoridade.


O 2º promotor de justiça de Direitos Humanos e Controle Externo da Atividade Policial de Belém, Aldir Jorge Viana da Silva, colheu, na tarde desta quinta-feira (9), o depoimento do advogado Virgílio Alberto Azevedo Moura e do universitário Júlio Miragaia.
 
Ambos foram vítimas de agressão por parte da Guarda Municipal de Belém enquanto participavam de uma manifestação contra o aumento da passagem de ônibus, na manhã de hoje.

Cerca de 10 estudantes também foram feridos e serão posteriormente notificados para depor no Ministério Público do Estado (MPE). 

De acordo com Viana, os depoimentos mostraram que os guardas municipais teriam atacado os manifestantes usando armas com balas de borracha, bombas de efeito moral e spray de pimenta.

Segundo ele, se esses relatos forem confirmados, ficará caracterizado o abuso de autoridade. 

“Se não ameaçavam servidores e o patrimônio público, tinha que ser buscado o diálogo para intervir na crise por parte do comando da guarda”, explicou o promotor.

O próximo passo do MPE será ouvir o responsável pela operação e os policiais que atuaram no conflito. 

“Depois disso teremos um diagnóstico da situação Já solicitamos exame de corpo de delito nos estudantes machucados e vamos aguardar o laudo do Instituto Médico Legal (IML)”, adiantou Viana.

O promotor prevê que a investigação deve durar de 30 a 60 dias. 

O CASO – O confronto surgiu durante uma manifestação nesta manhã em frente à Prefeitura, onde estavam reunidos cerca de 300 estudantes. O motivo era o aumento da passagem de ônibus. 

Inicialmente, os estudantes queriam ser recebidos pelo prefeito Duciomar Costa, mas, diante da negativa, surgiu um embate entre Guardas Municipais e alunos de diversas universidades públicas e particulares de Belém.

Conforme relatos, cerca de 10 estudantes foram feridos, sendo que um mais gravemente ferido foi levado para atendimento hospitalar imediatamente. Nove guardas municipais também ficaram machucados.

(Fonte: Site MPE, com modificações do blog )

3 comentários:

Anônimo disse...

O pior de tudo que na Guarda Municipal tem comandantes que não são concursados e sim DAS. São contratados para bater.

Anônimo disse...

Não vai dar em nada, esse promotor já foi secretário de justiça do almir gabriel, lembram?

Jones Moura disse...

No dia 25 de setembro na praça Dom Alberto Ramos fui atacado por vários cães abandonados que são criados naquele local pelos guardas municipais. O meu erro foi me defender com uma pedra, que atingiu a placa deteriorada e mal instalada da guarda, que caiu logo em seguida. A praça vem sendo local de meliantes que fazem uso de drogas e roubam pessoas, como eu, que utilizam do espaço para prática de atividades físicas. A dupla estava de serviço no horário noturno onde estavam o GD palheta e o parceiro dele (que não identifiquei), mais alterado e que me ameaçou de prisão, fazendo o chamado do GAT. Eu já tinha entrado em conciliação com o GD palheta que conversou comigo numa boa e procurou acalmar os ânimos. Chegou a viatura do GAT e fui (desarmado e com roupa de educação física e tênis) cercado por vários guardas com escopeta e spray de pimenta. Achei um abuso de poder, onde o parceiro do guarda Palheta desejava que eu fosse preso e várias vezes chegou a apontar a mão no meu peito e com cassetete na outra mão pronto para me atingir. Não invadi a área restrita em nenhum momento com foi colocado pelos gds. Pago meus impostos, não devo prefeitura, estado, nem lojas, só pra saber. Espero que os guardas estejam pra nos defender e livrar a praça dos bandidos que infestam aquele lugar. Repudio a criação de cães abandonados na praça pelos guardas e fica meu apelo ao Centro de zoonoses para nos livras desses cães que nem vacina tomam. Da mesma forma como eu poderia atingir uma criança ou os animais que reconheço ter errado e caso isso viesse a acontecer eu responderia pelo meu erro, tem que verificar que outras pessoas foram atacadas pelos cachorros na mesma hora do ocorrido (por volta de 20:10h), além de crianças que poderiam ser atacadas por esses animais. Os cães estão de vigias, enquanto que os guardas se trancam na sua guarita. Que profissionais são esses que ameaçam um único contribuinte que só se defendeu de seus cães vira-latas e cheio de doenças?