Ban

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Perereca localiza mais duas desembargadoras do TJE que teriam parentes na Assessoria de Jatene. Agora, são 8 dos 30 desembargadores da ativa, além de uma aposentada, nessa condição. MPF confirma: assessor do governador é o mesmo cidadão acusado de explorar trabalho escravo. Pelo menos 13 deputados estaduais, ou 30% da Alepa, teriam parentes ou assessores na Assessoria do chefe do Executivo. Tudo na quarta reportagem da série “Os Especialíssimos Assessores do governador Simão Jatene”.

No Pará de Jatene falta tudo. Só não falta dinheiro para assessores especiais (Foto: blog do Manuel Dutra)


 
As desembargadoras Vera Araújo de Souza e Maria de Nazaré da Silva Gouveia dos Santos, corregedora do Interior do Tribunal de Justiça do Estado do Pará,  também possuiriam parentes empregados na Assessoria Especial do governador do Pará, Simão Jatene, do PSDB.

Com isso, já são oito os desembargadores paraenses da ativa que teriam parentes diretos na Assessoria do governador.

Além de Vera Araújo e Maria de Nazaré, a lista inclui os desembargadores João José da Silva Maroja, Ricardo Nunes (presidente do Tribunal Regional Eleitoral), Romulo Nunes (ex-presidente do TJE), Constantino Guerreiro, Vânia Lúcia Silveira Azevedo e Silva e Cláudio Montalvão das Neves.

Mas há indícios de que também a desembargadora aposentada Sônia Parente possuiria um familiar na assessoria de Jatene.

Os oito desembargadores da ativa representam mais de 20% do Desembargo do Estado do Pará, que possui 30 integrantes. 

E isso é apenas o que A Perereca da Vizinha conseguiu localizar em pesquisas realizadas exclusivamente na internet, do mês passado para cá.

Em março deste ano, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) recomendou que os magistrados paraenses que possuem parentes diretos em cargos comissionados do Governo se  abstenham de julgar processos em que o Estado do Pará figure como parte.

Isso porque, como escreveu o  conselheiro Sílvio Rocha, do CNJ, “em última análise, poderia um observador sensato alimentar constante e considerável dúvida sobre se eles detêm a imparcialidade necessária para deliberar sobre uma ação em que a parte é o empregador de um membro das respectivas famílias”.

Além dos desembargadores, pelo menos dois juízes também teriam familiares empregados na assessoria do chefe do Executivo: Paulo Jussara e Antonio Carlos Almeida Campelo.

Esse último foi empossado como juiz efetivo do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no início do ano passado.

Isso quer dizer que, dos cinco membros efetivos daquele tribunal, pelo menos dois possuem familiares como assessores do governador: além de Campelo, o próprio presidente do TRE e das eleições municipais deste ano, Ricardo Nunes. 

Leia  as reportagens anteriores da série “Os Especialíssimos Assessores do Governador Simão Jatene:

1-Pelo menos dois assessores especiais estão condenados a devolver R$ 2 milhões aos cofres públicos. Lista inclui parentes de pelo menos sete desembargadores, dois senadores, dois conselheiros de tribunais de contas e cinco deputados estaduais - além de assessor de deputado:

2-Tudo como dantes no quartel de Abrantes: farra das assessorias especiais continua, apesar da mudança na legislação. Salários chegam a mais de R$ 5 mil e os cargos contemplam famílias inteiras. Veja a lista completa dos 410 assessores especiais:

3-Um time da pesada: assessores especiais do governador do Pará, Simão Jatene, devem aos cofres públicos quase R$ 7,6 milhões. São 10 ex-prefeitos, dois deles já condenados por improbidade. E mais: Perereca localiza mais dois deputados estaduais e um juiz do TRE que também teriam parentes diretos na assessoria do governador:


Magistrados têm filhos, mulher, marido, irmão e sobrinho na Assessoria de Jatene.

O assessor especial de Jatene que seria parente da desembargadora Maria de Nazaré Silva Gouveia dos Santos é o cidadão José Deorilo Cruz Gouveia dos Santos.

Ele seria marido da desembargadora, segundo se depreende da leitura do processo 0040183-79.2008.814.0301, que tramitou na  6ª Vara Cível de Belém. 

O processo foi ajuizado para retificar o registro de nascimento de José Deorilo Cruz Gouveia dos Santos Junior. 

Consta que ele é filho de uma cidadã chamada Maria de Nazaré Silva Gouveia dos Santos e que, além dela, tem como representante legal um cidadão chamado José Deorilo Cruz Gouveia dos Santos.

Ou seja: os pais de Junior têm os mesmíssimos nomes da desembargadora e do assessor especial de Jatene.

Já no caso da desembargadora Vera Araújo de Souza, os parentes empregados na Assessoria de Jatene seriam dois filhos dela: Thyago Araújo de Souza e Ercy Araújo de Souza.

Os nomes dos filhos de Vera (que é casada com Wantuil Estevão de Souza) constam na biografia dela, no site do TJE.

E são idênticos aos de dois assessores especiais do governador.

Mais: no caso de Ercy, a Perereca conseguiu obter, no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma certidão de quitação eleitoral na qual os nomes dos pais dele são os mesmíssimos da desembargadora e do marido dela. 

Mas como você viu nas reportagens anteriores, Vera e Maria de Nazaré não são exceções: na verdade, a quantidade de desembargadores com parentes diretos na Assessoria Especial do chefe do Executivo afasta o simples acaso de tais contratações.

Até porque, a Assessoria Especial de Jatene também abriga uma profusão de parentes de conselheiros das Cortes de Contas e de deputados estaduais.

E todos eles – desembargadores, conselheiros e deputados – têm a obrigação legal de controlar os atos do Executivo.

Confira a lista dos parentes de magistrados que integram a Assessoria Especial de Jatene.

A relação foi elaborada a partir das três reportagens anteriores do blog. E a pesquisa, vale salientar novamente, tem menos de um mês e foi realizada exclusivamente na internet:

ANA PAULA DO AMARAL MAROJA (assessora especial II)  – Seria filha  do desembargador João José da Silva Maroja, ex-corregedor regional eleitoral e ex-presidente do TRE (2009/2011). 

CLAUDIA VIDIGAL TAVARES NUNES  (assessor especial II) – Seria esposa do desembargador Ricardo Ferreira Nunes,  presidente do Tribunal Regional Eleitoral.  

KAMILLE KELLY VASCONCELOS GUERREIRO  (assessora especial II)  – Seria filha do desembargador Constantino Augusto Guerreiro, ex-juiz eleitoral das 73ª e  1ª Zonas Eleitorais e ex-corregedor das Comarcas do Interior. É coordenador geral dos Juizados Especiais.

KARLA KARIME VASCONCELOS GUERREIRO (assessora especial II) – Também seria filha do desembargador Constantino Augusto Guerreiro. 

LINDALVA GONCALVES DE ARAUJO NUNES (assessora especial II) – Seria mulher do desembargador Romulo Ferreira Nunes, ex-presidente do TRE e do TJE e irmão do desembargador Ricardo Ferreira Nunes.

ROBERTA SILVEIRA AZEVEDO XAVIER (assessora especial II)  – Seria filha da desembargadora Vânia Lúcia Silveira Azevedo da Silva, ex-procuradora de Justiça do  Ministério Público Estadual junto às Câmaras Criminais Reunidas do TJE. 

ROMULO MARCELO FERREIRA NUNES (assessor especial II) – Seria irmão ou sobrinho dos desembargadores Romulo e Ricardo Ferreira Nunes.

ROSA DE FATIMA QUEIROZ DAS NEVES (assessora especial II) – Seria esposa do desembargador Cláudio Augusto Montalvão das Neves, ex-presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Pará (AMEPA) e ex-vice-presidente da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB). Foi membro efetivo do TRE, entre 2003 e 2006. A nora do governador, Luciana Lopes Labad Jatene, é coordenadora do gabinete dele.

JOSE DEORILO CRUZ GOUVEIA DOS SANTOS (assessor especial I) – Seria marido da desembargadora Maria de Nazaré Silva Gouveia dos Santos, corregedora do Interior do Tribunal de Justiça do Estado do Pará.

THYAGO ARAUJO DE SOUZA (assessor especial I) - Seria filho da desembargadora Vera Araújo de Souza.

ERCY ARAUJO DE SOUZA (assessor especial I ) – Também seria filho da desembargadora Vera Araújo de Souza. 

GABRIEL PINHEIRO JUSSARA (assessor especial I) – Filho do juiz Paulo Jussara.

OSVALDO DA SILVEIRA CAMPELO JUNIOR (assessor especial I) – Seria irmão do juiz federal Antonio Carlos de Almeida Campelo, que, em janeiro do ano passado, foi empossado como juiz efetivo do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). 

MARIA BETANIA DA SILVA MAROJA  (assessora especial II) - Figurou na relação de familiares de magistrados que teriam de ser demitidos pelo TJE, em 2006, por força de uma Resolução do CNJ contra o nepotismo. Naquela relação, consta que é parente, em segundo grau, de magistrado. O sobrenome dela é idêntico ao do desembargador João José da Silva Maroja.

RICARDO ADELINO NUNES MESQUITA (assessor especial I) – Também figurou na relação de parentes de magistrados que teriam de ser demitidos, em 2006, pelo TJE. Naquela listagem, consta que é parente, em terceiro grau, de  magistrados.

RITA MANUELA DE MACEDO PARENTE (assessora especial II) – Também integra a relação divulgada pelo TJE em 2006, na qual figurou como parente, em primeiro grau, de magistrado. Mas a desembargadora Sônia Maria de Macedo Parente, que tem sobrenome idêntico ao de Manuela, se aposentou em 2010.


“Manelão” deixa a Assessoria Especial de Jatene e Pedro Rezende é acusado de explorar trabalho escravo.

No último dia 2 de julho, o Diário Oficial do Estado publicou a exoneração do ex-prefeito de São Geraldo do Araguaia, Manoel Soares da Costa.

 “Manelão”, como é mais conhecido, era um dos integrantes do time da pesada da Assessoria Especial de Jatene: dez ex-prefeitos e dois dirigentes ou ex-dirigentes de entidades civis que estão condenados a devolver aos cofres públicos quase R$ 7,6 milhões – e que, no entanto, como se viu, continuam a receber dinheiro dos mesmíssimos cofres públicos, como assessores especiais.

“Manelão”, aliás, era o campeão de débitos do time de Jatene: foi condenado em 12 processos, pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), a devolver ao erário mais de R$ 2,417 milhões.

Também nos últimos dias, a Assessoria de Comunicação do Ministério Público Federal confirmou ao blog que o ex-prefeito de Pacajá, Pedro Theodoro de Rezende, que também é assessor especial de Jatene e está condenado a devolver aos cofres públicos mais de R$ 53,3 mil, é o mesmíssimo Pedro Theodoro de Rezende acusado de manter trabalhadores em condições análogas à escravidão – os números de CPF conferem.

A ação penal contra Pedro, Absair, José, Altamiro, Valdomiro e Luizmar  Theodoro de Rezende foi ajuizada na Justiça Federal de Altamira. Quase todos, inclusive Pedro, foram absolvidos sumariamente em primeira instância, mas o MPF apelou da decisão (leia a reportagem anterior). 

Pedro foi condenado por improbidade administrativa, em primeira instância, em processo na Justiça Estadual, no final de maio deste ano, e teve os direitos políticos suspensos. 

Ele responde, ainda, a uma ação de improbidade ajuizada pelo MPF, por suposto envolvimento com a “máfia dos sanguessugas”, acusada de desviar recursos da Saúde. Se condenado, pode pegar até 12 anos de prisão.


Deputados empregam parentes e também assessores na Assessoria de Jatene

Como você leu na reportagem anterior, seriam sete os deputados estaduais com parentes empregados na Assessoria do governador. Além disso, os deputados Hilton Aguiar, do PSC, e José Megale, do PSDB, também teriam assessores na Assessoria Especial de Jatene.

Mas a Perereca errou: faltou contabilizar, na reportagem anterior, o deputado estadual Fernando Antonio Rodrigues Coimbra, que é marido da vereadora de Belém Tereza Hanemann Coimbra, cujo pai, Felipe Augusto Hanemann Coimbra, seria assessor especial de Jatene (veja na segunda reportagem da série).

Quer dizer: o assessor especial de Jatene que tem  nome idêntico ao do pai da vereadora seria sogro de Fernando Coimbra. Ou, talvez, cunhado.

No Diário Oficial de hoje, 04 de julho, caderno 2, página 2, o governador  exonerou, entre outros assessores, o estudante  Iran Silva de Lima, que seria filho da deputada Nilma Lima; Eduardo Sampaio Gomes Leite, um dos filhos do deputado Pio X Sampaio Leite (que, no entanto, permanece com a esposa e outro filho na Assessoria de Jatene);  e Orivaldo Ferreira Pinheiro, cunhado do deputado Raimundo Santos (que, no entanto, ainda tem uma filha e o genro como assessores especiais do governador).

No entanto, ainda há mais deputados que teriam assessores na Assessoria do governador: além de Megale e Hilton Aguiar, o blog descobriu dois casos semelhantes nos gabinetes dos deputados Alexandre Von, do PSDB, e Francisco Melo, do PMDB.

E mais: o blog também achou uma assessora especial que foi ou é integrante do Instituto Zita Cunha, que é ligado à deputada estadual Ana Cunha, do PSDB; além de indício de que também o deputado Nélio Aguiar, do PMN, tem uma irmã empregada na Assessoria de Jatene.

Com tudo isso, a relação dos deputados com parentes ou assessores na Assessoria do governador ficou assim:

Com parentes: Antonio Rocha e Josefina do Carmo, PMDB; Haroldo Martins e Silva, do DEM; Pio X Sampaio Leite, do PDT; Raimundo Santos e Junior Hage, do PR; Fernando Coimbra, do PSD; e Nélio Aguiar, do PMN.

Com assessores: Hilton Aguiar, do PSC; José Megale, Alexandre Von e Ana Cunha,  do PSDB; Francisco Melo, do PMDB. 

Total, entre parentes e assessores: 13 deputados, ou 30% da Assembleia Legislativa do Estado do Pará. 

A Perereca pede desculpas pela demora desta nova postagem. Mas, além de esta investigação ser extenuante e complicada, a Velox também deixou a blogueira várias vezes sem internet, na semana passada.

Confira mais alguns nomes pesquisados. Todos são assessores especiais I ou assessores de gabinete, a exceção de Monique Antunes da Costa que é especial II (o blog começou a “revisitar” alguns nomes):

Assessores Especiais I

IGOR DA SILVA TOUTA – Nome idêntico ao de um secretário parlamentar do gabinete do deputado estadual José Megale (PSDB). E mais: os números de CPF do secretário parlamentar que estão na lista da Alepa (71570)  batem com os números do CPF do assessor de Jatene, na lista da Sead (71570287). É situação idêntica a que você viu na primeira reportagem desta série, quando o blog constatou que o nome da assessora especial Adriana de Carvalho Ferreira Guimarães é igualzinho  ao de uma secretária parlamentar do mesmíssimo deputado José Megale (aqui a relação da Alepa: http://www.alepa.pa.gov.br/alepa/d_pessoal.php ). Aliás, os números parciais de CPF também batem no caso de Adriana: o pedaço de CPF da assessora de Jatene na lista da Sead é o 94557234 . O da secretária parlamentar de Megale na lista da Alepa é o 94557.  Confira nos quadrinhos abaixo:


 
JOSE DEORILO CRUZ GOUVEIA DOS SANTOS – Pode ser marido ou ex-marido da desembargadora Maria de Nazaré Silva Gouveia dos Santos, corregedora do Interior do Tribunal de Justiça do Estado do Pará. Duas pessoas com esses mesmíssimos nomes – José Deorilo Cruz Gouveia dos Santos e Maria de Nazaré Silva Gouveia dos Santos - figuram como representantes legais de um cidadão chamado José Deorilo Cruz Gouveia dos Santos Junior, em processo ajuizado em 2008, para retificação do registro de nascimento dele. O processo, de número 0040183-79.2008.814.0301, tramitou na  6ª Vara Cível de Belém. Na sentença, o juiz Mairton Marques Carneiro escreveu: “Trata-se de ação de RETIFICAÇÃO DE REGISTRO DE NASCIMENTO de JOSE DEORILO CRUZ GOUVEIA DOS SANTOS JUNIOR.  Relatado. Decido. Considerando os termos da exordial, os documentos acostados e o ilustre parecer do nobre representante do Ministério Público e que defiro o pedido, para que seja retificada o nome da genitora do(a) requerente para MARIA DE NAZARÉ SILVA GOUVEIA DOS SANTOS, permanecendo os demais dados. Sem custas, ESTA SENTENÇA SERVE COMO MANDADO. Sentença publicada em audiência”. Clique aqui: https://docs.google.com/open?id=0B8xdLmqNOJ12UDltSEJWT3AzVWs
Ou veja nos quadrinhos abaixo, nos quais você também confere parte da biografia da desembargadora Maria de Nazaré Silva Gouveia dos Santos, extraída do site do TJE. Atente para os nomes dos pais dela: o “Gouveia dos Santos” só pode ter vindo do marido. Veja:



MARCELO SPINOLA SALGADO – O assessor especial de Jatene tem nome idêntico ao de um secretário parlamentar do gabinete do deputado estadual Alexandre Von, do PSDB. Os pedaços de CPF coincidem. Os números de CPF do assessor de Jatene, na relação da Sead, são os 92058253. Já os números de CPF de Marcelo Spínola Salgado, na relação da Alepa, são os 92058. Veja nos quadrinhos abaixo:



MAXLENE FIGUEIRA  Em pelo menos duas ocasiões, uma pessoa com esse mesmíssimo nome – Maxlene Figueira – figurou como representante do Instituto Zita Cunha, entidade ligada à deputada estadual Ana Cunha, do PSDB. A primeira vez está registrada no Diário Oficial do Município de Barcarena de 29 de maio de 2009, página 7: a homologação do Conselho Municipal de Assistência Social. Nele, figura o Instituto Integrado de Desenvolvimento Comunitário, Educação, Cultura e Assistência Social Zita Cunha – e a representante é Maxlene Figueira. A segunda ocasião está registrada no Diário Oficial do Município de Barcarena de 29 de abril de 2011, página 11: a criação da comissão organizadora da 1ª Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência. E na comissão, novamente, uma certa Maxlene Figueira é a representante do Instituto Zita Cunha. Veja nos quadrinhos abaixo:



MONIQUE ANTUNES DA COSTA – A assessora especial II de Jatene tem nome idêntico ao de uma secretária parlamentar do gabinete do deputado estadual Francisco Melo, o “Chicão”, do PMDB. No entanto, o nome dela não consta na lista da Sead, que serviu de base às reportagens deste blog: a lista só contempla os servidores nomeados até abril; já a nomeação de Monique está publicada no Diário Oficial do Estado de 13 de junho deste ano, caderno 1, página 5. Não há, portanto, números de CPF para checagem. Mas você pode conferir nos quadrinhos abaixo a coincidência de nomes:



POLYANA ANDRESSA BAHIA VIEIRA DA SILVA - Pode ser filha da major Neyla Regina Bahia Vieira da Silva, mulher do ex-comandante da PM João Paulo Vieira da Silva, coronel reformado que comandou a segurança pessoal de Jatene na campanha eleitoral de 2010. Neyla e João Paulo Viera têm quatro filhos. Uma se chama Polyana. E dois dos filhos do casal – Pamela Anne e Patrick Anderson - têm nomes, aliás, bastante compatíveis com o de Polyana Andressa... E mais: no Diário Oficial do Estado de 17 de abril de 2012, página 6 do caderno 1, consta a exoneração de um certo Patrick Anderson Bahia Vieira da Silva do cargo de assessor especial I. Na mesma página está a nomeação de Polyana Andressa Bahia Vieira da Silva para o mesmíssimo cargo de assessor especial I. Ambas, a exoneração de Patrick e a nomeação de Polyana, são a contar de 1 de abril de 2012.  Confira nos quadrinhos abaixo. O primeiro é uma entrevista de Neyla ao jornal O Liberal de 24 de fevereiro de 2008, caderno Atualidades, seção “Saia Justa”, que foi reproduzida  no portal das ORM (o blog não conseguiu acessar os arquivos de 2008 do jornal O Liberal); o segundo é uma nota na coluna do jornalista Isaac Soares, no jornal O Liberal de 4 de março de 2006, também reproduzida no portal das ORM, sobre o aniversário de Neyla e os nomes dos filhos dela;  o terceiro é a exoneração de Patrick; o quarto, a nomeação de Polyana; o quinto, um instantâneo da página do DOE em que os dois  aparecem juntos (a exoneração de Patrick é o segundo decreto da segunda coluna; a nomeação de Polyana, na terceira coluna, está marcada em azul):



RAIMUNDO ALEXANDRE DANTAS BENTES – Os oito números do CPF do assessor de Jatene, na lista da Sead, batem com os do CPF do presidente, ou ex-presidente, do Centro Cultural de Ação Social da Amazonia – CASA, uma ONG que, pelo menos até 2006, firmou vários  convênios com o Governo do Estado, Prefeitura de Belém e União. O nome do assessor especial de Jatene também é idêntico ao de um músico de Ananindeua e ao do tesoureiro do Diretório Municipal do PSC de Ananindeua. Raimundo Alexandre Dantas Bentes também é o nome do 1 tesoureiro do Diretório Estadual do PSC. Veja abaixo, no Diário Oficial do Município de 3 de julho de 2006, caderno 1, página 6, um convênio entre a CASA e a Prefeitura de Belém; e, ainda, o quadro de dirigentes do PSC estadual:



RAIMUNDO DOS SANTOS DUARTE SOUTO – Mesmo nome de um candidato a prefeito de Porto de Moz, pelo PMDB, nas eleições de 2008. Comerciante, é mais conhecido como Ray Duarte e tem apenas o fundamental completo, segundo o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Também concorreu a prefeito de Porto de Moz, sempre pelo PMDB, nas eleições de 2000 e 2004. Os números do CPF que constam na prestação de contas da campanha dele, em 2004, conferem com os do CPF do assessor especial de Jatene, na lista da Sead. No Diário Oficial de 14 de setembro de 2011, caderno 1, página 5, foi nomeado assessor especial I, com data retroativa a 1 de agosto, e lotado na Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sespa). Acabou exonerado em fevereiro deste ano (Diário Oficial do Estado de 8 de fevereiro de 2012, caderno 1, página 5), mas voltou ao mesmíssimo cargo e à mesmíssima Sespa a partir de 1 de abril (Diário Oficial do Estado de 17 de abril de 2012, caderno 1, página 7). Hoje, Raimundo dos Santos Duarte Souto é presidente da Comissão Provisória do PPS em Porto de Moz. A Sespa é cota do PPS no Governo Estadual. Veja nos quadrinhos abaixo:



ROBEL RICARDO CAMPOS SANTIAGO – Mesmo nome de um pastor que preside a  Assembléia de Deus, Ministério de Madureira, em Altamira. Veja no quadrinho, extraído do site da Convenção Estadual dos Ministros Evangélicos das Assembleias de Deus, Ministério de Madureira no Estado do Pará – Norte (Conemad – PAN): 



SOLIENE DA SILVA SOUSA – Segundo o blog do jornalista Jota Parente, há uma cidadã com esse mesmíssimo nome que é irmã do médico Nélio Aguiar - como é mais conhecido o deputado estadual  Francisco Nélio Aguiar da Silva, do PMN. A matéria do Jota Parente, que é de 23 de março de 2009,  está aqui:  http://jotaparente.blogspot.com.br/2009/03/perfil-do-empresario.html . Na época, Nélio ainda não era deputado. Soliene, diz Jota Parente, é mulher do empresário Antonio Paulino de Sousa, o “Antonio do ônibus”, de Itaituba. Vale salientar que a Perereca não conseguiu confirmar essas informações com pelo menos  mais uma fonte, como tem procurado fazer com todos os dados desta série de reportagens. Daí ser maior a possibilidade, no caso de Soliene, de que não se trate da mesma pessoa. Mas também não há motivos para duvidar da informação de Jota Parente. Confira no  quadrinho abaixo:



THYAGO ARAUJO DE SOUZA e ERCY ARAUJO DE SOUZA – Têm os mesmíssimos nomes dos filhos da desembargadora Vera Araújo de Souza, do Tribunal de Justiça do Estado do Pará. E mais: no caso de Ercy Araújo de Souza, a Perereca conseguiu obter, no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma certidão de quitação eleitoral. Nela, os pais de Ercy se chamam Vera Araújo de Souza e Wantuil Estevão de Souza – ou seja, têm os mesmíssimos nomes da desembargadora e do marido dela. Em outras palavras: é quase certo que Ercy é, de fato, filho daquela magistrada. Confira nos quadrinhos abaixo a biografia de Vera Araújo, extraída do site do TJE, e a certidão de quitação eleitoral de Ercy: 



TITO JOSE VIANA DA SILVA – Advogado, é vice-presidente do Diretório Municipal do PSDB de Santarém, que tem na presidência o deputado estadual Alexandre Von. Confira no quadro abaixo:



VALDINEIA DE OLIVEIRA NAKATA – Pode ser mulher de Alberto Yoiti Nakata, candidato a prefeito de São Domingos do Capim, pelo PTB, nas eleições de 2008. Em outubro de 2009, Alberto ainda chegou a assumir a Prefeitura, devido à cassação do prefeito eleito, José Cristiano Martins Nunes (PT),  por suposto abuso de poder econômico nas eleições. O TRE, porém, anulou a decisão de primeira instância e Cristiano retornou ao cargo um mês depois. “Entretanto e entrementes”, em dezembro de 2009, Valdineia foi agraciada pela Assembleia Legislativa com o título honorífico de “Cidadã do Pará”. A proposta partiu do então deputado José Soares, que atuava na região de Castanhal e era do PMDB – e a vice de Alberto Yoiti também era do PMDB. Valdineia e Alberto Yoiti Nakata também aparecem juntos em processos na Comarca de Castanhal. Em um deles (que é de execução de título extrajudicial, tem o número 0004476-74.2010.814.0015 e se encontra suspenso), consta que têm o mesmo endereço: a alameda Bragança, S/N, em Castanhal. Em outro processo (número 0001935-93.2011.814.0015, de embargos de execução), que aparece na página 588 do Diário da Justiça do Estado do Pará de 11 de agosto de 2011, Valdineia e Alberto figuram como embargantes, e o Banco da Amazônia (Basa), como embargado. No despacho, a juíza determina que juntem à inicial uma planilha de cálculo que demonstre o valor correto do débito    o que significa que, além do sobrenome, eles têm também uma dívida em comum. Veja nos quadrinhos abaixo: 

 
WLADIMIR FERNANDES DA COSTA – Mesmo nome do pastor evangélico que preside a Assembleia de Deus, Ministério de Madureira, em Marabá. Pode ser só coincidência, mas chama atenção, na lista de assessores de Jatene, o fato de outro cidadão ter nome idêntico ao de um pastor evangélico (veja acima o caso de Robel Ricardo Campos Santiago). Em abril do ano passado, o deputado federal Wandenkolk Gonçalves (PSDB) requereu, na Câmara dos Deputados,  “voto de louvor” a um pastor evangélico chamado Wladimir Fernandes da Costa, que havia sido empossado como presidente do Campo das Assembleias de Deus Ministério Madureira em Marabá - Cademar. Segundo o blog Quaradouro, do advogado e jornalista Ademir Braz, a lista de 326 exonerados pela Prefeitura de Marabá, em dezembro do ano passado, incluiu um certo Wladimir Fernandes da Costa, que os comentaristas daquela postagem garantem que é pastor evangélico (http://quaradouro.blogspot.com.br/2011/12/demissoes-maurino-culpa-crise-mundial.html). A nomeação de Wladimir Fernandes da Costa como assessor especial I de Jatene está publicada no Diário Oficial do Estado de 12 de março de 2012, caderno 1, página 6, e é retroativa ao dia primeiro. No mesmo DOE, só que na página 7, consta que Wladimir está lotado na Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção. Veja nos quadrinhos abaixo:



WILSON BRANCO FILHO  -  No blog “Café com Política”, do Sul do Pará, consta que um cidadão com esse mesmíssimo nome é irmão de Alberto Branco, ex-prefeito de Conceição do Araguaia. A postagem, de 4 de novembro de 2011,  é sobre a passagem meteórica de um certo Wilson Branco Filho pela direção regional do Detran no Sul do Pará: ele teria permanecido no cargo apenas 10 dias, entre 25 de outubro e 3 de novembro, quando a cadeira retornou para Ricardo Pul (o pai de santo dessa autêntica “volta dos que não foram” teria sido o deputado estadual Fernando Coimbra, do PSD). A fonte da informação reproduzida pelo “Café com Política”, sobre a posse de Wilson Branco Filho, foi o blog do jornalista Otávio Araújo, que edita o jornal A Notícia e o site Real Online News, ambos daquela região. E também no blog de Otávio Araújo, o cidadão Wilson Branco Filho aparece como irmão do ex-prefeito de Conceição do Araguaia. O mesmo acontece em outro blog do Sul do Pará, o Carajás Notícias. Médico, José Alberto de Sousa Branco foi eleito prefeito de Conceição do Araguaia em 1996, e reeleito em 2000, sempre pelo PDT. Depois, migrou para o PSDB e, em 2006, já saiu candidato a deputado estadual pela nova legenda. Em 2008, tentou se candidatar novamente  a prefeito de Conceição do Araguaia, mas teve o registro indeferido. O mesmo aconteceu em 2010, quando se candidatou a deputado estadual. Hoje, é presidente da Comissão Provisória do PSDB de Conceição do Araguaia. Já o cidadão Wilson Branco Filho é o secretário da mesmíssima CP.
Ou clique nos quadrinhos abaixo:



Assessores de Gabinete

ALADIM MARTINS DE PAULA – Mesmo nome do ex-prefeito de Igarapé-Miri, do PSDB. Os oito números de CPF na relação da Sead batem, aliás, com os do CPF do ex-prefeito. Comerciante, tem apenas o fundamental completo, como informa o site do TSE. Foi candidato a deputado estadual nas eleições de 2010. Em outubro de 1999, foi condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) a devolver aos cofres públicos R$ 133 mil - em valores de 1995; não atualizados, portanto. O acórdão é o 381/1999. A irregularidade detectada foi o desvio de finalidade: Aladim teria usado dinheiro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para pagar os salários dos funcionários da Prefeitura, apesar de proibição expressa nesse sentido, no próprio convênio que possibilitou o repasse. A decisão 56/1999 da Primeira Câmara do TCU, datada de março daquele ano, que rejeitou as alegações de defesa de Aladim, esclarece o desvio de finalidade. Leia aqui: http://contas.tcu.gov.br/portaltextual/ServletTcuProxy E aqui: http://contas.tcu.gov.br/portaltextual/MostraDocumento?qn=1&doc=1&dpp=20&p=0
Ou clique nos quadrinhos abaixo:



EDNAYRA CARVALHO DA SILVA BARBOSA – O nome é idêntico ao de uma dentista e, também, ao da esposa do delegado de polícia João Batista Medeiros Barbosa. Esse delegado tem o mesmíssimo nome de um candidato do PMN a vereador de Barcarena, nas eleições de 2008; e a deputado federal, nas eleições de 2010. A alcunha do candidato João Batista Medeiros Barbosa, aliás, é “Delegado Medeiros”; e a profissão, policial. Em ambas as eleições, acabou como suplente. As informações constam no site do TSE e num processo de divórcio consensual que Ednayra e João ajuizaram em 2009, na Comarca de Barcarena. Em 2011, porém, eles voltaram atrás e restabeleceram o casamento. O blog decidiu, no entanto, não publicar peças obtidas  por consulta processual, optando por reproduzir apenas a sentença que restabeleceu a união, que pode ser lida no Diário de Justiça do Estado do Pará de 27 de maio de 2011, página 553, embora ela apenas mencione a Polícia Civil. Veja nos quadrinhos abaixo. E note que o estado civil do candidato do PMN, nas eleições de 2008 e 2010, também combina com a do marido de Ednayra:


9 comentários:

Anônimo disse...

Ana a servidora MARLENA BENTO VASCONCELLOS CHAVES – lotada na ASSESSORA TÉCNICO ADMINISTRATIVO da Presidência é nora da Desa. Vânia Fortes Bitar. Apesar do nome não ter referência, Marlena é companheira do filho da Desa.

Anônimo disse...

Amiga Perereca ainda que respeitando sua matéria jornalistica, não entendo o por que do questionamntos das referidas nomeações.Quem você queria que o Governador nomeasse como assessores?Seus parentes ou os militantes do PT?Se são cargos de confiança ele nomeia quem é da confiança dele e pronto.Seria anormal se ele mantivesse a cabeleleira ou assessores do governo Ana Julia como assessores especiais dele.Abraços...

Anônimo disse...

Cara Ana, com essa série de reportagens do mais alto interesse público, você está se transformando numa das maiores repórteres investigativas do país e espero que você cuide sempre de sua saúde para que não tenha que dar trégua a esse bando de mafiosos que não se envergonham de assaltar os cofres públicos e cometer toda essa série de crimes que você denuncia, com muita propriedade, coragem e indignação.
Parabéns e vamos forçando a barra para a construção de um Pará melhor.
P.S. Só ainda não entendi direito essa propaganda do Sindfisco. Me parece que ficou faltando o outro lado da moeda, que é a aplicação dos impostos coletados por essa "mão forte". Em minha opinião, é uma demonstração de ufanismo pela metade.
Abraços
Fernando

Anônimo disse...

Perereca,
Voce tem toda razão. falta tudo no Pará, governado pelo Jatene. O Corpo de bombeiro, teve que emprestar um megafone, de um ambulante, para utilizar no resgate de um jovem, que tentou suicidio. Um absurdo. chega de desgoverno.

Anônimo disse...

5:30, quando a Ana judas era governadora os tucanos arrepiavam apontando o biquinho para o governo em relação a isso que a Pererecona denuncia: NEPOTISMO
Entendeu ou preciso desenhar?
Te faz de doido(a).

Anônimo disse...

Respeitando o carater jornalistico, que é de informar sempre. Achei que vc foi infeliz na materia. O jatene em todos as pesquisas agrada o povo do Para, muito diferente do governo da Ana Julia. Assessorias são cargos de confiança. Que são fechadas nas campanhas eleitorias.. Não se pode colocar qualquer pessoa, trata se de um processo administrativo. É logico que o jatene não vai nomear vc, nem os militantes do pt.. Jornalismo de carater individual, não beneficia niguem. Um abra¢¢o. Fica a dica

Anônimo disse...

Isso é a realidade.

Anônimo disse...

Alguém sabe o número da resolução do CNJ falando sobre os julgamento pelos desembargadores qd o governo for parte. Se tiver a data e local da publicação, vai ser ótimo. ATENÇÃO TODOS NÓS QUE TEMOS AÇÕES CONTRA O GOVERNO, ISSO ACABA COM O JOGO DE CARTAS MARCADAS DO TJE COM A PGE, VAMOS AGIR GENTE.

Anônimo disse...

em Tucurui ta feio,por que nem promotor temos no município, temos uma penitenciaria no município,mais o coronel de centro de recuperação esta transferindo os presos do município para a penitenciaria de Belém isso é um absurdo.