Ban

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Jordy afirma que jovem do áudio não é menor e nega que tenha tentado induzi-la a um aborto. E credita à disputa pela Prefeitura de Belém e a “interesses contrariados” pela CPI da Pedofilia a “forma escandalosa” como o caso veio à tona.


A jovem que o deputado federal Arnaldo Jordy (PPS) teria supostamente tentado convencer a fazer um aborto não é menor de idade.
 
Foi isso o que ele garantiu, há pouco, à Perereca da Vizinha.

O blog telefonou ao deputado devido a comentários que circulam na internet acerca da menoridade da jovem – o que faria o caso deixar de ser privado, para se tornar de interesse público.

Segundo Jordy, a jovem do áudio tem 26 anos.

E a gravidez inesperada dela, disse ele, foi resultado “de um relacionamento fortuito”.

Jordy disse que a moça é solteira e ele também.

O deputado tem cinco filhos de outros relacionamentos e, garante, “nunca tive problemas em reconhecer a paternidade de nenhum deles”.

Disse que contestou a ação de alimentos gravídicos que a jovem ajuizou contra ele porque ela teria pedido 40% dos vencimentos dele. E que, na contestação, também requereu a realização de exame de DNA, após o nascimento da criança, “para assegurar direitos e cumprir obrigações paternais”.

Jordy, que dará uma entrevista hoje, às 15 horas, sobre o assunto, também afirmou que possui comprovantes de pagamento de plano de saúde e dos repasses bancários que fez para ajudar a jovem, além de cupons fiscais dos artigos que comprou para o bebê.

E acrescentou “ainda que não fosse meu filho, eu ajudaria, como já ajudei mulheres grávidas que não tinham nada a ver comigo”.

Ele lamentou que o assunto, que considera privado, “tenha vindo a público dessa forma escandalosa, por conta do processo político”.

Segundo ele, pesquisas de que tomou conhecimento, uma delas já publicada, o colocam em segundo lugar na disputa pela Prefeitura de Belém, atrás apenas de Edmilson Rodrigues (PSOL).  

“E como não têm como me acusar, de improbidade, malversação, apelam para isso”, afirmou.

Além disso, acredita, o caso também alcançou essa dimensão devido  “a pessoas que se sentiram contrariadas pela CPI da Pedofilia”.

“Já estou investigando isso. Pela primeira vez uma CPI (a da Pedofilia) não terminou em pizza. São interesses contrariados”, comentou.

Jordy disse que soube do áudio postado no YouTube na tarde de ontem. Depois de se reunir com auxiliares que atuam na área jurídica, tratou de providenciar os comprovantes bancários do dinheiro que já repassou a jovem.

Lembrou que ser pai ou mãe não é apenas prover materialmente, mas, dar atenção à criança, e que quando soube da gravidez dessa jovem teve várias conversas com ela. No entanto, afiançou, em nenhuma dessas conversas sugeriu que ela fizesse aborto.

“Mesmo nesse áudio, obtido ilegalmente e de forma premeditada, em nenhum momento sugiro isso”, afirmou, “Até porque, por esse comportamento meu de ajudá-la, quem está trabalhando em sentido contrário (ao nascimento da criança) não faria isso. Eu estou com o áudio (na internet) aberto aqui na minha frente. Ouça novamente você também. Em nenhum momento falo em aborto nessa gravação”.

Disse que o áudio, mal gravado, também tem origem “nebulosa”: teria sido postado no YouTube através de um perfil falso, um certo “Pedro” que não se conseguiu localizar em qualquer rede social.

E repisou: “Mesmo nesse diálogo, obtido de forma ilegal, há vários momentos que não dá pra ouvir. É uma coisa muito nebulosa a origem dessa fita. Não vou dizer que o diálogo não existiu. Mas em nenhum momento está caracterizado isso (que tentou induzir a jovem a fazer um aborto”.

O deputado também se prontificou a mandar entregar ao blog todos os documentos que possui sobre o caso.

........
 
O blog, infelizmente, voltará mais tarde a esse assunto. Mas o fará do ponto de vista que realmente interessa: a hipocrisia que cerca o aborto. E o uso dessa "arma" em campanhas políticas, coisa que foi feita, aliás, até contra a atual presidenta da República.

8 comentários:

Anônimo disse...

A verdadeira vítima ainda nem nasceu. Já está rejeitada, ameaçada e com certeza será rejeitada pelo suposto pais. Pai !!! Será que um sujeito, seja ele um mortal qualquer ou um excelentíssimo senhor deputado federal pode ser chamado assim PAI. Quem é contra a vida não merece nada, muito menos respeito. Rita Souza

Anônimo disse...

Mana, que negócio é esse? A questão não é a idade da mulher de 26 anos que o Jordy engravidou. A questão não é a "hiprocrisia que cerca o aborto". A questão é: o abordo, hipócrita ou não, é ilegal,é crime. Jordy pressiona uma mulher a praticar o aborto, recomenda dois médicos a fazer o aborto e diz que não pode pagar pensão. Mana, você tá defendendo o Jordy porque não é com você.

Anônimo disse...

A questão não é somente o aborto em sí, que já é uma prática absurda.O fato é o Jordy, ser uma figura pública, que inclusive participou de campanha contra o aborto, conforme atesta foto publicada em vários blogs, como no blog do Hiróshi Bogéa.O mais condenável é um publico, que sempre pregou a ética, a decência de forma externa e nos internos age de outra forma.Levando para o popular futebolístico, jogar para a arquibancada de um jeito e nos bastidores, ser uma pessoa completamente diferente.

Anônimo disse...

Caiu a máscara de Jordy e fica a curiosidade: quem são os 2 médicos citados por ele? Cumplices no crime que ele arquitetava,porque o aborto é crime quando não houve estupro,risco de vida materna ou anencefalia.

José Luíz Capa Preta disse...

Esse 'Camarada' não vale nada,eu já o havia desafiado a ratificar sua candiadtura à Prefeitura há cerca de um mês,pis sempre soube dos motivos sinuosos que o lançaram nesta jornada de aventuras sem o credenciamento(apoio politico)necessário,seu intuito era apenas projetar seu nome para ganhar benesses do governo do Estado,para apoiar o candidato da situação.Quanto ao fato da indução ao aborto é indefensável,não há argumento que o salve,já foi pro limbo.É a sua voz que está alí,dizendo' Trauma a gente esquece'É essa sua ética Deputado Jordy.Luis Afonso Seffer que foi apontado,de dedo em riste por Jordy como autor de crime hediondo a esta hora se martelar o dedo em vez do prego....dá gargalhadas de prazer,.....e não é pra menos !

Anônimo disse...

Ganha um prêmio quem adivinhar o nome de um dos eleitos deputado federal do Pará, candidato a prefeitura de Belém, que mandou executar o serviço para detonar Jordy.

Anônimo disse...

Não dá para transformar o Jordy em vitima.Ele tenta convencer a mulher a abortar mesmo,o que é crime com excessões legais previstas e que não se aplicam ao caso. Mais um hipócrita gravado.Es tragaram a montagem da eleição para prefeito, em que no primeiro turno tirava votos do Edmilson aí no segundo turno negociava apoio ao Zenaldo em troca de mais cargos no governo.Tipo o acordo com o Priante em eleição passada. Só que ser aborteiro atrapalhou.

Neto disse...

Eu map ganharlia esse premio nobre e visionario anonimo, mas, premiaria o bem infprmado é preciso destinguir a questao politica da pessoal. E preciso desarmar essa bandidagem cpm o jordy