Ban

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Edmilson Rodrigues pede que CPMI de Cahoeira investigue contratos da Delta Construções com o Governo do Pará. E denuncia manobra da Câmara para afastá-lo da disputa à Prefeitura de Belém na base do tapetão.

Edmilson: manobra da Câmara Municipal para detonar candidatura
 
O deputado estadual Edmilson Rodrigues (PSOL) apresentou moção, na Assembléia Legislativa do Pará, para que a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Congresso Nacional, que apura a teia de corrupção do bicheiro Carlos Cachoeira em várias esferas do poder público e da iniciativa privada, investigue também os contratos suspeitos da empresa do contraventor, Delta Construções S.A, com o governo do Pará. 

A moção foi protocolada junto à mesa diretora da Alepa, durante a sessão ordinária de ontem, 15.
 
A Delta é acusada de possuir extensa rede de corrupção e tráfico de influência em vários estados da Federação, com os quais assinou contratos milionários suspeitos de superfaturamento.

“No Pará, a Delta registrou, nos últimos anos, um notável crescimento na participação de obras e serviços prestados a diversos níveis de governo, como a locação de veículos para a Polícia Militar do Estado, ainda durante o governo passado. À época, o contrato sofreu pesadas críticas de partidos de oposição que suspeitavam de superfaturamento. Entretanto, já na atual gestão, segundo denúncias publicadas no blogue da jornalista Ana Célia Pinheiro (A Perereca da Vizinha), foi firmado novo contrato para o mesmo objeto, porém com valores superiores aos praticados anteriormente”, destacou Edmilson.

Segundo o blogue, o contrato assinado anteriormente, era de R$ 20 milhões para dois anos, ou seja, R$ 10 milhões por ano.

Já o novo contrato da Delta com a PM tinha um valor  inicial de R$ 14 milhões para apenas um ano. Mas um aditivo de preço de R$ 3,5 milhões elevou o contrato para R$ 17,6 milhões. 

Quer dizer: o novo contrato poderá ficar 70% mais caro que o anterior.

Outro problema é o valor do aluguel desses veículos, o que, na ponta do lápis, deve sair mais caro do que a compra. 

Além disso, o governo do Estado continuou a pagar o contrato anterior, ao mesmo tempo em que também pagava o novo contrato, o que aconteceu, pelo menos, até março deste ano.

O caso está sendo investigado pelo Ministério Público, que abriu procedimento para apurar as supostas ilegalidades na transação. 

“Não podemos admitir que os cofres públicos sejam lesados, aqui no Pará ou em qualquer lugar”, criticou Edmilson. 

A moção será levada ao conhecimento da bancada do PSOL na Câmara Federal, ao senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), ao Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), à Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Pará (OAB-PA), ao Ministério Público do Estado do Pará (MPE) e à Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH).



Manobra na Câmara tenta inviabilizar provável candidatura de Edmilson à Prefeitura de Belém.

Uma impressionante manobra estaria em curso na Câmara Municipal de Belém, para tentar inviabilizar a possível candidatura do hoje deputado estadual Edmilson Rodrigues (PSOL) à Prefeitura da cidade.

Vereadores estariam se articulando para rejeitar as contas de Edmilson, que foi prefeito de Belém entre 1997 e 2004, apesar do parecer técnico favorável do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) à aprovação das contas dele. 

Ontem, 15, Edmilson denunciou essa ameaça em contundente pronunciamento na tribuna da Assembléia Legislativa do Pará.

Ele disse que essa suspeita articulação se deve ao fato de ser o mais lembrado, por amplos segmentos da população de Belém, como uma forte opção para a disputa à Prefeitura.

Esse fato é apontado em pesquisas que o colocam como o pré-candidato com maior intenção de voto, em percentuais que variam de 38% até quase 50% na preferência do eleitorado. 

E o deputado também é unanimidade dentro do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), que confirmará a candidatura majoritária da legenda no próximo dia 26.

“Custo a crer que alguma força política concretize tamanha violência. A aprovação das contas pelo TCM constitui parecer prévio à Câmara Municipal, que pode rejeitá-lo, desde que de forma fundamentada e séria, por 2/3 de seus membros. Não existe registro na história de Belém de que tal rejeição tenha ocorrido, sobretudo quando o parecer técnico recomenda a aprovação”, disse Edmilson. Ele apresentou cópia da certidão do TCM a todas as bancadas da Alepa.

“A disputa eleitoral deve ser um campo democrático para o debate de idéias, projetos, biografias e realizações. Não pode se transformar num espaço de subversão às regras, a serviço de interesses inconfessáveis. Creio que a maioria dos vereadores não compactuará com essa manobra, maculando a sua trajetória como protagonista de um golpe eleitoral. Alerto a sociedade para que fiscalize os atos do Legislativo Municipal”, conclamou.

Confira abaixo a certidão do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM):

 
(Fonte: Assessoria de Comunicação do deputado Edmilson Rodrigues, com modificações do blog).

.........

E leia aqui a postagem mais recente da Perereca sobre os contratos da Delta Construções com o Governo do Pará:

4 comentários:

Anônimo disse...

Quer dizer que querem ganhar as eleicões municipais utilizando-se de tramóias e bandidagem? Já fizeram com o Jordy agora querem tirar das opcoes dos eleitores o Edmilson Rodrigues? Isso é condenável e fere de morte o estado democrático de direito.

Anônimo disse...

Um debate de propostas em que participe os candidatos Arnaldo Jordy, Almir Gabriel e Edmilson Rodrigues terá um nível elevado e melhor para o futuro da Cidade. O povo terá opção de escolha e o resultado das urnas será democrático. Mas se tirarem no tapetão algumas boas opções de candidaturas, vai restar para a população escolher o menos pior e isto não é democrático.
Os caciques políticos, com manobras criminosas, conseguiriam interferir no resultado do jogo antes da partida, com fez o Remo que foi jogar sabendo que estaria na serie "d", mesmo perdendo o campeonato paraense de forma vergonhosa perante uma torcida apaixonada?
Você, belemense, pode impedir que lhes façam de bobo. Vamos nos juntar e repudiar estas manobras. Sindicatos, associações de moradores, clubes de serviços, igrejas, torcidas organizadas, ONGs, todos. Vamos banir da política os malfeitores, incluindo os vereadores que fazem parte desta nova cachorrada.
Entre nas redes sociais e faça chegar até o eleitor mais humilde de Belém quem são estes vereadores que chegam nas periferias com cara de anjo, prometendo asfalto, consultas médicas, empregos… mas que estão a serviço da bandalheira, da péssima saúde pública, da falta de segurança, do péssimo serviço de transporte público, da sofrida educação, da falta de saneamento.
Nós somos os donos do poder, você pode!

Anônimo disse...

Te cuida Edmilson, não te esqueces que quem comanda o tribunal da corrupção municipal éo ficha suja, que recentemente emplacou mais um marajá no órgão inútil. Não te esqueces também, que ele já tem sobrinha, prima, carregador de malas etc... E como é sujo, adora usar suas redes de comunicação, prá sujar os outros também.

Anônimo disse...

Perereca, tu és perigosa menina!