Ban

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Guerra na OAB volta a ferver. Jarbas Vasconcelos quer obrigar Ophir Cavalcante a apresentar faturas detalhadas dos gastos com cartões corporativos. E movimento “OAB de Todos” articula ato contra permanência de Ophir no CNJ.

O clima esquenta novamente na OAB.
 
Na próxima quarta-feira, 25, o presidente deposto da OAB paraense, Jarbas Vasconcelos, ajuíza processo, em Brasília, para obrigar o presidente nacional da entidade, Ophir Cavalcante, a apresentar faturas detalhadas dos gastos com cartões corporativos na sua administração.

 
Quem conta é o blogueiro Zé Carlos Lima (http://zecarlosdopv.blogspot.com/2012/01/intervencao-na-oab-para-para-esconder.html). 


Também segundo ele, a OAB paraense, ainda sob intervenção, vem sendo palco de um verdadeiro “desmonte” e de perseguições a funcionários.
 
E no dia 31 de janeiro, advogados  do movimento “OAB de Todos” prometem realizar um ato, às 14 horas, em frente ao Conselho Federal, em Brasília, pedindo o afastamento de Ophir Cavalcante do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

 
A Perereca recebeu, por email, um panfleto eletrônico de convocação para esse ato. O documento é publicado na íntegra, abaixo, mas com a preservação da fonte, conforme solicitado.

 
Ei-lo:

 
“No Dia 31 de Janeiro, o Conselho Federal da OAB fará um ato em defesa da competência do CNJ. Nós do movimento OAB DE TODOS faremos um ato pedindo o afastamento de Ophir do CNJ.

 
Ophir é acusado de receber a maior remuneração paga à carreira de Procurador do Estado do Pará, cargo que ocupa sem trabalhar há 14 anos, o que contraria dispositivo expresso do regime jurídico único dos servidores estaduais.

 
Ophir é acusado de advogar contra e a favor de entes estatais, da administração direta e indireta do Estado, mesmo estando licenciado do cargo. 


Quer dizer, ele está cedido para a OAB quando se trata de exercer o múnus do seu cargo, mas se o Estado remunera seu escritório, o bravo causídico está disponível... 

Assim procede seu sócio, Thales Pereira, Procurador do Estado cedido ao Gabinete do Governador como assessor especial, onde, de fato, assessora o Pai de Ophir, ex-presidente nacional da OAB e agora, Consultor Geral do Estado.
 
Ophir também é acusado de obter sucessivas licenças para tratar de assuntos particulares, prorrogadas e prorrogáveis  por longos  12 anos, do cargo de professor de direito do trabalho da Universidade Federal do Pará. 


Também, foi acusado de ter contratado o seu escritório pelo Pai, quando Chefe da Procuradoria da UFPA, para defender em juízo os interesses do Reitor e da Instituição.
 
Ophir foi acusado de instituir o cartão corporativo na OAB/Pará e usá-lo indevidamente, sem comprovação de gastos e gastos indevidos. A sua prestação de contas não comprova as despesas que relaciona e por isso, depois de auditadas pela atual gestão da OAB, foi remetida ao Conselho Federal para serem revisadas.

 
Com base em todos esses fatos e a forte repercussão na imprensa nacional, o Presidente Jarbas Vasconcelos pediu no dia 12 de Dezembro, o afastamento de Ophir do cargo de Presidente do Conselho Federal até que os fatos fossem apurados. 


Até agora, o Conselho Federal não se manifestou!

A Diretoria insiste em blindar um morto-vivo, sem condições morais de prosseguir! Uma vergonha à advocacia brasileira!
 
Por isso, denunciamos a finalidade do ato do Conselho Federal em defesa do CNJ. Quem dirige o CF não quer fortalecer o CNJ, mas manipular politicamente a situação vivenciada pelo Judiciário em proveito próprio da diretoria da OAB. 


Trata-se de tentar ressuscitar o prestígio do Presidente da OAB, hoje metido em vestes rotas, fraco e empalidecido frente à nação!
 
Entendemos que só um CNJ forte será capaz de vencer os desafios que lhe são postos. E não acreditamos que mantendo o assento constitucional de um Presidente da OAB atolado em denúncias de improbidade possa contribuir para a defesa da autoridade moral do CNJ. 

 
Por isso, em defesa do CNJ: FORA OPHIR!

 
Convocamos todos os amigos, advogados e advogadas, para estarem conosco neste ato cívico, onde pediremos o afastamento do assento constitucional do Presidente nacional da OAB do CNJ, podendo a OAB indicar outro conselheiro para substituí-lo, bem como, cobrar explicações do pedido de afastamento do advogado Ophir da Presidência da nossa Instituição. 


O Ato será realizado no dia 31, às 14 horas nas portas do Conselho Federal!


OAB de TODOS”

13 comentários:

Anônimo disse...

A COISA TÁ FEIA, NA DIREÇÃO DE OFHIR

Anônimo disse...

É o Ophir da picada esse sujeito com pés de barro, se apresentar como paladino da justiça.

Anônimo disse...

É este o defensor da moralidade pública no nosso Estado? Tá parecido dom o Diário, publica farta notícia sobre propaganda eleitoral fora de época, mas faz a propagando do prefeito de Ananindeua desde priscas eras. Pode?

Anônimo disse...

Quem conhece Jarbas sabe que ele é invejoso e vingativo. Isso é a cara dele. Foi expulso da OAB-PA e agora quer se vingar. Coitado, que Deus o perdoe.

Anônimo disse...

Jarbas Vasconcelos sujou as mãos por um terreno e agora gasta uma fortuna para se vingar. Ele acha que os advogados o querem de volta? Ele não se manca.

Anônimo disse...

Soube que OPhir Cavalcante já contratou um grande advogado criminalista para mover todas as ações possíveis contra essa turma suja que foi expulsa da OAB. Sabes de alguma coisa, Perereca? Soube que os primeiros a serem processados serão João Índio e Eduardo Imbiriba.

Anônimo disse...

Zé Carlos, Jardel Vasconcelos e Jarbas Vasconcelos são do mesmo time. Os iguais se reconhecem. Mas eles não enganam mais ninguém.

Anônimo disse...

Se fosse um simples servidor público beneficiado que gozasse desses benefícios, o ofhirzinho já teria entrado com uma Adin. Fora ofhirzinho.

Anônimo disse...

Fora Ophir, os Advogados em Defesa do Pará, estarão em peso em Brasília, esperamos encontrar o Ophir, queremos ver se ele terá coragem de mostrar quanto recebe mesmo estando de licença!!!

Anônimo disse...

Esclarecimentos ao anomino das 12:20, na verdade, o grande advogado contratado pelo CFOAB é o mesmo do Jader Barbalho, do cassio cunha lima e da jaqueline roriz

Anônimo disse...

Se é só inveja e vingança, manda o Ophir mostrar seu cartão corporativo, afinal não é ele o paladino da moralidade pública?
E para informação de todos, foi iniciativa do CFOAB, desde a gestão do ex-Presidente Cezar Britto, cobrar dos órgãos públicos o uso de cartões corporativos. aliás, em fevereiro-2008, a Seccional do Pará protocolou ofício ao TCM e à Auditoria-Geral do Estado, solicitando informações sobre o eventual uso de cartões corporativos do Governo do Estado e Prefeitura Municipal de Belém. AGORA É HORA DO OPHIR DÁ O SEU EXEMPLO!
E por último, sabes que o Ismael Moraes já está sendo processado criminalmente?

Anônimo disse...

Esclarecimentos: Ophir Jr, para limpar sua barra junto aos advogados paraenses, acaba de contratar as jornalistas Cléo Soares e Yáskara Cavalcante, como assessores de Imprensa Regional.
A pergunta que não quer calar: Se o CFOAB e a OAB Estadual têm assessoria de imprensa, porque pagar asssessoria por fora? E Quem está pagando esta conta, nós advogados com nossas anuidades, ou o Ophir Jr, como seu dinheiro? Aguardamos resposta.

Anônimo disse...

Acho que no caso da acusação de gastos da oab com cartões, poderia se solicitar ao tce, que fizesse a fiscalização. Eu tenho certeza que as contas seriam "aprovadas", ainda que "com ressalvas", afinal de contas, o vice-presidente do tce, luís cuinha tem os irmãos Antonio da Cunha Teixeira e Paulo Cunha Teixeira nos cargos de vice-diretor e chefe de segurança no presídio de Bragança.