Ban

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Ganho per capita dos desembargadores paraenses ficou sempre acima de R$ 36 mil no ano passado. E desde julho é superior a R$ 40 mil - ou mais de 60% acima do vencimento-base.

 
Como o Tribunal de Justiça do Estado colocou em dúvida a matéria deste blog sobre os ganhos per capita dos meritíssimos no último quadrimestre do ano passado (leia a postagem anterior), a Perereca resolveu fazer o serviço completo: montou uma tabela com a remuneração dos desembargadores paraenses ao longo de todo o ano passado – ou seja, de janeiro a dezembro.
 
E o que se percebe nessa nova tabela é que desde julho de 2011 o ganho per capita dos desembargadores paraenses esteve sempre acima de R$ 40 mil.


E nunca, desde janeiro, esse ganho ficou abaixo de R$ 36 mil.

Vale salientar que o vencimento (ou subsídio) a que os desembargadores tinham direito, entre  maio e dezembro do ano passado, era de R$ 24.117,62.

 
E o que turbinou tais ganhos foram as vantagens e gratificações que recebem.

 
No ano passado, havia no TJE do Pará 29 desembargadores.


Mas em setembro, com a aposentadoria da desembargadora Albanira Bemerguy, esse número caiu para 28 – o que permanece até hoje. Veja aqui, no site do TJE, a composição do tribunal: http://www.tjpa.jus.br/composicaoTribunal/index.html

 
Em julho, o Demonstrativo de Remuneração do TJ se refere a apenas 27 desembargadores – o que leva a crer, portanto, que havia dois deles de férias. E talvez daí o ganho per capita dos meritíssimos ter atingido quase R$ 42 mil.

 
Mas de agosto a dezembro não havia nenhum desembargador de férias. Eram 29 com a Albanira, passaram a ser 28 sem ela.


E, no entanto, entre agosto e dezembro, os ganhos per capita dos desembargadores paraenses continuaram acima de R$ 40 mil. Ou seja, ao contrário do que diz o TJ, pagamento de férias não tem nada a ver com essa história.


A Perereca também publica todos os demonstrativos de remuneração dos desembargadores paraenses, extraídos um a um do Diário Oficial do Estado, para que não restem dúvidas quanto à forma como foi calculado o ganho per capita dos nossos meritíssimos.

 
Ao contrário do que insinua o TJ, o blog não dividiu pelos desembargadores o total da folha de pagamentos: o que foi dividido pelo número de desembargadores foi o que eles – e só eles - efetivamente receberam, entre vencimentos, vantagens e gratificações, conforme está escrito no Diário Oficial.

 
Os Demonstrativos de Remuneração do TJE estão publicados nos seguintes Diários Oficiais do Estado:

 
21 de março de 2011, caderno 3, páginas 4 e 5 – demonstrativos de janeiro e fevereiro.


24 de maio de 2011, caderno 2, páginas 15 e 16 – demonstrativos de março e abril.


20 de julho de 2011, caderno 4, páginas 11 a 15 – demonstrativos de maio e junho.


21 de setembro de 2011, caderno 5, página 16; caderno 6, páginas 1 a 6 – demonstrativos de julho e agosto.

 
18 de novembro de 2011, caderno 5, páginas 3 a 9 – demonstrativos de setembro e outubro.


24 de janeiro de 2012, caderno 4, páginas 3 a 9 – demonstrativos de novembro e dezembro.


Veja aqui o novo quadro preparado pela Perereca (clique em cima dele para ampliar):



E abaixo os instantâneos de todos os demonstrativos de remuneração do TJ, publicados nos diários oficiais referidos acima:


  
E confira abaixo o quadro com o vencimento-base dos desembargadores, extraído do portal da Transparência do TJE:

5 comentários:

Anônimo disse...

Infelizmente neste país tem muitos brasileiros. Não acredito que haja nações ditas democráticas mais coniventes com casos como esses além do Brasil. Além de ganharem este absurdo, que acho injusto num país onde há muita pobreza, trabalham poucas horas por dia e possuem regalias em excesso. Para uma esfera do poder que deveria servir ao povo, que paga seus serviços através de impostos, eles deveriam se explicar de tal denúncia e não agir em tom ameaçador. Mas como havia dito no inicio do comentário, o povo brasileiro não vai fazer nada mesmo, vai deixar tudo como está e continuar pagando pra ser tratado desse jeito.

Anônimo disse...

No TJE ha males que vêm para o Bem.

O CNJ fez com que os apadrinhados ganhassem aposentadorias por invalidez e cargos de confiança, para não perderem a mamata. Basta verificas os DJ desse inicio de ano.

Anônimo disse...

Perereca, que tal uma pesquisa: nas cadeias superlotadas, tem algum corrupto preso? Daí......

Anônimo disse...

A Perereca mais uma vez mata a cobra à pau!

Anônimo disse...

Denuncia: Hoje o TJE veio cheio de portarias da presidencia dispensando os apadrinhados que o CNJ mandou colocar na rua (fora os que o TJE aposentou por invalidez).

Infelizmente, no mesmo diario que dispensa os apadrinhados, dá cargos de confiaça aos mesmos, ou seja, em vez de sair, agora eles estão recebendo muito mais que recebiam.

è brincadeira... cade o CNJ?