Ban

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Navegapará encerra o ano com resultados positivos. E prefeitos podem procurar coordenação do programa para agilizar inclusão digital


O maior programa de inclusão digital do Brasil, o Navegapará, encerra o ano de 2011 com grandes resultados. 

O sinal do programa está presente em 60 cidades atendendo 68% da população paraense. As redes sem fio banda larga, chamadas de cidades digitais, já chegaram a sete municípios e até o final deste mês serão expandidas para mais cinco cidades. Os pontos de acesso livre totalizam 120 em todo o estado, sendo 55 somente em Santarém.

A expansão não para por aí. Para 2012, o desafio do programa é chegar ao sul do Pará passando por Marabá, Xinguara até Conceição do Araguaia. 

A assessora da presidência do Navegapará, Leila Daher, explica que outra meta do programa que deve ser concretizada ainda no início do ano que vem é o Projeto Soure, que pretende levar o Navegapará para a região do Marajó a partir do município de Soure. 

“O projeto está em fases de teste e apresentou alguns problemas técnicos por conta da transposição da baía, mas já estamos com engenheiros e técnicos no local para solucionar o problema”, ressalta.

Também para o ano que vem, o programa pretende reforçar as parcerias com as prefeituras dos municípios que passaram a receber o sinal do Navegapará.  “Essas parcerias têm sido fundamental para o bom resultado do programa”, diz Leila. 

Segundo ela, as cidades de Novo Repartimento e Goianésia procuraram o Governo do Estado para a implantação do sinal. As cidades foram habilitadas e hoje contam com o programa de inclusão digital. 

“O objetivo é levar o Navegapará a todos os municípios paraenses. As prefeituras que tiverem interesse podem nos procurar para que o processo de inclusão aconteça de forma mais rápida”.

Infocentros – Outro fator que garante o sucesso do programa é o acesso do cidadão às tecnologias da informação através dos infocentros instalados nas cidades que recebem o sinal do Navegapará. Atualmente, existem 185 infocentros instalados em todo Pará.

“A implantação desses infocentros objetiva amenizar o índice de exclusão sócio-digital no estado, através de ações de inclusão social, alfabetização digital, ensino a distancia e outras atividades ou serviços relacionados”, finaliza Leila.

(Fonte: Secom/Bruna Campos)

2 comentários:

Anônimo disse...

A assessoria técnica poderia nos explicar como é este processo de transposição da Baía? Isso é incrível!

Marcelo Carvalho disse...

Não custava nada citar que o NAVEGAPARÁ foi um dos grandes acertos, se não o maior, da gestão do PT.

Antes na maioria das cidades do Pará não havia nem internet discada.

Marcelo Carvalho