Ban

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Militantes paraenses pela redemocratização do Brasil reúnem dia 10 no Bar do Parque




No próximo sábado (10/12) os velhos companheiros vão se encontrar no Bar do Parque, a partir das 16 horas,  para depoimentos, gravações, recolha de fotos, para um DVD e um Livro sobre o período de retomada das lutas democráticas que ajudaram a derrotar a ditadura militar aqui no Pará. 

O livro conterá entrevistas e verbetes contando curiosidades, com a inventividade e o bom humor daqueles que se dispuseram a reorganizar o movimento estudantil, sindical e popular paraense. 

Você saberá, por exemplo, como os lutadores daquela época faziam os panfletos em mimeógrafo a álcool para divulgar as idéias de organização. Vamos relembrar pessoas das organizações de apoio como o Gileno, o Padre João Maria, Carlos Bordalo, o uso da Gráfica Salesiana para imprimir jornais. E a goma de tapioca que era usada para colar cartazes, lembram? As histórias de pichações, algumas picantes. A demissão de toda diretoria da Associação dos Professores - APEPa, e líderes como a professora Ermelinda Garcia e a professora Venize Rodrigues.

Um capítulo para João Marques, Paulo Fonteles, Humberto Cunha, Ademir Andrade, Gabriel Guerreiro, Romero Ximenes, será que rola?

E quem eram os estudantes que iam a Livraria Jinkings pegar alguns livros revolucionários com a complacência do dono, o grande dirigente comunista Raimundo Jinkings? Quem pulou roleta? Quem fez greve na Faculdade? Quem lembra do CACO? 

Histórias de dor, sofrimento. Outras nem tanto, mas também muito interessantes, como a da prisão dos estudantes do Alicerce da Juventude Socialista e os embates destes com seus advogados de defesa, dentre eles os Drs. José Maria Quadros de Alencar e José Carlos Castro.

Os dirigentes dos trabalhadores rurais também terão espaço e histórias para contar. Quem lembra do Gatão (Atanagildo de Deus Matos)? O Geraldo Pastana, os Ganzer, os Pelosos e o Lamparina, alguém lembra disso? 

Não vamos deixar morrer a nossa história. Compareça no dia 10.12, às 16hs, no Bar do Parque e leve sua contribuição, viu, Alberdam Batista! Estamos esperando.

(Fonte: Zé Carlos Lima, com modificações do blog)

Um comentário:

Leila Jinkings disse...

Que bela iniciativa, Ana.
Pena não estar presente fisicamente.
Mas seguramente estarei de alguma forma, seja em fotografias de Paulo Fonteles ou em fotos de Raimundo Jinkings ou nas fotografias de Batista, ou ainda nas de Gabriel Pimenta, em registros da luta da resistência democrática, repressão, manifestações, registros de outros assassinatos por motivação política.
Abaixo a Ditadura!!