Ban

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Baratas vão avuá!



E pra não dizer que é só o promotor Firmino de Matos que está agitando a galera, em Altamira as promotoras Lorena Moura Barbosa, Sabrina Said Daibes de Amorim, Amanda Luciana Sales Lobato e Ely Soraya Silva Cezar, um fantástico quarteto feminino, abriram procedimento administrativo para apurar – vejam só – possíveis crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e tráfico de influência na administração pública municipal, envolvendo agentes públicos e políticos do Executivo e Legislativo, além de empresários altamirenses. Daqui a pouco a Perereca avorta com todos os detalhes sórdidos dessa história.

2 comentários:

Anônimo disse...

Adooooro Baratas e Pererecas!!!!!

Anônimo disse...

O Ministério Público deveria investigar a atuação das Auditoras Gerais do Estado no desgoverno Ana Julia. Por que o Hangar (Via Amazônia) não foi auditado? Que outros orgãos não foram fiscalizados? O nome disso é prevaricação. Elas devem ter levado para o Estado o que aprenderam na CGU (vide reportagem da revista VEJA). Ministério Público nelas.