Ban

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

R$ 622 milhões para a propaganda



No Contas Abertas:

Governo tem R$ 622 milhões para publicidade neste ano

Amanda Costa

Maior anunciante do país, o governo federal tem à disposição R$ 622,8 milhões para aplicar em publicidade neste ano. Deste valor, o equivalente a R$ 210,3 milhões referem-se a anúncios diretamente vinculados à Presidência da República, que tem o maior orçamento entre todas as pastas dos Três Poderes. Ao todo, 54 órgãos têm orçamento para anúncios neste ano. Na prática, é como se cada um dos 190,7 milhões de brasileiros tivessem que pagar R$ 3,27 para serem informados sobre os atos públicos.
Na presidência, cerca de R$ 300 mil da verba publicitária que deve ser investida na imagem do próprio governo, foram obtidos por meio de emendas durante a tramitação da peça orçamentária no Congresso Nacional. A única outra pasta que teve a verba midiática ampliada por parlamentares foi o Ministério do Turismo, que recebeu créditos de R$ 1,7 milhão, passando a ter orçamento final de R$ 6,7 milhões.
Por outro lado, tiveram as verbas publicitárias cortadas, durante a tramitação do orçamento no Congresso, o Ministério da Agricultura, que perdeu R$ 7 milhões, o Ministério do Transportes, com R$ 5 milhões a menos, o Ministério da Pesca e Aquicultura, com R$ 2 milhões diminuídos, e o Fundo Nacional de Segurança e Educação de Trânsito, que perdeu R$ 4 milhões (veja aqui todo o orçamento publicitário).
Mas, após a Presidência, o Fundo Nacional de Saúde (FNS), com R$ 139,2 milhões, é o dono da maior verba para campanhas na mídia neste ano. No ano passado, a peça orçamentária previa R$ 120,2 milhões para a divulgação das atividades do órgão. O Ministério do Esporte aparece em terceiro lugar, com dotação publicitária estimada em R$ 44,2 milhões, um salto de 608% em relação à verba aprovada no ano passado, de apenas R$ 6,2 milhões.
Na contabilidade, estão incluídos os valores previstos para despesas com propagandas de utilidade pública e campanhas institucionais. A diferença entre os dois meios de propaganda está nos fins almejados. Enquanto a publicidade de utilidade pública prevê informar, orientar, prevenir ou alertar a população para que adote um comportamento específico, visando benefícios sociais, a publicidade institucional se limita a divulgar informações sobre atos, obras, programas, metas e resultados do órgão público. Não faz parte do levantamento a previsão de despesas com publicidade das estatais e sociedades de economia mista, como Petrobras e Banco do Brasil.

2 comentários:

Anônimo disse...

Agora Ana Celia, esse contas abertas é uma ONG vinculada ao PSDB e DEM, verifica se eles também divulgam os gastos em propaganda da turma do PSDB nos Estados(SP, MG, GO, PA, PR).

Anônimo disse...

Sua perereca de meia cuia de tacacá , não divulgue as coisas pela metade ou tu achas que eu sou leso ? Deixe de ONG !

Me responda encima da bucha , sem pensar ou pestanejar, cuspi no chão e antes que meu cuspe seque me diga se essa minxaria para o Elke Batista se destina a divulgar todas as ações do governo ou só as ruins , se for só as ruins eu vou entrar na injustiça para com uma medida de calça lá, obrigar os caras para caguetar na TV também as boinhas , boinhas porque pelo andar da abobora vão ser boas e pequenininhas!

E não me de a resposta que eu vou costurar o nome do Dudu na tua perereca e costurar a moda sapo de quibanda de umbanda, na linha lilás que é a cor da moda