Ban

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Marabá em chamas


No blog da Franssinete Florenzano: juiz cassou Maurino Magalhães e Salame não sabe se assume o cargo. Aqui: http://uruatapera.blogspot.com/2011/01/frisson-politico.html 

.........

Às 15h40:


Só agora vi, mas tem muita informação sobre a situação de Marabá no Hiroshi Bogéa. Aqui: http://hiroshibogea.blogspot.com/2011/01/maurino-e-vice-afastados.html
 

3 comentários:

Anônimo disse...

Ei pereca, o estado tá pegando fogo, seduc, sefa, sead,secom, fcg,sepof, corre, corre, pula, pula, acho que vai ter que contratar um assessor, pra que tanta arrogancia, estão fazendo tal e qual a ptzada, esquecem que nada é eterno e que a humildade é uma qualidade primordial do ser humano.

Anônimo disse...

Ana Célia, aqui em Tucuruí já começamos a nos mobilizar para um abaixo assinado ao Tribunal de Justiça solicitando transferir o Juiz que cassou o prefeito de Maurino Magalhães de Marabá para Tucuruí.

Quem sabe se por aqui ele não cassa ou, pelo menos, caça o Prefeito Sancler, que já é considerado o pior prefeito do Pará!

Se não for possível a vinda do Juiz Cristiano Magalhães Gomes, mandem pelo menos a Policia Federal!

Anônimo disse...

Em clima tenso, depois de esperar por mais de uma hora e meia, os servidores ouviram que o governo não vai cumprir a lei, alegando o descumprimento da lei eleitoral e de responsabilidade fiscal. Em troca, a secretária da SEAD apresentou formalmente a disposição do governo de construir em 180 dias uma nova proposta de Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) para o Detran.

Falando em nome da categoria, o presidente do Sindetran, Elias Monteiro, criticou a decisão do governo lembrando que a lei surgiu de uma ampla discussão da categoria com o Detran, deputados estaduais e o Governo anterior.

Negou que se trata de um benefício gratuito do Governo Ana Julia, pois foi preciso realizar duas greves para que o Executivo desse andamento a lei aprovada. Debatida no conjunto da categoria e com o governo, a lei obteve inclusive parecer favorável da Procuradoria Geral do Estado (PGE), mesmo Órgão que agora, estranhamente, questiona sua legalidade. O texto acabou aprovado por unanimidade na Alepa, com aprovações nas Comissões de Constituição e Justiça (CCJ)- onde atuaram como presidente e relator, respectivamente, os deputados Bosco Gabriel (PSDB) e Parsifal Pontes (PMDB) e de Orçamento e Finanças, com a presidência de Simone Morgado (PMDB) e relatoria de Bira Barbosa (PSDB). É claro o desrespeito do Governo com o Poder Legislativo!

O sindicato garantiu que usará de todos os meios jurídicos e políticos para a implementação da lei. “Trata-se de um discurso hollywoodiano do Governo que coloca uma faca na cabeça dos servidores do Detran”, criticou Monteiro. Quanto ao PCCR, o sindicalista lembrou que a categoria discute o assunto há quase quatro anos e que existe uma minuta de PCCR pronta para ser discutida e aprovada. “Se o governo quer aprovar o PCCR ótimo, mas não vamos aceitar como moeda de troca para abrir mão do cumprimento da lei. Além disso, tem que revogar o decreto que barra direitos dos servidores e dizer que tipo de mágica vai fazer para equilibrar as contas e implementar melhorias salariais ao mesmo tempo, em apenas 180 dias como propõe agora”, ironiza a vice-presidente do Sindetran, Arieth Costa.

Diante dos acontecimentos, a diretoria do Sindicato decidiu que vai defender a entrada da categoria em estado de greve na Assembléia Geral que acontece às 8 h, em frente a sede da Autarquia, nesta quarta-feira, 26. O Sindetran estuda ainda que tipo de medida judicial poderá tomar, caso o governo insista em descumprir a Lei 7474/2010, que instituiu a reestruturação do Detran.

Após a Assembléia, a diretoria do Sindetran participará de uma reunião, no final da manhã, com a Intersindical que deve contar com representantes do Sintepp e Sindfisco, categorias que também se consideram diretamente atingidas pelo decreto governamental de 19 de janeiro. Decreto este que é claramente inconstitucional, já que não tem atribuições jurídicas para revogar leis vigentes. “O desrespeito do governo com essas categorias é flagrante e precisa ter uma resposta. Os servidores do Detran estão prontos para a luta”, finaliza o diretor, Maurício Facundo.

Lacênio Barbosa
Dir. Comunicação
Sindetran/Pa”